Sobre TRILHOS mundo afora

Eu adoro viajar de trem. Este é, sem dúvida, meu meio de transporte favorito, depois, claro, de meus amados pezinhos. Eu acho que os trens são lúdicos e românticos, mesmo aqueles mais modernosos. Além disso, eles costumam ser eficientes e muito práticos.

A gente compra o bilhete, chega poucos minutos antes do embarque, segue até a plataforma indicada, entra no trem, senta confortavelmente, relaxa e estamos prontos para seguirmos viagem.

Eu sei que nem todos os trens mundo afora são assim.

Contudo, os que rodam na pequena parte do mundo que eu conheço são bem assim.

Viajar de trem na Europa

Viajar de trem

Aeroporto de Frankfurt – trem com destino à Nuremberg na estação de trem do aeroporto

Viajar de trem

Aeroporto de Roma – trem com destino à Florença na estação de trem do aeroporto

Viajar de trem

Sob os trilhos da estação de trem de Óbidos, Portugal

Inglaterra, Espanha, Holanda, Itália, Rússia, Portugal, Alemanha, Suíça… Na Europa os trens são uma constante em meus deslocamentos. Muitas vezes eu nem saio do aeroporto: ali mesmo já tomo um trem para meu destino final. Tem facilidade maior?!

Em todos estes países encontrei eficiência. Ok, às vezes os trens atrasam, mesmo em países tão pontuais quanto a Suíça, mas nunca tive uma viagem de trem cancelada ou com atraso significativo.

Busco viajar sempre por regiões próximas dentro do mesmo país. Assim, eu economizo tempo (artigo de luxo para qualquer viajante), uma vez que as distâncias são mais curtas e, pela mesma razão, dinheiro, já que assim as passagens tem um custo menor.

Isso sem falar que a malha ferroviária tende a ter menos baldeações quando há menos quilômetros a serem percorridos.

Gostamos tanto de viajar de trem, Léo e eu, que ao contrário do que a maioria das pessoas faz, nós não viajamos por Portugal de carro e sim de trem.

A malha ferroviária portuguesa é muito boa, mas nos proporcionou, digamos assim, algumas aventuras, como por exemplo no trecho Sintra – Lisboa onde nós éramos quase sardinhas em lata e na estação de Óbidos onde ficamos completamente perdidos sob um frio de gelar os ossos.

Em alguns países existe mais de uma empresa de trem operando trechos entre cidades. Há diferença de trens, de custo, de tempo… Todos esses elementos são variáveis e precisam ser pesquisados antes de decidirmos nosso roteiro de trem.

Isso sem falar que em algumas cidades existe mais de uma estação e isso também deve ser observado no momento da compra das passagens e reserva de hotéis, por exemplo.

Mais informações sobre viagens de trem:

+ Como ir do aeroporto Fiumicino em Roma para Florença;

+ De trem pela Alemanha;

+ Bilhetes para os trens na Suíça

Compra de bilhetes

Viajar de trem

Em sentido horário: comprando bilhetes – na Toscana (Itália) e na Renânia do Norte-Vestfália (Alemanha) nas máquinas disponíveis nas estações e viajando de trem de Colônia para Aachen

Geralmente compramos os bilhetes dos deslocamentos entre nossas cidades base pela internet, nos sites das empresas locais de trem. Eles costumam ter uma passo a passo fácil. A maioria exige um cadastro.

Cada empresa de trem tem suas particularidades como a forma de comercializar os bilhetes, os documentos necessários na apresentação ao ferromoço, o tempo que abre para a venda de passagens.

A Suíça, por exemplo, começa com 1 mês de antecedência as vendas on line dos bilhetes. Já a Alemanha começa a vender 3 meses antes.

Na Alemanha temos que apresentar ao ferromoço os bilhetes mais o cartão de crédito que efetuou a compra. Já na Suíça, não exigiram nada, enquanto na Rússia eles pediram a passagem onde fizeram leitura ótica do código de barras e o passaporte.

