ROTEIRO pela ÁFRICA do Sul: PLANEJAMENTO de viagem

Pela primeira vez pisamos no continente africano. Foram muitas semanas de pesquisa e de planejamento de viagem até montarmos um roteiro pela África do Sul. Passamos mais ou menos duas semanas circulando, conhecendo algumas cidades na região de Western Cape.

A seguir o passo a passo do nosso roteiro pela África do Sul – 15 dias por Western Cape, a província do Cabo Ocidental, cuja capital é Cidade do Cabo.

1 – Comprar passagens

Roteiro pela África do Sul

Sobrevoando a África do Sul no voo da South African Airways

Tudo começou com a compra das passagens. Tínhamos que estar no país em uma data específica, pois Leo correria a ultramaratona (56 quilômetros) Two Oceans. Sem flexibilidade de datas, monitoramos as companhias aéreas até que apareceram passagens a um bom valor da Latam.

O voo nascia em Guarulhos e tinha como destino final a Cidade do Cabo, com conexão e controle de passaporte em Joanesburgo.

Apesar de termos comprado passagens pelo site da Latam, o trecho Guarulhos – Joanesburgo foi feito pela South African e os trechos Joanesburgo – Cidade do Cabo e Cidade do Cabo – Joanesburgo voamos de British Airways.

Somente a perna Joanesburgo – Guarulhos foi operada pela Latam.

Todos os voos foram ótimos!

Como moramos em Salvador, compramos passagens para o trecho Salvador – Guarulhos – Salvador. Mais uma vez a Latam ofereceu os melhores valores. Para não correr o risco de perder o voo de ida para a África, nem o de volta, compramos as passagens com uma longa janela de espera em São Paulo.

Cansativo, mas com riscos mínimos.

2 – Tomar decisões – datas, carro e safári

Ao comprar as passagens definimos o tempo na África do Sul – do dia 26 de Março de 2018 (chegando à Cidade do Cabo no fim da tarde do dia 27 de Março de 2018) até 12 de Abril de 2018 (saindo da Cidade do Cabo às 06:00 da manhã), somando 15 noites no país.

Outra decisão que precisamos tomar logo no início do planejamento do roteiro pela África do Sul foi a respeito do deslocamento. Resolvemos, seguindo a sugestão de outros viajantes, alugar um carro para rodar pelo país. Foi, de fato, uma decisão acertada.

Falar em África do Sul nos remete quase de imediato a pensar em safári. Pesquisei e li muito sobre as possibilidades de fazer um game drive em Western Cape, mas acabei por desistir.

Todos os locais que apareceram em minhas pesquisas falavam em reservas privadas e a maioria dava conta de que a sensação era de estar em um ambiente controlado perdendo o sentido.

Como meu objetivo no safári não era exatamente ver os animais e sim observar a natureza em seu estado real, sentir sua energia e seu fluir, com o mínimo possível de interferência humana, confesso que fui desanimando. Não é uma atividade exatamente barata, então não me arrisquei a uma decepção.

Até porque ano que vem possivelmente estarei de volta à África do Sul para ver outras cidades e conhecer um pouco mais de sua cultura. Deixei então para fazer um safári em outra região e talvez até em outro país africano.

3 – Definir roteiro

Roteiro pela África do Sul

A lindinha Montagu

Em seguida, começamos a definir efetivamente o roteiro pela África do Sul. Esta parte do planejamento da viagem foi feita baseada em variadas e amplas pesquisas em fontes diversas: guias, blogs, redes sociais, jornais e revistas.

Através de leituras múltiplas, selecionando dicas e sugestões, levando em conta imagens, opiniões e notícias, além das distâncias entre cada uma das cidades, definimos enfim o roteiro, a quantidade de dias e as datas em cada uma das cidades sul africanas.

