Pelas RUAS do MUNDO como observadores e PERSONAGENS

Pelas ruas do mundo: para mim, elas representam um emaranhado de possibilidades, onde recebo a todo instante torrentes de informações nos mais variados formatos, quando estou ali, inserida em seu traçado, como mais um ponto vivo.

Os mapas de uma cidade me intrigam. Aqueles riscados, ruas que se interligam formando um desenho urbano. As ruas carregam parte da história das urbes, de seu funcionamento, de seu desenvolvimento, de seu crescimento.

As ruas dizem muito sobre a cultura de um povo.

Muitas vezes elas têm nomes de mortos, aqueles que deixaram sua marca na cidade.

Outras tantas vezes os nomes das ruas nos dizem muito sobre o passado do lugar, onde e como as pessoas viviam. Estar nelas é um voltar a este passado, mergulhar nas brumas sussurrantes das trajetórias das cidades.

Estar pelas ruas do mundo é nos permitirmos encontros: com a vida cotidiana, com os estranhos, com a energia que pulsa e caracteriza cada parte de uma cidade.

Quando nos colocamos como personagens das urbes, criamos esboços, desenhos e impressões: os primeiros rascunhos incertos daquele lugar.

Assim, vamos criando, diante da extensão de edifícios, viajando pelas ruas do mundo, a nossa relação com as cidades: particular, individual, vívida e variável! Legítimas!

TOP 5

O TOP 5 deste mês fala sobre ruas. As ruas que percorremos. As ruas que mexeram conosco. Ruas, ruas, ruas. Pelas ruas do mundo por onde andamos.

Além de mim, Ana, estão também nessa jornada a Klécia do blog Fui Ser Viajante, a Maytê do blog Passaporte com Pimenta, e a Juliana do blog Turistando.in.

Cada uma de nós vai revelar, e contar os motivos, algumas, e só algumas, de nossas ruas preferidas neste lindo, vasto e complexo mundo.

Estas ruas nos marcaram, saquearam nossos pensamentos e deixaram em nossos espíritos as mais doces (ou não) memórias.

Desejo que nós quatro possamos te inspirar, te fazer suspirar e que estas ruas entrem na lista desejo de todos vocês!

A seguir, pelas ruas do mundo!

Nevsky Prospekt, São Petersburgo, Rússia

Pelas ruas do mundo

Caminhando pela Nevsk Prospekt

Pelas ruas do mundo

Tomando o delicioso chá russo. A movimentação da Nevsky.

Comecemos nossa jornada pela principal avenida de São Petersburgo, a Nevsky Prospekt: uma das mais bonitas ruas  por onde eu já passei. Esta artéria russa pulsa vigorosamente!

Idealizada por Pedro, o grande, ela era o caminho para Moscou e também para Novgorod. Sua arquitetura é impressionantemente bonita! Para amplificar ainda mais seu explícito encanto, ela é cortada pelo Rio Neva.

Caminhar por ela é se permitir entrar em contato com toda a exuberância dessa cidade. Ela abriga cafeterias, belos edifícios, livrarias e lojas de todo tipo, além de maravihosas igrejas como a de Nossa Senhora de Kazan.

Durante um domingo de sol pálido do verão russo, nós flanamos por ela, sem rumo ou pressa, nos misturando aos russos. A rua estava muito movimentada, com transeuntes subindo e descendo, em grupos ou sozinhos, tirando fotos e conversando.

Tomamos chá, fuçamos livros (mesmo não falando nadica de nada de russo) e ainda entramos na loja do Zenit, time de futebol local, onde Léo comprou a camisa.

O nome desta rua cheia de formosura se deve ao Príncipe Alexander Yaroslavich, cujo apelido Nevsky vem da vitória sobre os suecos, lá no século XIII, conhecida como batalha de Neva.

Após sua morte Nevsky foi canonizado e já sob o reinado de Pedro, muitos séculos depois, suas relíquias sagradas – restos mortais – foram trasladadas para o mosteiro Alexander Nevsky, onde termina esta bela rua, ponto no qual acreditava-se a referida batalha havia ocorrido.

Contudo, em verdade, ela aconteceu cerca de 20 quilômetros de distância do monastério.

