PRIMEIROS contatos com QUIOTO:

Depois de uma ótima noite de sono no Karasuma Kyoto Hotel, estávamos prontos para entabularmos nossos primeiros contatos com Quioto.

Começamos o dia tomando café da manhã na cafeteria americana Starbucks, que ficava colado com nosso hotel e ali percebemos que nosso relacionamento com a cidade seria na base de muito suor, risadas e histórias para contar na volta para casa.

O café da manhã

primeiros contatos com quioto

Painel Starbucks

A atendente levou cerca de 10 minutos para entender quais eram os nossos pedidos de café, pois, apesar dos nomes estarem em japonês e inglês no painel, ela não entendia a pronúncia, pois não falava inglês. Depois de muita mímica e dedinhos apontando para o painel, conseguimos o que queríamos.

A aparência da Starbucks era a tradicional, mas a comida servida em nada se parecia com a que encontramos em outras cidades pelo mundo. Eu escolhi um salgado com mais ou menos 15 itens dentro, dos quais eu não identifiquei nenhum: nem pela aparência e muito menos pelo sabor. Não estava ruim, contudo.

Nas manhãs seguintes, tomamos o café da manhã no mercadinho, uma esquina depois, onde a comida era mais saborosa e significativamente mais barata.

Posto de Informação Turística e Shijo-Dori

primeiros contatos com quioto

Do Karasuma Kyoto Hotel ao Posto de Informação Turística e Shijo-Dori

primeiros contatos com quioto

Senhor que gentilmente nos atendeu no Posto de Informação Turística em Quioto

primeiros contatos com quioto

Mapa de Quioto

Estávamos muito próximos da Shijo-Dori, a principal rua da cidade e assim, após o café da manhã, nós seguimos para lá, em busca de um posto de informações turísticas. Um senhor, cheio de muita simpatia, nos atendeu.

Usando um inglês com forte acento japonês, meio truncado, munido de extrema paciência e gentileza, ele respondeu a todas as nossas perguntas e nos ajudou bastante com informações sobre a cidade, além de nos dar um mapa.

Compramos ainda o Bus Day Pass que nos dava direito a ilimitadas viagens de ônibus durante aquele dia todo. O JRP – Japan Rail Pass não cobria as viagens de ônibus e em verdade ele tinha pouca utilidade dentro de Kyoto.

Comprar o passe diário de ônibus saiu mais barato que comprar passagens simples, uma vez que queríamos visitar alguns templos e usaríamos o busão algumas vezes. Basta validar no primeiro uso para que a data seja registrada. Nas viagens seguintes, é só mostrar o passe ao condutor.

Primeiros contatos com Quioto: câmbio, suor e risadas

primeiros contatos com quioto

Shijo-Dori

primeiros contatos com quioto

Shijo-Dori

Continuamos então pela região de Shijo-Dori, dessa vez em busca de um banco ou casa de câmbio para trocarmos dólares por ienes. Não sei por que não pedimos indicação no posto de informação turística, fato é que todo banco que nos deparávamos estava fechado.

Até que encontramos um guarda na porta de um desses bancos e perguntamos a ele em inglês e com o auxílio de muita mímica onde tinha um banco aberto. Foi uma das coisas mais divertidas e fofas que já vi na vida.

Ele corou, colocou os dedos na têmpora apertando-a fortemente como se pudesse extrair dali alguma palavra em inglês, fazia careta, levantava o pé, balbuciava em japonês e desenhava alguns rabiscos no ar tentando lembrar os termos correlatos em inglês.

Foi muito bonitinho e em nenhum momento ele deu mostras de impaciência ou desistiu de nós. Levamos cerca de 20 minutos nessa suadeira até que compreendemos que os bancos estavam fechados naquela sexta-feira. Poxa, que azar! Feriado no país, perguntamos, mas aí já era demais para ele entender e o deixamos em paz.

Meio sem saber o que fazer, já que não tínhamos dinheiro japonês para nada continuamos caminhando pensando em voltar ao posto de informação turística em busca de ajuda. Por sorte achamos uma casa de câmbio na Shijo-Dori mesmo, dentro de um mercado e a atendente falava inglês.

Trocamos o dinheiro e curiosos perguntamos qual a razão dos bancos estarem fechados, querendo saber se era feriado na cidade ou no país. Ela respondeu que não, que era costume no Japão os bancos não abrirem aos sábados.

No Brasil também não, respondemos, mas hoje é sexta-feira! Ela riu e disse que não, que já era sábado! Estávamos mesmo muito atrapalhados com aquele fuso e a longa jornada que nos levou do Brasil ao Japão. Foi só ai que ajustamos o calendário.

Depois de passarmos a manhã inteira nessa peregrinação, era finalmente hora de começarmos a conhecer melhor a cidade imperial e assim, pegamos o ônibus para o nosso primeiro ponto de parada: o Pavilhão Dourado.