Nosso roteiro pela África do Sul ficou assim:

Cidade do Cabo com bate/volta para o Cabo da Boa Esperança – 6 noites (27/04 a 02/04 – a ultramaratona aconteceu no dia 31/03) – afinal, a maior cidade da região;

Stellenbosch com um bate/volta para Franschhoek – 2 noites (02/04 a 04/04) – pela beleza, museu da cidade e por estar muito perto de Cape Town;

Montagu – 2 noites (04/04 a 06/04) – pelas imagens que mostravam uma beleza natural intensa;

Mossel Bay – 2 noites (06/04 a 08/04) – para ver o mar e a nau de Bartolomeu Dias;

Knysna – 2 noites (08/04 a 10/04) – a cidade das ostras e perto da ponte onde Leo pulou de bungee jump;

Swellendam – 1 noite (10/04 a 11/04) – pelo museu da cidade e por estar mais ou menos no meio do caminho entre Knysna e Cidade do Cabo;

Cidade do Cabo – 1 noite (11/04 a 12/04) – este pernoite foi necessário porque o voo saía muito cedo no dia seguinte. Chegamos em Cape Town já à noite, apenas para dormir. Um ponto que deve ser observado com atenção para que o mau planejamento não acarrete perda de voos.

4 – Alugar carro

Roteiro pela África do Sul

Um de nossos carros na África do Sul

Definido o roteiro pela África do Sul chegou a vez de alugar o carro.

Quero ressaltar que utilizamos o carro alugado apenas para nos deslocarmos entre as cidades. Durante o tempo em que ficamos na Cidade do Cabo utilizamos como meio de transporte o Uber e funcionou muitíssimo bem.

Aqui destaco que durante todo o nosso tempo de viagem pela África do Sul não tínhamos nenhum chip de acesso a internet. Utilizamos sempre o wi-fi de diversos estabelecimentos e não tivemos o menor problema para conectarmos e chamarmos o Uber.

Para alugar o carro fizemos a reserva no Brasil, direto no site da Europcar, que ofereceu o melhor preço, depois de cotarmos em diversas locadoras. Retiramos o carro em uma loja no centro da Cidade do Cabo e o devolvemos no aeroporto. Todo o procedimento foi muito simples.

Durante nossos dias na Cidade do Cabo decidimos visitar o Cabo da Boa Esperança e para isso alugamos outro carro.

Fomos até um local que nos pareceu uma central do turista, com vários serviços e passeios (81 Long Street), incluindo um balcão de aluguel de veículos, como uma corretora, que cota com diversas locadoras e encaminha para aquela com melhor preço. Retiramos o carro alugado (não conseguimos nenhum para o dia que queríamos, apenas para o dia seguinte) na loja da Bidvest (33 Bree Street) e o devolvemos em um estacionamento indicado pela locadora.

5 – Comprar moeda

Roteiro pela África do Sul

cédula de 20 RAND – dinheiro sul africano

Neste meio tempo, antes de partirmos para a África do Sul, fomos comprando dólares americanos, a moeda escolhida para levar na viagem. O dinheiro sul africano é o Rand, sendo a cotação atual mais ou menos 1 dólar = 12 Rand.

Na África do Sul nós fizemos câmbio.

A conta que nós costumamos fazer em todas as viagens é de 100 dinheiros/dia e assim levamos 100 dólares por dia, para as despesas gerais incluindo diárias de hotel, aluguel de carro, combustível, alimentação e entrada em determinadas atrações, como museus.

Tem funcionado bem.

6 – Comprar bilhetes para visitar Robben Island

Compramos com antecedência bilhetes para visitar a Robben Island, a ilha onde Nelson Mandela passou 18 dos 27 anos que ficou preso. A compra foi feita diretamente no site da antiga prisão, que remeteu a um site de compra de diversos ingressos, como shows e eventos esportivos.  O pagamento foi feito via cartão de crédito no momento da reserva.

No site há muitas informações sobre a ilha, sua estrutura. O processo é descomplicado. Neste mesmo link inclusive Leo fez a inscrição para a Two Oceans.

7 – Organizar documentos necessários

Brasileiros não necessitam de visto para entrar na África do Sul, apenas de passaporte válido de até 1 mês da data da volta para o país.

Brasileiros não necessitam de visto até 90 dias (turismo e/ou negócios), basta apenas apresentar o passaporte com validade de até 1 (um) mês (da data de retorno ao Brasil), com pelo menos 1 (uma) página em branco” segundo site da Embaixada da África do Sul.