Sanmachi Suji em Takayama no Japão

Pelas ruas do mundo

Sanmachi Suji – ar feudal

Pelas ruas do mundo

Na Sanmachi Suji em um dia frio

Pelas ruas do mundo

Tour degustação de saquê

Viajemos então para Takayama, a cidade mais bonita que visitei no Japão. Cercada por montanhas verdejantes, ela conserva seu ar feudal. Repleta de santuários e casas de madeira, Takayama é prodigiosa na arte de produzir  (extraordinários) utensílios de cozinha.

Percorremos Sanmachi Suji, sua principal rua, em um gelado dia do fim do outono japonês. Ela estava deserta e silenciosa e pertencia somente a nós dois: Léo e eu. Eu me senti absolutamente feliz naquela caminhada.

Margeando esta modesta, e atraente, rua estão diversas casas que comercializam os famosos saquês da região, cuja qualidade da bebida é atribuída às águas puras que correm por aqueles lados.

Nós fizemos então um tour degustação, entrando de casa em casa, onde Léo foi experimentando shots dos mais variados tipos de saquê (mediante pagamento, claro) enquanto eu aproveitava para observar a estrutura das casas japonesas.

Até hoje me recordo da energia sossegada daquela manhã em Takayama.

Calle La Concordia, Havana, Cuba

Pelas ruas do mundo

Calle La Concordia

Vamos dar então um pulinhdo ali em Cuba, mais precisamente em Havana, na calle La Concordia, rua pela qual eu caí de amores desde o primeiro pisar de pés.

Eu não esperava sentir tamanho impacto por esta rua.

A sensação que eu tinha ao caminhar pela calle La Concordia, naqueles mui distantes dias, anos e anos e anos atrás, é que a vida cubana de desenrolava bem ali, naquela reta de mais ou menos 1 quilômetro. Havia uma energia sempre pulsante por ali.

A rua era suja, os edifícios clamavam por reformas, as pessoas se falavam aos gritos, as crianças jogavam bola, senhores jogavam conversa fora nas calçadas, carros de anos já esquecidos estavam estacionados, as janelas das casas viviam abertas… vida sendo vivida. Aquilo tudo me prendia, me hipnotizava.

A rua La Concordia estava sempre meio deserta, com poucas pessoas, trânsito quase inexistente. O calor era sempre sufocante e eu buscava constantemente o abrigo das marquises.

Lembro-me particularmente de uma cena: uma senhora gritando embaixo de um edifício por Maria em altos brados – “Mariiiiaaa… Mariiiiiiiaaaaaaaaaa…”. A cada grito levantava os braços. Sua voz até hoje ecoa em meus ouvidos. Não sei o que Maria estava fazendo, mas não apareceu na janela.

Caminhei tantas e tantas vezes por La Concordia que tenho certeza que ainda hoje tem um bocadinho de minha energia por ali. Um dia, eu gostaria de voltar para rever Cuba e seus novos caminhos trilhados.

O Malecón de Havana também me deixou deveras encantada. Aqui vi belíssimo por do sol:

+ Malecón de Havana

Miccaotli  – Calzada de los muertos, Teotihuacan, México

Pelas ruas do mundo

Calzada de los muertos – vista em toda sua magnitude desde a Pirâmide da Lua

Pelas ruas do mundo

Calzada de los muertos – caminhando por ela

Pelas ruas do mundo

Calzada de los muertos vista desde a Pirâmide do Sol

Vamos então fazer uma visitinha ao México. Entremos no espetacular sítio arqueológico Teotihuacan, um dos lugares mais sensacionais que já visitei.

Quando lá estivemos, fazia um calor insuportável, indecente até, eu diria, e não havia área de sombra. Eu estava de jeans, camiseta preta e sofria muito. Ainda assim, eu não conseguia abandonar aquele lugar.

Foram os mexicas que deram este nome a esta espetacular rua – calzada de los muertos – pois ao chegarem a Teotihuacan, o lugar já estava deserto e abandonado (um dos mistérios da humanidade). Eles acharam então que as pequenas estruturas ao longo do caminho eram covas, daí o nome.

Muitos prédios importantes estão ao longo da calzada de los muertos, como as Pirâmides do Sol e da Lua. Com 2 quilômetros de comprimento e 40 metros de largura, atravessando toda a cidade sagrada de Teotihuacan, a rua impressiona!