Outo elemento a ser verificado na hora de comprar os bilhetes de trem é a quantidade de baldeações e o tempo entre elas. Se for muito apertada, como aconteceu conosco na Itália, no trecho entre Roma e Florença, o jeito é correr mesmo, para não perder o trem.

Eu prefiro sempre escolher rotas sem baldeação.

Fazendo um bate e volta

Já quando fazemos bate/volta compramos as passagens na hora, nas máquinas disponíveis nas estações de trem. Quando há lojas nós vamos até elas com perguntas sobre descontos nas passagens. Assim economizamos em nosso deslocamento para Aachen desde Colônia, pois fomos informados sobre um bilhete mais barato.

Afinal, economia é sempre um item bem vindo.

Comprando as passagens de bate/volta na hora, garantimos flexibilidade em nossas viagens.

Fizemos assim na Toscana, de onde, saindo de Florença, visitamos Luca e Pisa, em dias alternados. Assim o foi também na Alemanha: visto tudo em Colônia, decidimos pegar um trem para Aachen onde passamos um dia ótimo.

No Porto, fomos visitar a interessante cidade de Guimarães partindo da belíssima estação de São Bento.

Isso sem falar quando eu estava em Genebra, Suíça: enquanto Léo corria a maratona, eu peguei um trem e 15 minutos depois eu estava na linda Nyon.

Cheguei na estação central, verifiquei no painel os próximos horários, fui até uma máquina e comprei o bilhete apenas de ida. Caminhei até a plataforma indicada, entrei, sentei-me e fui apreciando a bela paisagem suíça que se descortinava diante de minha janela enquanto o trem deslizava sobre os trilhos.

Em Nyon, quando decidi voltar à Genebra, na estação comprei o tíquete de volta: simples, fácil e rápido.

Particularidades no viajar de trem

Viajar de trem

Em sentido horário: paisagens suíças que apreciamos durante as viagens de trem pelo país e fazendo uma boquinha em trem japonês

Viajar de trem

Café da manhã em trem suíço

Viajar de trem é muito prático, mas cada companhia ferroviária guarda suas especificidades.

Há aquelas, por exemplo, que nos permitem marcar assentos como a alemã, mediante pagamento de taxa. Acho melhor para não termos que levantar a todo instante para ceder lugar a quem o comprou. Luminosos acima de nossas poltronas nos trens alemães nos indicam quais os trechos já comprados.

A Suíça não permite marcação de assentos. Os trens tampouco tem horários fixos. Podemos embarcar em qualquer trem no dia da compra do bilhete.

Comprar passagens de trem por Portugal pela internet tem suas peculiaridades. Eles só vendem com antecedência os trechos que não são urbanos. Esses só podem ser vendidos nas bilheterias. Assim que, mesmo que os trechos urbanos façam parte de minha rota, não posso comprar com antecedência.

Já para viajar de trem pelo Japão, compramos um passe que nos dava direito a viagens ilimitadas de trem: o JRP – Japan Rail Pass – e assim viajamos para algumas cidades dentro do território japonês e tenho ótimas lembranças.

Os trens na Suíça nos levam por paisagens inacreditavelmente lindas! Parece que estamos entrando em cenários de filme ou em alguma história onde os seres mágicos existem.

As paisagens na Baviera alemã também são muito bonitas.

Em alguns países como na Itália e Portugal, por exemplo, é imprescindível validar os bilhetes, sob pena de pagamento de multa caso não o façamos.

Geralmente compro um lanche nas estações e enquanto aprecio as paisagens, faço uma boquinha. A maioria dos trens tem carrinho com venda de comida e bebida: os produtos costumam ser caros.

A maioria dos trens possui banheiros, geralmente localizados nas extremidades dos vagões.

As bagagens e os bagageiros

Viajar de trem

Bagageiros amplos acima da cabeça na Suíça e em trem na Renânia do Norte-Vestfália: apoiando mochilas onde era possível

Não há limite de bagagens nas viagens de trem. Entretanto, o espaço para acomodá-las é, claro, finito.