A vacina de febre amarela é exigida e deve ser tomada pelo menos 10 dias antes do embarque. Como meu certificado internacional da vacina (CIV) foi furtado na Ilha de Páscoa tive que providenciar novo. O processo em Salvador foi fácil: fui ao Centro do Viajante da ANVISA no bairro do Comercio. Lá eles tinham meu cadastro, imprimiram outro e estava feito.

8 – Reservar hospedagem

Roteiro pela África do Sul

Cypress Cottage Guest House em Swellendam

Aqui cometemos um erro que quase nos causou um problema enorme. Deixamos para reservar as hospedagens poucas semanas antes da chegada às cidades.

Como a maioria das pousadas e hotéis tem poucos quartos disponíveis, por serem de estrutura pequena, então muitos deles estavam lotados. Foi uma peregrinação que durou muitos dias, pesquisando, buscando lugares que coubessem no orçamento e que atendessem aos nossos critérios, tentando datas, sem sucesso.

Até que finalmente, depois de muito suor e sufoco, conseguimos fechar todos. Importante dizer que eu fiquei extremamente satisfeita com todas as escolhas.

Cidade do Cabo: Daddy Long Legs Art Hotel;

Stellenbosch: Quiver Tree Apartments;

Montagu: Airlies Guest House;

Mossel Bay: Point Village Guest House;

Knysna: Knysna Inn;

Swellendam: Cypress Cottage Guest House.

9 – Arrumar as malas para a África do Sul

Roteiro pela África do Sul

Cabo da Boa Esperança – saia enrolada para facilitar a movimentação

Viajamos na primeira quinzena de abril, no início do outono, portanto. As temperaturas variavam de 15 a 33°C.

Com temperaturas incertas e diversificadas, com largas amplitudes, escolhi roupas que fossem leves e que pudessem se adaptar à heterogeneidade climática (pegamos chuva, vento frio, calor, sol intenso), aos diversos ambientes (praias, cidades) e fossem confortáveis ao mesmo tempo.

Mesmo na Cidade do Cabo, a mais urbana dentre todas as cidades que nós visitamos, o tom da indumentária é o leve, pois há turismo de natureza.

Ainda assim, cometi alguns equívocos: no dia em que fui ao Cabo da Boa Esperança, por exemplo, fui de vestido longo. Um problema para subir a pequena trilha que leva ao topo de uma das formações rochosas. Tive que enrolar o vestido e as fotos comprovam o ridículo da situação.

Eu não tinha ideia que havia esta subida!

Em Montagu também resolvemos subir uma montanha e não tendo levado opções para um trekking, fiz uma adaptação com uma calça mais leve, de pano, que tinha na mala.

Leo, contudo acertou, levando bermuda, calça e tênis  – tudo próprio para caminhadas.

Eu diria que protetor labial e solar, além de hidratante (facial e corporal) são imprescindíveis em uma viagem à África do Sul. O ar é seco e o sol inclemente. Mesmo sendo soteropolitana e acostumada ao sol baiano, minha boca estourou todinha, pois subestimei a força da natureza africana.

Mesmo com sol forte, um casaco muitas vezes se fez necessário, por conta dos ventos frios. Até levamos roupas de praia, mas com a temperatura das águas sempre geladas, nem nos atrevemos a entrar no mar, mas se voltar a Western Cape algum dia, levo novamente, afinal, nunca se sabe quando a coragem assumirá o controle e mergulharemos em águas geladas e cheias de tubarão, né não?!

Este foi nosso planejamento de viagem para organizar nosso roteiro pela África do Sul.

Viajantes conscientes

Em tempo: a Cidade do Cabo e região está passando por uma seca severa. O governo está pedindo a todos, moradores e visitantes, que economizem água. O Dia Zero, quando as torneiras secarão, estava previsto para nossos primeiros dias na cidade, mas eles conseguiram adiar.

Alguns lugares como aeroportos, por exemplo, estão sem água nas torneiras. Sugiro levar gel para limpeza das mãos.

Nós buscamos fazer nossa parte: diminuímos o tempo no banho e quantidade de descargas. Utilizamos gel para limparmos as mãos – eu sempre levo comigo, mas o hotel na Cidade do Cabo disponibilizou nos quartos e muitas vezes compramos água mineral em vez de bebermos água da torneira.