Lembro-me perfeitamente de ter subido na Pirâmide do Sol e ao sentar-me de frente para esta grandiosa avenida eu vi os guerreiros teotihuacanos caminhando por ali e um comércio com verduras expostas no chão em alguns pontos da orla da calçada.

Curioso, intrigante, doido!

Gran Canale, Veneza, Itália

Pelas ruas do mundo

Chegando em Veneza de trem na Estação Santa Lucía: primeira impressão do Gran Canale, marcante

Pelas ruas do mundo

O Gran Canale

Pelas ruas do mundo

Romantismo no Gran Canale

Pelas ruas do mundo

Passeio noturno de vaporetto no Gran Canale

Por fim, chegamos em nosso último destino: Veneza! Uma terra de artérias incomuns com desenho único e particular. Veneza é um lugar extraordinário! Ruas que são na verdade canais! Canais que são ruas!

Recordo plenamente  de quando vi o Gran Canale, chamado pelos venezianos de Canalazzo, pela primeira vez. Saí da estação de trem Santa Lucía e me deparei com aquele cenário espetacular, fabuloso! Fiquei estupefata! Boquiaberta.

Pegamos ali mesmo o vaporetto, o ônibus de Veneza e à medida que ele avançava, eu me sentia mais e mais enlevada por aquela cidade inusitada. À medida que deslizávamos pelo Canal Grande, com intenso tráfego, fomos admirando antigos edifícios, palácios belíssimos, igrejas…

Esta diferente e curiosa rua de água, a principal de Veneza, é curvilínea, tem formato de “S” invertido. É longa: possui quase 4 quilômetros de comprimento, mas é rasa.

Quatro charmosas pontes cruzam o Gran Canale: a Constituzione, Iscalzi, Rialto – mais famosa e antiga de todas – e dell´Accademia, minha preferida.

Nosso melhor momento foi em nossa última  noite na cidade. Depois de assistirmos a uma ópera em um teatro, que era na verdade um casarão antiquíssimo, resolvemos pegar o vaporetto e navegar pelo canal sem destino algum.

Boa parte de Veneza já dormia, havia uma atmosfera tranquila. Os edifícios estavam  iluminados. O silêncio quase absoluto reinava e fazia frio.

No vaporetto, poucas pessoas, italianos a caminho de suas casas, suponho, desciam em um ponto aqui e colá, enquanto nós íamos ficando. Nós sentamos na área externa e recebemos o vento no rosto, olhando a cidade mergulhada na noite.

Foi um dos momentos mais marcantes que tivemos em Veneza.

Pelas ruas do mundo

Pelas ruas do mundo

Pelas ruas do mundo

Bom, caros viajantes. Aqui termina nosso passeio por algumas belas ruas que constituem este mundão. Eu espero de coração que vocês tenham apreciado.

Gostaria que me contassem se conhecem alguma dessas ruas, o que pensam delas e quais são suas ruas favoritas pelo mundo.

Agora, vamos descobrir quais as ruas favoritas da Klécia, da Maytê e da Ju?!

3 garotas e suas ruas favoritas neste mundão

Pelas ruas do mundo

Somos quatro mulheres apaixonadas por viagens e com muita gana de explorar esse mundão. Cada uma de nós possui um olhar, uma percepção e um perfil de viajante, mas o entusiasmo e fascínio pela descoberta nos une.

Como eu mencionei lá no início, esse post é resultado de uma blogagem coletiva. Logo aqui abaixo, estão cinco das ruas preferidas de cada uma dessas lindas meninas:

A Klécia do blog Fui Ser Viajante nos fala sobre “Top 5 ruas mais charmosas do Rio de Janeiro

A Maytê do Passaporte com Pimenta nos mostra “5 ruas de Barcelona que você tem que passar

A Juliana do Turistando.in escreveu “Top5: 5 ruas interessantes em Berlim

Entre. Viaje com elas. Comente! Adoramos receber recados!

Esta blogagem acontecerá todo final de mês, com temas variados. Em Outubro teremos outro TOP 5!

Quer conhecer cidades maravilhosas, destinos de viagem sensacionais?! Então clica no link bem aqui abaixo!Cais da Ilha de Genebra

+ Cidades Preferidas Mundo Afora

Venha espiar este mundão lindo comigo pelas redes sociais. 

