RUAS medievais do centro HISTÓRICO da linda Guimarães em PORTUGAL

Almoçamos na Adega dos Caquinhos e foi uma deliciosa experiência gastronômica. Saindo de lá, resolvemos explorar mais um pouco as ruas medievais do Centro Histórico de Guimarães.

Àquelas horas as ruas estavam vazias, o silêncio reinava e à medida que eu caminhava me perdia pelos enroscados sussurros do passado, em meio aquele casario bonito, singelo, antigo, testemunhas de vidas, amores, dores, nascimentos e mortes.

Espectadores do caminhar dos tempos, da evolução de tudo, das mudanças. Energia de sobra impregnava as ruas medievais do Centro Histórico de Guimarães.

Origem das ruas

Ruas Medievais do Centro Histórico

Pelas ruas de Guimarães

Lembrei-me que se estamos aqui hoje, somos resultado dos povos que habitaram os lugares antes de nós. Pensei que tudo nessa vida, até aquilo que hoje é tão básico e trivial, que nem pensamos sobre isso, teve que ser imaginado, inventado antes de virar a realidade de todo mundo. Eu tenho verdadeira atração por transformações, por trajetórias.

É quase inconcebível para nós imaginarmos cidades ou povoados sem ruas, entretanto, também as suas veias precisaram ser concebidas, criadas. Os romanos teriam sido os inovadores. Não à toa, muitas cidades mundo afora ainda seguem o traçado proposto por Roma.

O nome rua aparece como via strata, justamente entre os romanos e daí vem o termo em inglês street. Contudo foram os parisienses que transformaram as antigas ruas e vielas medievais, lá pelo século XIX, transformando acanhadas e escuras ruas em largas avenidas.  Sempre ditando moda.

Como seriam as cidades sem ruas? Çatal Höyük, na atual Turquia, teria sido um dos primeiros e mais antigos aglomerados urbanos do mundo, onde 8 mil pessoas teriam vivido em algum momento da existência do povoamento.

Não havia ruas ali e as casas eram amontoadas, coladas umas às outras, sem janelas ou portas, sendo o acesso ao interior das moradias feito por claraboias situadas no teto! Eu gostaria de ter visto isso de perto.

As ruas medievais do Centro Histórico de Guimarães

Ruas medievais do centro histórico

Pelas ruas de Guimarães

Mas, voltando às ruas de Guimarães, e seu risco medieval, não seguíamos um rumo determinado, apenas absorvíamos e vivíamos o momento, olhando o autêntico e exclusivo casario português, tão a cara desse despretensioso e por isso mesmo interessante país.

Apesar de tudo, suponho que a atmosfera daquelas ruas não era a mesma dos tempos medievais, onde elas eram mais bagunçadas, desorganizadas e sujas. Durante o dia ficavam apinhadas de pessoas, das mais variadas profissões, exercendo seus ofícios.

As pessoas ainda dividiam as ruas com animais de todo tipo como cavalo, porco, galinha… Fico só imaginando o odor terrível que não devia exalar dessas ruas, hoje tão bonitas e agradáveis.

Imundície para todo lado: excrementos humanos e dos bichos, lama, falta de higiene, água suja acumulada, esgoto a céu aberto. Não à toa a peste negra se alastrou rapidamente durante a Idade Média, causando milhares de mortes.

Entretanto, à noite, as ruas costumavam ficar silenciosas, uma vez que eram escuras pela falta de iluminação. Fiquei pensando quantas pessoas, condenadas, foram arrastados por aquelas ruas, sujeitas à humilhação pública por algum crime cometido, antes de serem executados diante de uma população geralmente barulhenta.

Pensando nisso tudo, me senti privilegiada por poder voltar aos tempos medievais, um estar, sem estar de fato, aproveitando apenas as melhores partes desse tempo.

Quer como é simples, fácil e rápido chegar em Guimarães de trem?! Então, por favor, clica no link bem aqui abaixo!Cais da Ilha de Genebra

+ Do Porto a Guimarães de trem

Venha espiar este mundão lindo comigo pelas redes sociais. 

