Restaurante POVEIROS para uma FRANCESINHA

O almoço naquele dia foi no Restaurante Poveiros, lugar que entramos totalmente ao acaso, sem nenhum tipo de expectativa, onde comemos novamente o clássico dos clássicos da cozinha do Porto: a famosa francesinha.

Voltamos ao Porto

Restaurante Poveiros

Estação Campanhã, chagando da Vila de Óbidos

Deixamos Porto em uma manhã neblinada e fria. O destino foi Sintra e pegamos o trem na Estação Campanhã. Passamos dias ótimos nesta cidade, depois viajamos algum tempo por terras portuguesas, nos encantando mais e mais com este país que tornou-se muito querido. Então voltamos para o Porto,  vindos da Vila de Óbidos, para a última parte da viagem.

Saiba como ir do Porto (ou Lisboa) para Sintra de trem:

+ De trem para Sintra

Chegamos na cidade perto do meio dia, novamente na Estação Campanhã. Daqui, pegamos o metrô até a Estação Bolhão, usando o mesmo cartão andante azul da primeira parte da viagem.

Veja como usar o metrô do Porto:

+ Metrô do Porto

Desta vez, ficamos hospedados em outra região do Porto e novamente fiquei impressionada como esta cidade, que me deixou completamente apaixonada, tem muitas e variadas, além de interessantes facetas.

A energia, arquitetura e burburinho da região do Bolhão são muito diferentes das outras áreas que já tinha visitado antes, como por exemplo, o Cais da Ribeira, a Rua das Taipas ou o Campo dos Mártires. Esse foi apenas um dos elementos que me fascinou no Porto: sua multiplicidade.

Além disso, esta zona me pareceu mais popular e até certa medida, menos turística, apesar de estar muito perto de vários pontos turísticos.

O tema é hospedagem:

+ Hospedagem em Portugal

Fizemos check-in, deixamos as bagagens no hotel e fomos explorar mais um bocadinho da cidade. Primeiro, contudo, buscamos um lugar para almoçar, pois a fome a esta altura já estava gritando desesperada.

Restaurante Poveiros para uma Francesinha

Restaurante Poveiros

Restaurante Poveiros

O interior do Restaurante Poveiros

Vimos o Restaurante Poveiros, especialista, dizia sua fachada, em francesinhas e bifanas (carne de porco, cozidas à base de vinha d’alhos, que se põem dentro de pão aquecido).  Estava vazio, mas fazia sentido uma vez que eram 16 horas.

Entramos, não esperando nada do lugar. O interior era simples, com cara de lanchonete, até moderna para os padrões portugueses que tinha encontrado até então, em contraste absoluto com a fachada, aí sim, mais a cara do país.

O atendimento foi excelente: simpático, sorridente, conversador e principalmente muito eficiente. Léo e eu escolhemos a mesma coisa: francesinha tradicional, sem ovo e sem batata frita. Cada sanduíche custou 5,95 euros e a taça de vinho da casa custou 0,90 cêntimos de euro.

Devo dizer que foi a melhor, a mais saborosa francesinha que eu comi no Porto.

Entretanto, esta iguaria não entrou na lista de meus pratos preferidos por duas razões: é um sanduíche muita pesado para mim, que não costumo comer embutidos e me incomoda a textura do pão embebido em caldo.

Soube apenas depois que eu deixei Portugal que poderia ter pedido o molho à parte.

Experimentá-la pela segunda vez só confirmou minhas primeiras impressões: gostosa, mas uma explosão de gordura.

Mais informações sobre o clássico portuense:

+ Francesinha

De barriga bem cheia, partimos para conhecer mais do rico interior do Porto. Estava mais que pronta para deixar meus sentimentos voarem absolutamente livres, me inundando dessa cidade que entrou sem pedir licença alguma em meu coração e se espalhou sem cerimônia.

Eu não tive a menor chance de me rebelar contra este amor fulminante.

Endereço:

Rua de Passos Manuel 249-257

Este texto não é resultado de parceria de nenhuma natureza sendo bem ao contrário disso, fruto de nossos gostos e escolhas pessoais.

Gostou desse texto?! Salve-o em seu Pinterest!

Sugestão de onde comer um dos clássicos da gastronomia do Porto: a francesinha!

By |2018-03-07T01:06:30+00:0025/07/2017|Categories: Porto|Tags: , |3 Comentários

3 Comments

  1. maytescaravelli 26/07/2017 em 15:16 - Responder

    Paixão é isso não é mesmo? Entra sem pedir licença e se instala, aconteceu comigo também e bem em Portugal rsrs…

    Mas também não morri de amores pela francesinha, embora não consigo compreender como pode pedir sem ovo (ovo com pão é o melhor prato que existe rsrsrs) mas compreendo 100% a ideia de não aceitar muito o pão mergulhado no molho, eu também não curti essa ideia e confesso que nem passou pela cabeça pedir sem rsrs.

    Ana e seus restaurantes sem esperança alguma e PÁ uma grata surpresa! Prova viva de que não adianta querer planejar tudo não é mesmo?

    • Analuiza Carvalho 27/07/2017 em 07:22 - Responder

      Ah!!! Eu amo quando as cidades me surpreendem, derrubam os meus conceitos e preconceitos, me mostram outros panoramas e me derrubam de tanto amor! Dá uma sensação boa, que carrego comigo de volta para casa, junto com saudades! 🙂

      Eu também amo pão com ovo! Muito, mas para mim, a tradicional já era enoooorrrmmeee. Muito mais do que costumo comer! rsrsrs Agora já sabemos que podemos pedir o molho da francesinha separado! rsrsrs

      A gente planeja a espinha dorsal da viagem. O resto entregamos ao acaso (que vai nos proteger). Principalmente no quesito restaurante, gosto de me deixar levar. Passo em frente, vou olhando e entro… Gosto das surpresas. rsrsrs Mas aceito sugestões. ehehehe beijocas Maytê!

  2. […] + Francesinha: clássico dos clássicos da gastronomia portuense […]

Deixar Um Comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.