Siga o Espiando pelo MundoFacebookInstagramTwitter e Google+

#ruas #cidades #viajar #espiandopelomundo #viajantesempressa              #ruas #cidades #viajar #espiandopelomundo #viajantesempressa

Clicando em qualquer uma das duas imagens logo aqui acima Cais da Ilha de Genebrao texto  pelas ruas do mundo ficará guardado em seu perfil no  Pinterest. 🙂

Para mais inspirações e histórias de viagem siga o perfil do Espiando pelo Mundo no Pinterest.

Pelas ruas do mundo

Se você, meu caro viajante, gostou de passear comigo pelas ruas do mundo compartilhe em suas redes sociais para que os amigos leiam também! 🙂 

Os botões de compartilhamento estão aqui abaixo.

Cais da Ilha de Genebra

 

By |2018-08-13T09:08:31+00:0030/09/2017|Categories: A Arte de Viajar|Tags: |35 Comentários

35 Comments

  1. […] Analuiza do blog Espiando pelo Mundo foi poética e nos mostra ruas do mundo nas quais ela foi observadora e personagem […]

  2. Marianne 30/09/2017 em 13:21 - Responder

    Que demais esse post! Também sou apaixonada por ruas! Quando perguntam porque eu nunca faço cruzeiro ou fico em resort a resposta é sempre elas: as ruas! Gosto de caminhar e me perder por elas, de conhecer cada esquina do lugar, cada história que se passou naqueles cruzamentos!

    • Analuiza Carvalho 30/09/2017 em 21:49 - Responder

      É exatamente isso Marianne… respondo a mesma coisa. Quando viajo Resorts e cruzeiros estão longe de ser opção, pois gosto de me misturar às ruas e ao seu movimento! 🙂 beijinhos

  3. Camila Lisbôa 30/09/2017 em 16:00 - Responder

    Que legal essa ideia de blogagem coletiva de vocês! Fiquei aqui encafifada com quais seriam as minhas ruas preferidas, viu… vou perder umas horinhas nessa duvida ‘cruel’ 🙂

    • Analuiza Carvalho 01/10/2017 em 08:31 - Responder

      oi Camila… Obrigada! Foi difícil mesmo escolher apenas 5 ruas, dentre tantas e tantas que já percorri por este mundo e que me encantaram por uma outra razão! rsrsrs Esta lista contudo foi bem marcante para mim. 🙂

      Me conte quais foram as suas ruas favoritas no mundo quando chegar a alguma conclusão! 🙂 bjs

  4. Gabriela Torrezani 01/10/2017 em 07:56 - Responder

    Que post interessante! Parei para pensar em muitas ruas e avenidas que marcaram minha vida ou viagens. Posso dizer que nesse momento sou apaixonada pela rua onde moramos aqui em Barcelona, avenida Mistral rs . Nao quero nunca mais sair daqui.

  5. Pedro Henriques 01/10/2017 em 12:36 - Responder

    Muito interessante este artigo, uma abordagem diferente onde a história e o papel urbanístico das ruas é tido em conta. Infelizmente desta lista só conheço a calle La Concordia em Havana. Tenho mesmo que arranjar um tempo para visitar as outras quatro, e que a primeira seja em São Petersburgo!

    • Analuiza Carvalho 02/10/2017 em 11:12 - Responder

      oi Pedro… fiquei muito feliz em notar que percebestes as nuances do texto! 🙂 Na torcida para que você vá a Rússia logo: é um país incrível!!!! bjs

  6. Alessandra Fratus 01/10/2017 em 14:27 - Responder

    Adorei esse post. Também sou fascinada pelas ruas das cidades pelo mundo. É ali que a gente consegue se conectar à história e ao que acontece em todo lugar, né?! Adorei esse projeto. Parabéns!

    • Analuiza Carvalho 01/10/2017 em 23:15 - Responder

      oi Alessandra… que bom que você gostou. Eu adoro este projeto com as meninas! 🙂

      Eu também sou uma apaixonada pelas ruas, uma maneira especial de nos conectarmos às cidades. bjus

  7. Há muitas ruas especiais e sinceramente por vezes nem consigo dizer bem porquê. Recordei logo algums que gostei particularmente 🙂 Bem interessante estas que falou!