Os bagageiros variam muito de trem para trem, podendo ir de um compartimento nas extremidades do vagão até a espaços de bom tamanho acima de nossas poltronas. As bagagens nunca são despachadas.

Sugestões:

Fique de olhos nas suas malas, pois furtos acontecem;

Carregue bagagens leves, para caber nos espaços disponíveis, não incomodar os outros passageiros e conseguir, sozinho, acomodá-las.

As estações de trem

Viajar de trem

As estações de trem em sentido horário: Valência (Espanha), Veneza (Itália), Genebra (Suíça) e Óbidos (Portugal)

Viajar de trem

Estação de Trem de Zurique na Suíça

Viajar de trem

O ar deliciosamente antigo da Estação de Trem de Zurique na Suíça

Viajar de trem

Estação de trem de Omsk – Sibéria

Chegar nas estações de trem, ver seu movimento, entrar em sintonia… Eu adoro o zum, zum, zum delas. Cada uma com seu estilo, sua agitação. Minha hora preferida do dia é no ínício da manhã, quando muitos passageiros pegam o trem para cidades vizinhas para trabalhar ou estudar.

Entram rapidamente nas cafeterias, carregam seu café da manhã para plataforma… Este frenesi matinal nas estações de trem me deixa muito encantada! É como assistir, ou participar, de um espetáculo.

Nós chegamos em Veneza de trem. Quando eu saí da estação e me deparei com o Gran Canale eu estaquei completa e absolutamente estupefata diante do que vi! Nunca, enquanto viver, vou me esquecer daquele impacto e dos sentimentos que me acometeram diante daquele cenário tão incomum.

Algumas estações são pequeninas, outras muito grandes. Algumas delas são lindas, como a Estação Central de Zurique na Suíça, outras nem tanto, são ao contrário mais acanhadas, mas todas, cada uma a seu modo, são interessantes.

Já estive em estações que até pareciam mini cidades, como a estação de Kyoto no Japão. Isso sem falar naquelas cuja estrutura é uma obra de arte como a Estação Oriente de Lisboa.

Já estação de Omsk na Sibéria me surpreendeu com seu ar clássico e antigo e ao mesmo tempo pop. Uma aparência de não sei bem o que quero ser!

Não posso deixar de mencionar a  estação de Óbidos, perdida no meio do nada: uma estação fantasma.

Só nós desembarcamos naquele dia e reembarcamos uns dias depois. Soubemos que ninguém mais vai de trem para a pequena vila, usando em vez disso, os ônibus. Talvez tenhamos testemunhado o seu fim.

Viajar pela transiberiana na Rússia

Viajar de trem

Transiberiana: trecho entre Moscou e São Petersburgo

Transiberiana: trecho entre Omsk e Tomsk na Sibéria, Rússia

Por falar em lembranças, experiências… As mais incríveis viagens de trem para mim, aconteceram sobre os trilhos da  famosa ferrovia transiberiana, em dois trechos. Duas viagens completamente distintas!

Ambas as viagens foram noturnas.

Primeiro trecho de Moscou para São Petersburgo: o trem mais sofisticado, chá de boas vindas, pegada retrô. No segundo fomos de Omsk para Tomsk, duas cidades siberianas. O trem era mais popular, mais cheio…

Foi como me transformar em um personagem de filme.

As duas noites foram péssimas: o trem sacudia, fazia ruído, parava e seguia inúmeras vezes com pessoas entrando e do lado de fora só escuridão.

As camas eram estreitas e desconfortáveis.

Conclusão: repetiria facilmente estas viagens.

Histórias de trem

Viajar de trem

No interior de um trem muitas histórias se desenrolam

Uma vez, viajando entre cidades na Alemanha, entraram duas japonesinhas com malas que eram quase do tamanho delas. Elas entravam em um sentido em busca de suas poltronas, enquanto um grupo de alemães vinha em sentido contrário, no mesmo vagão.

As malas delas não cabiam em nenhum espaço disponível para as bagagens.