Vamos tentar ser viajantes conscientes, certo?!

Descubra um pouco mais sobre a África do Sul, pesquisas e expectativas! Clique no link bem aqui abaixo!Cais da Ilha de Genebra

+ Destino África do Sul

Venha espiar este mundão lindo comigo pelas redes sociais. 

Siga o Espiando pelo MundoFacebookInstagramTwitter e Google+

Roteiro de #viagem pela África do Sul: o planejamento de uma road trip pela região de Western Cape. #africadosul #viajar #viajantesempressa #espiandopelomundo                Roteiro de #viagem pela África do Sul: o planejamento de uma road trip pela região de Western Cape. #africadosul #viajar #viajantesempressa #espiandopelomundo

Clicando em qualquer uma das duas imagens logo aqui acima Cais da Ilha de Genebraeste roteiro pela África do Sul  ficará guardado em seu perfil no Pinterest 🙂

Para mais inspirações e histórias de viagem siga o perfil do Espiando pelo Mundo no Pinterest.

Roteiro pela África do Sul

Se você, meu caro viajante, achou útil este planejamento de  roteiro pela África do Sul, compartilhe em suas redes sociais para que os amigos leiam também! 🙂 

Os botões de compartilhamento estão aqui abaixo.

Cais da Ilha de Genebra

 

32 Comments

  1. Aline Rodrigues 19/04/2018 em 12:08 - Responder

    Apaixonada por esse post de roteiro pela Africa do Sul. Apaixonada pela nota com o Mandela, pelo cenário e pelas dicas preciosas! Parabéns por essa viagem linda!

    • Analuiza Carvalho 19/04/2018 em 13:01 - Responder

      oi Aline… coisa boa saber que gostou de nosso pequeno roteiro pela África do Sul!!! Os cenários são mesmo magníficos e acredite, todas as notas de RAND tem o Mandela!! Ídolo é ídolo né e esta alma iluminada e agregadora fez por merecer!!! 🙂 bj

  2. Camila Neves 20/04/2018 em 06:14 - Responder

    Sou louca para conhecer a África! Adorei demais o seu roteiro e achei a nota do Mandela uma gracinha 🙂

  3. Katarina 20/04/2018 em 08:11 - Responder

    Também organizo viagem exatamente assim! Acabei de publicar um post do planejamento de Portugal na mesma estrutura, é tão gostosa essa etapa, né? Sou doida pra conhecer a África do Sul, deve ser incrível!

    • Analuiza Carvalho 20/04/2018 em 08:21 - Responder

      oi Katarina… concordo! Esta parte da viagem, a do planejamento, pesquisas, primeiras descobertas, tomadas de decisão, é muito saborosa. Criamos expectativas, desejos… Eu também adoro. Além do que, acredito que planejar é preciso né?! As chances de sucesso são bem maiores! rsrs A África do Sul te espera! bjus

  4. Diego Arena 20/04/2018 em 10:10 - Responder

    A África do Sul deve ser supreendente. Que coragem eim, correr 56 km, acho que eu não aguento nem 5 kkkkk. Ótimas dicas.

    • Analuiza Carvalho 20/04/2018 em 10:19 - Responder

      oi Diego… foi surpreendente para mim sim. Nada foi como eu esperava.

      Pois num é?! Tem doido para tudo nesta vida e você tinha que ver só a quantidade de gente maluca correndo os 56 kms da Two Oceans! Eu só vou até 21 e já tá de muito bom tamanho! rsrs

  5. Klecia 20/04/2018 em 21:13 - Responder

    Eu esperei muito essa sua viagem, porque sabia que seria incrivel ver a Africa aqui no Espiando. Você é bem mais organizada que eu pra pensar em viagem. Grande parte de tudo que você descreve aqui é função de Rafa, e eu fico só com o roteiro e atrações. Ele cuida da parte pratica de reservas e financeira.
    Sabe que (desinformação minha) eu nem sabia que se fazia safaris na Africa do Sul? Sempre achei que fosse preciso ir mais pra ‘dentro’ do continente. Mas não me mate de curiosidade, conte logo as impressões da atual Cape Town (da qual conheço muito pouco)e das demais cidades (das quais sei absolutamente nada).
    Beijos, Ana