  8. Robba Caravieri 02/10/2017 em 11:40 - Responder

    Que delícia de texto! eu sou desses que fica pelas ruas, observando o movimento, os carros, as pessoas, os comportamentos… é delicioso né? Arrasou nas dicas! Meus parabéns!

    • Analuiza Carvalho 02/10/2017 em 15:58 - Responder

      Não é mesmo verdade Robba, que este caminhar pelas ruas nos envolve e delicia?! 🙂 bj

  9. Amanda Saviano 03/10/2017 em 04:47 - Responder

    Concordo, as ruas dizem muuuuito sobre uma cultura e sua população! De todas do post, só conheço a de Veneza, as outras já estão na minha wishlist! Adorei a criatividade do post!

    • Analuiza Carvalho 03/10/2017 em 06:36 - Responder

      Obrigada Amanda… em meio a tantas ruas maravilhosas do mundo não foi fácil reduzir a uma lista de 5, mas essas que escolhi foram muito marcantes. Na torcida para que você as visite todas! 🙂 bjus

  10. Katarina Holanda 04/10/2017 em 16:52 - Responder

    Que massa, adorei o estilo do post! Amo sair andando pelas ruas das cidades assim e encontrar algumas preferidas <3 Dicas muito legais! 😀

    • Analuiza Carvalho 04/10/2017 em 21:55 - Responder

      oi Katarina… que bom que você gostou! Fico muito feliz em saber disso! Caminhar pelas cidades é uma programa dos mais agradáveis né?! beijinhos

  11. Klécia Cassemiro 06/10/2017 em 19:51 - Responder

    Aninha,achei engraçado que você não escolheu nenhuma rua de um lugar que eu conheça – na verdade, quase todos os país que você escolheu eu ainda nem coloquei os pés – já fui na linda Itália, mas não conheço Veneza. Isso só me faz pensar quanto do mundo ainda me falta conhecer. Da sua lista, minhas prioridades são a Russia: imagino que San Petersbusgo deva ser encantadora, e conhecer sua artéria pulsante me soou muito convidativo. E A calle de la concórdia, em Havana, é poética o suficiente para me fazer suspirar desde já 🙂

    • Analuiza Carvalho 10/10/2017 em 07:07 - Responder

      oi Klécia… o mundo é mesmo muito grande e eu espero gastar ainda muita sola de sapato por ai, caminhando pelas ruas de várias cidades! 🙂

      Cuba e Rússia são dois países que deixam fortes impressões nos visitantes, por razões múltiplas, variadas e pessoais. Na torcida para que você conheça logo estes países! 🙂 bjinhos

  12. Juliana Moreti 12/10/2017 em 00:14 - Responder

    Quantas ruas lindas e que nunca as vi pessoalmente… Nevsky super viva (aquele homão na capa é o Beckham?), Sanmachi Suji super silenciosa, La Concordia super barulhenta (cadê a Maria????), a Calzada de los muertos um quase inferno (vc està com o rosto super vermelho… senti calor de ver a foto) e
    Ufa…. e por fim, achei Venezia… uma rua que pisei (ops) para poder dizer: Ah…. essa aì eu fui!

    Cheguei em Veneza às 6 da manhã, depois de uma loucura super cabaçal (que talvez valha a pena uma curta història). Morrìamos de sono e fome e não sabìamos o que fazer. Me lembro apenas de estar sentada na frente do canal, comendo um cornetto alla cioccolata e ser surpreendida com o Thiago me filmando e tirando algum barato de mim e dos italianos (foi naquela mesma viagem que ele me aguardou em Turim – preciso rever aqueles videos).

    Veneza é uma das cidades mais vivas que visitei, daquelas que você não tromba 2x nem com a mesma pessoa e nem com a mesma loja. E a gente também pegou um vaporetto a noite, sem rumo. No meio do caminho passou um carro de polìcia… quero dizer, um barquinho da polìcia! Unico som naquele momento!

    Ah…. e quando fui, a ponte della Costituizione, do Calatrava, estava em construção. Eu não a vi. Era a degli Scalzi que nos levava para o resto da ilha….

    • Analuiza Carvalho 19/10/2017 em 07:55 - Responder

      oi Ju… Veneza de fato é um exemplar único de cidade; uma das mais impressionantes que já visitei! Concordo contigo que ela é muito viva, por isso foi tão intenso para mim estar no Vaporetto à noite, mergulhada no silêncio, sentindo a cidade de outra maneira!