Você pode salvar este texto no seu Pinterest.

Nossos primeiros momentos em Quioto no Japão envolveram certo suor, pessoas gentis e simpáticas e risadas.

By |2018-03-07T01:06:51+00:0018/06/2017|Categories: Quioto|Tags: |19 Comentários

19 Comments

  1. Klécia Cassemiro 19/06/2017 em 18:39 - Responder

    Ana, não consegui evitar a gargalhada quando finalmente entendi o que estava acontecendo. Bendito Jet lag! Também ri muito ao imaginar o guarda com a mão na tempora, tentando ‘fazer acontecer’ a comunicação. É um mundo tão diverso do nosso, que as coisas mínimas viram grandes conquistas e rendem ótimas histórias! Adorando passear no Japão com você! 🙂

    • Analuiza Carvalho 20/06/2017 em 01:58 - Responder

      oi Klécia… que bom que está gostando! Eu estou adorando relembrar estas histórias que vivemos no Japão. São várias! É isso mesmo: até uma coisa trivial como pedir uma informação vira uma historia de viagem! Nos rendeu suor e muitas, muitas risadas! rsrsrsr beijocas

  2. amamelo 20/06/2017 em 02:26 - Responder

    Kkk

  3. amamelo 20/06/2017 em 02:33 - Responder

    Que comédia!! Difícil não conseguir fazer nada por causa da língua né? Mas pelo menos eles são esforçados!!!

    • Analuiza Carvalho 20/06/2017 em 02:38 - Responder

      Menina!!! É difícil mesmo! rsrsrsrs Mas a gente vai se virando e colecionando boas histórias!!! Trouxemos muitas dessa viagem ao Japão!!!! Vou contando aos poucos! beijos

  4. Oscar Risch - www.viajoteca.com 20/06/2017 em 14:41 - Responder

    hahaha.. Essas mudanças de horário realmente nos deixam conFUSOS.. O povo japonês é muito simpático!! Se fosse na China a história seria diferente.. haha

    • Analuiza Carvalho 20/06/2017 em 17:14 - Responder

      Já ouvi falar que os chineses não são assim tão gentis, receptivos ou simpáticos… Um dia vou ver de perto! ehehe

  5. Diego Arena 21/06/2017 em 14:18 - Responder

    Kkkkk. Essas diferenças de fuso nos pegam as vezes né.
    Kyoto deve ser interessantíssima. Quero conhecer uma hora.

    • Analuiza Carvalho 21/06/2017 em 16:19 - Responder

      Pois é Diego… Deixam a gente fora do ar e fazemos estas bobagens ai. ahahahaha Sim, Quioto é muito interessante e tem muito para descobrirmos dessa velha cidade. 🙂

  6. […] no Posto de Informação Turística o Bus Day Pass em Quioto – o passe diário de ônibus e o usamos pela primeira vez para […]

  7. Eloah Cristina 17/07/2017 em 10:49 - Responder

    Fuso pega, né?
    Legal ler esse seu primeiro contato.

  8. Amanda Saviano 17/07/2017 em 13:49 - Responder

    Morro de vontade de ir ao Japão! Sou mestiça e acredito que me divertiria muito no país, assim como vcs! Adorei o relato! =)

    • Analuiza Carvalho 22/07/2017 em 18:20 - Responder

      É verdade Amanda… acho que esse componente pode gerar várias histórias bacanas e interessantes. Um parecer, sem parecer! rsrsr bj

  9. Carolina Belo 18/07/2017 em 23:01 - Responder

    Oi Analuiza!!! Realmente, Quioto gerou muitas risadas não só para vocês, que vivenciaram a situação, como também para quem leu este post! Imagino o drama que foi tentar pedir o café da manhã para uma pessoa que não entendia Inglês. Passei um drama assim em Istambul e, por isso, tive que rir nessa parte…
    Realmente, o fuso deixou vocês bem confusos, ne? Imagino que deva ser realmente uma looooonga jornada e que deva confundir a mente mesmo…
    Parabéns pelo post!!! Um super beijo e até a próxima!!!
    Carolina

    • Analuiza Carvalho 25/07/2017 em 19:15 - Responder

      Oi Carol… esse negócio de fuso é fogo mesmo!!! rsrsrs Pois é, menina, a comunicação lá é bem difícil e isso gera um monte de histórias engraçadas e outras tantas curiosas! rsrsrsrs bjs Istambul?! Quero saber mais! 🙂 bj

  10. O Japão é um dos locais que tenho mesmo muita vontade em ir… Espero que consiga ir em breve!!

    • Analuiza Carvalho 24/07/2017 em 15:16 - Responder

      Catarina, estou na torcida! Tenho certeza que trarás lindas e interessantes histórias para nós! 🙂 bj

  11. […] Fuso e comunicação em Quioto […]

Deixar Um Comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.