    • Analuiza Carvalho 23/04/2018 em 13:27 - Responder

      oi Klécia… eu também sabia (e sei) muito pouco a respeito da África do Sul. Esta foi uma viagem de muitas surpresas. Espero que eu consiga relatar devidamente todas as minhas experiências e perspectivas do que vi por lá. Aos poucos, os textos vão sendo publicados. Espero que atendas às expectativas. 🙂

      Divisão de tarefas entre o casal. Muito bem! Por aqui tudo é meio junto e misturado! rsrsrs bjus

  6. VICTORIA M FARINA 21/04/2018 em 00:48 - Responder

    Amei as dicas, principalmente as que fazem com que a viagem seja mais consciente e ajudar a população local! Obrigada pelas infos

    • Analuiza Carvalho 21/04/2018 em 08:32 - Responder

      oi Victoria… fico feliz em saber que as dicas de planejamento de nosso roteiro pela África do Sul foram uteis. Acredito que como cidadãos do mundo e viajantes, temos que buscar causar o menor impacto possível nos países visitados; principalmente quando eles passam por problemas graves, caso atual dessa região africana. bjus

  7. Amilton Fortes 21/04/2018 em 11:19 - Responder

    Seu post veio super a calhar, estou planejando uma viagem justamente para a África do Sul! Obrigado por compartilhar as informações. Abs

    • Analuiza Carvalho 21/04/2018 em 12:03 - Responder

      oi Amilton… tomara que possamos ajudar muito em seu planejamento para África do Sul e mais: que possa curtir muito o país!!! 🙂

  8. Vítor 21/04/2018 em 16:54 - Responder

    Excelentes dicas para quem vai desde o Brasil!!!muitos parabéns pelo artigo está muito preciso e detalhado

  9. Marcia Picorallo 22/04/2018 em 13:00 - Responder

    Li seu post com atenção e as dicas foram muito úteis, pois quero ir a esta região da África do Sul. Foi interessante ouvir a opinião a respeito dos game drives daí, diferente da postura de outros blogueiros que já li.
    Nossa, já passei apuro em regiões de parques nacionais e no ano passado acabei pagando mais porque só restavam hotéis mais caros em Fussen, Alemanha.Desta vez reservei tudo com 6 meses de antecedência pra Alasca e Montanhas Rochosas Canadendes.

    • Analuiza Carvalho 22/04/2018 em 15:36 - Responder

      oi Marcia… você vai fazer uma viagem que é um dos meus maiores sonhos de destino: Alasca. Vou acompanhar de perto para quando tirar esta vontade do papel, saber direitinho o que fazer.

      Cada viajante tem um objetivo né?! O que li sobre os safáris nesta região, não me atraíram por conta de meus objetivos de ver a natureza mais bruta, mais intocada. Essa coisa de deixar para reservar hospedagem em cima da hora quase fez com que precisássemos dormir dentro do carro, ou debaixo de uma árvores. Bom, talvez assim eu tivesse, digamos, um contato mais estreito com a natureza africana né?! rssrrs

      Fica a lição, para tentar nunca mais passar apuro! rsrs bjs

  10. Rui 22/04/2018 em 18:26 - Responder

    Excelente post e as fotos ficaram excelentes 🙂 ainda não tivemos oportunidade de visitar mas certamente o faremos num futuro próximo!

    • Analuiza Carvalho 23/04/2018 em 09:53 - Responder

      A África do Sul tem paisagens tão bonitas que proporcionam mesmo belas fotos. Nem é preciso ser fotógrafo para trazer para casa lindas imagens. Espero que este futuro próximo chegue logo para que vejas a África do Sul com seus próprios olhos. 🙂

  11. Marta Chan 23/04/2018 em 04:56 - Responder

    É a primeira vez que leio algo sobre a Africa do Sul. Tenho lá um amigo e ele falou me da seca, é mesmo sério e doloroso. Um bem que pensamos ter sem fim afinal não é bem assim.
    Nunca fiz um safari quando fizer vai ser pelos animais =)

    • Analuiza Carvalho 23/04/2018 em 10:14 - Responder

      Sério, Marta?! Acho que África do Sul está virando um destino queridinho. Pelos menos entre os brasileiros.