Siga o Espiando pelo MundoFacebookInstagramTwitter e Google+

Espectadores do caminhar dos tempos, da evolução de tudo, das mudanças. Energia de sobra impregnava as ruas medievais do Centro Histórico de Guimarães. Caminhar por tão preservadas ruas desta bela cidade em Portugal, é como voltar no tempo sem sair do presente. #portugal #guimaraes #cidade #rua #europa #viajar #historia #espiandopelomundo #viajantesempressa #caminhar              Espectadores do caminhar dos tempos, da evolução de tudo, das mudanças. Energia de sobra impregnava as ruas medievais do Centro Histórico de Guimarães. Caminhar por tão preservadas ruas desta bela cidade em Portugal, é como voltar no tempo sem sair do presente. #portugal #guimaraes #cidade #rua #europa #viajar #historia #espiandopelomundo #viajantesempressa #caminhar

Clicando em qualquer uma das duas imagens logo aqui acima Cais da Ilha de Genebra as ruas medievais do centro histórico de Guimarães em Portugal ficarão guardadas em seu perfil no Pinterest 🙂

Para mais inspirações e histórias de viagem siga o perfil do Espiando pelo Mundo no Pinterest.

As ruas medievais do centro histórico de Guimarães em Portugal

Se você, meu caro viajante, gostou de conhecer um pouco das ruas medievais do centro histórico de Guimarães em Portugal, compartilhe em suas redes sociais para que os amigos leiam também! 🙂 

Os botões de compartilhamento estão aqui abaixo.

Cais da Ilha de Genebra

 

By |2018-08-08T15:28:43+00:0006/05/2017|Categories: Guimarães|Tags: , , |17 Comentários

17 Comments

  1. Gabi Torrezani 30/06/2017 em 05:53 - Responder

    Eu A-D-O-R-E-I visita Guimarães e o que mais me encantou foi exatamente o centro histórico. Me perder pelas ruazinhas foi uma experiência incrível. que vontade de voltar…

    • Analuiza Carvalho 30/06/2017 em 08:09 - Responder

      Guimarães é uma delícia de lugar né Gabi?! O Centro Histórico é puro charme e inspiração! Eu também sinto vontade de voltar, muitas e muitas vezes. 🙂 bj

  2. Pa Ramos 30/06/2017 em 06:04 - Responder

    Adoro essa arquitetura assim. Deixa tudo com mais charme. As ruazinhas são lindas e pensar que elas já foram cenário de tantas histórias deixa tudo ainda mais interessante.

    • Analuiza Carvalho 30/06/2017 em 08:10 - Responder

      É verdade Pa! A Arquitetura que margeia uma rua é parte intima de sua identidade né?! E a de Guimarães é especialmente bonita! 🙂 E as histórias… ah, as histórias! São mesmo sua alma! 🙂 bjus

  3. cwrgutierrez 30/06/2017 em 06:29 - Responder

    Adoro fazer esse passeios em partes medievais da cidade, te leva ao passado e vc imagina como era a vida naquele lugar.

    • Analuiza Carvalho 30/06/2017 em 08:11 - Responder

      Dá para viver um bocadinho da história do lugar não é?! Ainda bem que estes lugares sobreviveram ao tempo! eheheh

  4. rui batista 01/07/2017 em 06:50 - Responder

    Guimarães é a cidade onde nasci 🙂 E ‘arrepiei-me’ quando vi o post sobre tão belo destino. Espero que tenhas amado tanto quando eu adoro a Cidade Berço. Bela partilha e fantásticos pensamentos… Desde Roma à Turquia 🙂

    • Analuiza Carvalho 08/07/2017 em 21:55 - Responder

      Obrigada Rui, pelo lindo e querido recado! Guimarães ganhou um pedacinho de meu coração. 🙂

  5. Lulu Freitas 01/07/2017 em 10:02 - Responder

    Vou para Portugal em novembro e seus post estão me ajudando muito. Por favor não pare! rsrs

    • Analuiza Carvalho 08/07/2017 em 21:54 - Responder

      Oi Lulu… que bom saber disso!!!! Feliz demais em poder contribuir com suas memórias primarias sobre Portugal!!! 🙂

  6. itamarjapa 01/07/2017 em 10:31 - Responder

    Caminhar por este tipo de passado nos remete ao passado de uma maneira tão intensa né! Eu também sou do tipo que costumo imaginar tudo que já aconteceu por aí.

  7. laurasette 01/07/2017 em 10:46 - Responder

    Adoro cidades medievais, e adorei conhecer Guimarães enquanto morava no Porto! Não apenas por ser o berço de Portugal, mas por ser uma gracinha de cidade!

  8. Edson Jr 05/07/2017 em 05:48 - Responder

    Que lugar lindo, eu adoro passear e andar a esmo nas cidades históricas que visitamos.

  9. […] sem rumo pelas ruas do centro histórico de Guimarães, vi uma porta, cujo interior era lindo. O lugar, uma doçaria, chamado Divina Gula (Rua de Santa […]

Deixar Um Comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.