Os alemães começaram a se irritar, pois não conseguiam passar com as meninas e suas malas gigantes atravancando o corredor. Elas começaram a se desesperar sem saber o que fazer.

Fiquei com pena e resolvi ajudar. Para sorte delas, as poltronas atrás da minha estavam de costas, ou seja, os encostos de tocavam, formando um pequeno vão.

Indiquei a elas que ali cabiam as duas malas.

Elas quase choraram e quebraram a coluna de tanto que se curvaram em agradecimento.

Mas não pude impedir a cara feia dos alemães.

Mais algumas histórias sobre viajar de trem

Viajar de trem

Chegar na plataforma alguns minutos antes do horário de partida do trem para não correr riscos

Viajar de trem

Senhoras alemãs fazendo festa no trem

Na Espanha, nós compramos um bilhete de trem na estação Atocha, para irmos para Toledo. Compramos no mesmo dia que visitamos o Museu Reina Sofia.

O bilhete tinha data para dali a 2 dias. Iríamos encontrar amigos em Toledo.

Perdemos o trem.

Chegamos no momento em que ele fechava as portas. Tentei negociar na bilheteria: perguntei ao moço se tinha solução, o que poderíamos fazer.

Ele sorriu, cheio de gentileza, e me disse: “a solução é simples. A senhora pode comprar outro bilhete agora mesmo. Há um trem que sai em 20 minutos”.

Até hoje não engoli direito aqueles 10 euros de prejuízo que minha leseira em sair do hotel causou.

Nunca vou me esquecer de um dos trechos que pegamos na Renânia do Norte-Vestfália, Alemanha: o vagão inteiro tomado por senhoras da melhor idade, com cervejas, muita salsicha e mostrada, fazendo muita algazarra como se fossem colegiais.

Estavam indo passar o fim de semana na cidade vizinha. Eu não entendia uma palavra do que falavam, mas elas alegraram a minha viagem.

Viajar de trem

Viajar de trem

Viajar de trem

Então, meu caro viajante, o meu desejo para todos nós, que gostamos de transitar por esse mundão sobre trilhos, é que possamos percorrer ainda muitos e muitos outros quilômetros à bordo de charmosos trens, em viagens maravilhosas, com muitas histórias bacanas e memoráveis!

Boa viagem a todos!

Alguns viajantes e suas viagens de trem

Este texto faz parte de uma blogagem coletiva (#viajardetrem) onde outros viajantes falam sobre suas viagens de trem mundo afora, dando dicas, contando histórias e passando informações para que possamos percorrer mais e mais estes belos caminhos férreos, em deliciosas viagens!

Viajar de trem

Entre! Leia! Comente!

Viajar de trem é não é muito bom?! Se você clicar na imagem abaixo deixará todas estas viagens guardadas em seu Pinterest! 🙂 

Informações sobre viajar de trem pelo mundo por vários blogueiros de viagem

By | 2018-06-05T16:18:58+00:00 29/09/2017|Categories: A Arte de Viajar|Tags: |17 Comentários

17 Comentários

  1. Paulo Cattelan 29/09/2017 em 13:34 - Responder

    Muito legal o post. Viajar é tudo de bom, mas de trem é ainda melhor!!

  2. Viajento 29/09/2017 em 18:11 - Responder

    Ótimas dicas de viagens de trem já que nós, brasileiros, infelizmente não estamos acostumados a esse meio de transporte tão pouco explorado em nosso país. Realmente é preciso estar atento às particularidades para a compra dos bilhetes, que documentos levar para a comprovação da compra da passagem, as bagagens e outros detalhes. E adorei as suas histórias relacionadas a essas viagens!

    • Analuiza Carvalho 29/09/2017 em 21:02 - Responder

      Obrigada!
      É verdade! O fato de não termos uma malha ferroviária significativa no Brasil faz que não tenhamos muita intimidade com este meio de transporte tão eficiente e prático né?!