      Sobre a água por lá, o problema é mesmo sério. Ao que parece, não há muitos caminhos a serem seguidos a não ser aprender a economizar. Acho que nós, visitantes, temos uma responsabilidade ainda maior, afinal estamos na casa dos outros, né?! Devemos respeito! Isso sem contar que o problema sul africano com água deve servir de alerta a todos nós que desperdiçamos os bens naturais, achando que eles nunca acabarão!

      Sobre o safári, assim como em todos os outros aspectos de viagem, cada um tem seus objetivos né?! 🙂 bj

  12. Juliana Moreti 23/04/2018 em 10:58 - Responder

    Oi Ana

    Confesso que a Africa me desnorteia. Tenho lido alguns textos sobre diversos paìses (mas principalmente sobre a Afica do Sul) e tenho certeza que minha busca por um roteiro demoraria muito a ser feito! Mesmo escolhendo a Africa do Sul, eu teria dificuldades para definir quais cidades visitar. Teu post serà muito ùtil!

    Sobre safaris, eu fiquei assustada quando vi os preços, mas eu iria principalmente por causa do Léo!

    • Analuiza Carvalho 23/04/2018 em 11:26 - Responder

      oi Ju… O nosso roteiro também demorou muito a ser feito, a definir as cidades, mas pelo menos, por conta de nossa premissa de explorar um país e (dentro do possível) uma região, o planejamento ficou um pouco mais fácil e a viagem mais barata, uma vez que os deslocamentos foram mais curtos, pois ficamos somente pelo Cabo Ocidental (Western Cape).

      Quanto ao safári, de fato eles vão de caros a muito caros; pelo menos em Western Cape, onde pesquisei. Foi o que disse: fazer ou não fazer é uma decisão muuuito pessoal. Os locais que eu pesquisei não se encaixavam em meus objetivos, então deixei para tentar fazer quando voltar ao continente. 🙂 bjinhos

  13. Roberta Lan 24/04/2018 em 19:00 - Responder

    Que sensacional! Meu marido já foi pra lá e fiquei maravilhada com as fotos. Sou louca pra ir também, só me desanimar acordar bem cedo pro safári, ahahahahaaha
    Abraços!

    • Analuiza Carvalho 26/04/2018 em 08:33 - Responder

      Oi Roberta… de fato esta região do Cabo Ocidental na África do Sul carrega belíssimos cenários e impressionantes paisagens. É uma região muito bonita. Não me importo de acordar cedo e até gosto muito, mas como disse neste roteiro não fiz nenhum safári, pois os oferecidos em Western Cape não atenderam aos meus requisitos. bj

  14. Gostei muito da forma como este post está organizado. São os pontos que necessitamos saber para uma viagem. África do Sul é um local que quero muito ir em breve.

    • Analuiza Carvalho 27/04/2018 em 09:01 - Responder

      oi Catarina… obrigada. Para mim, o planejamento se faz muito necessário para otimizar a viagem e gastarmos tempo lá aproveitando o máximo possível a viagem e não resolvendo pendenga! rsrs bj

  15. Roberta Lan 01/05/2018 em 17:33 - Responder

    Meu marido conhece a África do Sul e sempre morro com as fotos absurdas de lá! Mas temos um amigão que é de lá, entao tudo fica mais fácil, né, hehe!
    Abraços!

    • Analuiza Carvalho 02/05/2018 em 12:47 - Responder

      A África do Sul é mesmo um país de paisagens maravilhosas. Pelo menos esta parte de Western Cape, por onde andei. Ah! Quando a gente conhece alguém que vive no lugar tudo fica bem mais fácil, né?! 🙂

  16. Edson Amorina Jr 07/05/2018 em 04:09 - Responder

    Oi Ana, nós ainda não fomos para a África do Sul, mas queremos muito. Na verdade queríamos conhecer mais da África. Muito bom post, gostei de conhecer seu planejamento.

    • Analuiza Carvalho 07/05/2018 em 18:33 - Responder

      oi Edson, nós também queremos ver mais, não só da África do Sul como do continente! Já estamos planejando uma volta para o ano que vem! 🙂

Deixar Um Comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.