      Eu acho que você devia, não só resgatar os vídeos, como todas as histórias suas e do Thiago: devia ter uma sessão no Turistando.in: dois viajante e um amor! rsrsr Bjus

  13. Mariana Bueno 28/06/2018 em 15:32 - Responder

    Que delícia esse post! Uma das coisas que mais gosto em viagens é andar a pé e “me perder” pelas ruas. Acho que é a melhor forma de conhecer os lugares como eles são. Dessa sua lista conheço Havana e Veneza. Cada uma com seu charme!

    • Analuiza Carvalho 04/07/2018 em 12:14 - Responder

      oi Mari… eu também. Os caminhos me interessam tanto quanto os destinos. Andar a pé e sentir uma cidade é das melhores coisas que existem. 🙂 bjus

  14. Nana 28/06/2018 em 18:24 - Responder

    Adorei o post!! As ruas de havana me deram muita vontade de conhecer!!! incrivel!

    • Analuiza Carvalho 03/07/2018 em 09:22 - Responder

      oi Nana… que bom que gostou! Havana tem uma energia poderosa; quando for, perca-se por suas ruas, ande muito! 🙂 bj

  15. Katarina 29/06/2018 em 07:37 - Responder

    Que texto mais lindo, Analuiza. Também me sinto assim com os mapas das cidades <3 A rua Nevsky Prospekt me lembrou muito uma que eu amo aqui em Varsóvia, a Nowy Świat, é linda!

    • Analuiza Carvalho 03/07/2018 em 10:24 - Responder

      oi Katarina… obrigada, fico feliz que tenha gostado porque me deu muito prazer escrever este texto. 🙂 Sabe que tenho vontade de conhecer Varsóvia e que saber que tem uma rua linda assim, me motiva ainda mais?! 🙂 bjs

  16. Priscila 29/06/2018 em 11:32 - Responder

    Achei muito interessante a ideia de vocês de compartilharem as ruas pelo mundo. Às vezes assamos por tantas na correria e nem paramos para observar com calma. Parabéns pelo post!

    • Analuiza Carvalho 04/07/2018 em 12:12 - Responder

      oi Priscila, tem razão. Muitas vezes em nossa correria esquecemos de observar os caminhos né?! E olhe que eles costumam ser bonitos e atraentes. Fico feliz em saber que você gostou do texto! 🙂 bj

  17. Lulu Freitas 02/07/2018 em 13:07 - Responder

    Que linda seleção de ruas e lugares. Uma coisa que me intriga muito são nomes de ruas. Quem é aquela pessoa: Ou porque tem esse nome? Sempre é algo que chame a minha atenção. De todas as suas escolhas, Veneza é a mais diferente e apaixonante. Uma mistura, quase um labirinto de água e terra que são quase uma coisa só de tão intrínseca a relação.

    • Analuiza Carvalho 06/07/2018 em 09:24 - Responder

      oi Lulu… eu também tenho muita curiosidade sobre os nomes das ruas. Sempre que possível vou em busca de suas origens e quase sempre o nome me revela maravilhosas histórias a respeito daquele local! 🙂 bj

  18. Vanessa Orfao 08/07/2018 em 14:09 - Responder

    Nossa, vamos sempre viajar e nunca pensamos nisso! O quanto aquela rua representa da cultura do local ou da história do país. Vocês colocaram ruas lindas, todas que ainda não conheçam e que deixaram um gostinho de “quero conhecer esse local”. Pensando em uma das viagens que estive, uma das ruas que mais gostei foi a Victoria Street, em Edinburgo na Escócia. Que foi construída por Thomas Hamilton para substituir uma das principais vias da cidade. Com seus prédios coloridos, lojas de todos os tamanhos, paralepípedos e arcos notáveis, não foi atoa que serviu de inspiração para o Beco Diagonal de Harry Portter.

    • Analuiza Carvalho 09/07/2018 em 09:46 - Responder

      oi Vanessa… as ruas me fascinam muito! Sempre que possível busco conhecer as histórias que falam delas. Fico feliz que tenhas gostado do texto. Tenho muita vontade de conhecer Escócia; bom saber que lá tem esta rua e colorida e que inspirou o Beco Diagonal! Informação anotada! Obrigada. bjus

Deixar Um Comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.