      Eu adoro viajar de trem! Tomara que este texto ajude outros viajantes em suas viagens sobre trilhos! 🙂

  3. Gisele Prosdocimi 30/09/2017 em 00:56 - Responder

    Que ricas suas experiências viajando de trem pela Europa. Me deu uma vontade de voltar e fazê-las também. Senti o mesmo quando cheguei em Veneza, que surpreendente o Grand Canal e a beleza desta cidade. Nunca vou esquecer do impacto que senti também. Parabéns, excelente post!

    • Analuiza Carvalho 30/09/2017 em 06:53 - Responder

      Obrigada Gisele! Viajar de trem, além de prático e rápido (e algo romântico) nos permite colocar na bagagem histórias e sentimentos inesperados como este de Veneza, não?! 🙂 bjs

  4. Aline DP 30/09/2017 em 11:30 - Responder

    Eu amei esse post! Adorei ler sobre as diferentes viagens e história. Viajei muito pouco de trem, mas com certeza é o meio de transporte mais legal e prático.

    • Analuiza Carvalho 01/10/2017 em 09:49 - Responder

      oi Aline… é também meu meio de transporte favorito! 🙂 Por mais viagens de trem para nós todos! 🙂 bjs

  5. […] Espiando Pelo Mundo – Viajando de trem por algumas cidades do mundo […]

  6. Rayane 02/10/2017 em 10:44 - Responder

    Ana, adorei os contos e causos sobre suas viagens de trem. Também adoro viajar de trem e acho que temos mais histórias assim do que viajando de avião.
    Um vez, estava na Polônia e ouvi a música: “nossa, nossa, assim você me mata”. Quando olhei, era o cel de uma senhora polonesa. Perguntei em inglês se ela falava português e ela disse que não, mas que adorava a música.
    Pode isso? hahaha

    • Analuiza Carvalho 02/10/2017 em 11:11 - Responder

      Concordo Rayane… acho que viajar de trem é mais informal, mais cotidiano, então temos mais chances de observarmos as pessoas, seus comportamentos e ganharmos muitos causos para contar depois. rsrsrs

      Muito boa essa história da polonesa! Esta música correu o mundo! Sabe onde um grupo de tunisianos cantaram ela para nós?! No Japão, em Toyota, no jogo de futebol do Santos com o Kashiwa Reysol, pelo mundial interclubes! rsrsrsrs Pode?! bjus

  7. Ana Zacchello 04/10/2017 em 16:22 - Responder

    Adorei ler o seu relato e as suas experiências! Eu também amo viajar de trem, adoro a experiência, as vistas, as facilidades, as histórias para contar…
    Muitas viagens de trem para a gente! 🙂

  8. Turistando na Suíça 05/10/2017 em 16:53 - Responder

    Post perfeito!!!! Eu sei que você sabe que sou suspeita, pois no meu IG eu não canso de dizer o quanto aaaamooooo andar de trem!!!!! Como sempre, seu texto está perfeito!!! Ahhh, sobre trens noturnos: foram minhas melhores dormidas em viagens, rsrsrs. Uma experiência incrível!!!!

    • Analuiza Carvalho 06/10/2017 em 12:04 - Responder

      Obrigada! Obrigada! Obrigada! Feliz demais que tenha curtido este texto!!! 🙂

      Não é verdade que dormir em trens é uma experiência ótima?! rsrsrsrs

      Por isso que vivo no seu IG (lindo de morrer!!) para sempre andar de trem e ver belíssimas paisagens!!! rsrsr bjuusss

  9. cynara00 27/10/2017 em 18:39 - Responder

    Também acho os trens super românticos, nostálgicos até, não sei porque mas me sinto assim quando estou dentro de um independente do destino que me espera. Sonho em viajar pela transiberiana na Rússia, tomara que concretize logo!!!

    • Analuiza Carvalho 27/10/2017 em 20:13 - Responder

      Me sinto exatamente da mesma maneira! Foi uma experiência incrível as viagens pela transiberiana! 🙂 beijinhos

Deixar Um Comentário