Passeando por MATOSINHOS

Eu nunca tinha ouvido falar de Matosinhos até Léo decidir correr a Maratona do Porto. Tanto a largada quanto a chegada saíam de lá, embora a maior parte do percurso fosse pela cidade do Porto. Fato é, que eu passei um domingo delicioso passeando por Matosinhos, enquanto Léo suava a camisa.

Pegamos o metrô cedo no Porto e chegamos a Matosinhos mais de 1 hora antes do início da corrida. Eu me deixei ficar com o Léo até a hora da largada da maratona, contagiada com a energia dos corredores e torcedores. Em seguida fui conhecer Matosinhos.

Veja como ir do Porto à Matosinhos:

O dia em Matosinhos

Passeando por Matosinhos

Paisagem lúdica em Matosinhos

Passeando por Matosinhos

Passeando por Matosinhos

Eu não tinha muitas pretensões a respeito de Matosinhos. Queria apenas caminhar. Estava um belíssimo dia de outono, com céu muito azul e sol intenso e temperatura abaixo dos 10 graus. Comecei caminhando pela praia.

A orla estava pouco movimentada, mas havia crianças brincando, andando de bicicleta, casais de idosos passeando com cachorros, gente de toda idade andando de patins e skate.

O mar estava em uma belíssima tonalidade de azul, mas não havia quase ninguém na areia. Barquinhos navegavam formando lúdica paisagem. Caminhei sem pressa e sem percurso definido.

Cheguei ao monumento de mais ou menos 3 metros de altura, com seis figuras, que ilustra uma passagem trágica que aconteceu alguns anos atrás na cidade.

A Tragédia de Matosinhos

Passeando por Matosinhos

Tragédia no Mar

Em fins de 1947 o dia estava cinzento feito chumbo, carregado, embora não chovesse. Algumas traineiras que saíram a pescar voltaram quase vazias naquele dia.

Entretanto, no meio da manhã, aportou uma traineira carregada de sardinhas, o que motivou os mestres das embarcações a chamarem seus homens a voltarem para a pesca. O medo da fome superou o medo de um mau tempo. À tarde, quando zarparam, o tempo havia melhorado.

Algumas horas depois, porém, tudo mudou subitamente: o céu escureceu, caiu forte temporal e o mar ficou furioso, com altíssimas ondas, parecendo querer a tudo engolir. As traineiras e seus tripulantes de tudo fizeram para encontrar um local seguro.

Muitas se salvaram, mas quatro delas pereceram: o mar levou consigo 152 tripulantes.

A população de Matosinhos quando se deu conta de que alguma coisa estava errada saiu de suas casas para o cais. Mulheres, crianças, idosos corriam de um lado a outro em profundo desespero e aos gritos, mergulhados na escuridão da madrugada. A tragédia deixou 71 viúvas e 152 órfãos.

A desdita marcou Matosinhos para sempre e até hoje aqueles que ainda vivem, têm guardado na memória os gritos, a agonia e a dor daquela noite com cheiro de sal e morte.

A escultura de autoria de José João Brito (2005), traz a aflição das viúvas e órfãos estampada em seus rostos. É forte e nos leva a sentir, ligeiramente apenas, a energia de angustia e tristeza daquela noite de 1947.

Café, pastel de nata, sol e brisa do mar

Passeando por Matosinhos

Café pastel de nata, sol e brisa do mar

Passeando por Matosinhos

Bista Mar Café Esplanada

Para amenizar esta volta a um triste passado recente da cidade, fui tomar um café e comer um pastel de nata, enquanto apreciava o preguiçoso despertar daquela cidade.

Escolhi o Bista Mar Café Esplanada – Av. da República, 8 – porque de sua área externa eu podia ver o mar. A claridade estava intensa deixando o dia magnífico. Como a temperatura estava baixa, escolhi uma mesa ao sol e me senti absurdamente feliz naquele tão prosaico momento.

Olhei em volta: havia cinco mesas ocupadas, com uma única pessoa em cada uma delas, tomando seu café da manhã, aproveitando o dia ao ar livre, lendo o jornal e olhando a vida passar lentamente diante de seus olhos.

Naquele domingo em Matosinhos, a velocidade da vida estava em marcha muito lenta.

Passeando por Matosinhos

Passeando por Matosinhos

Belo casario baixo, estilo balneário

Passeando por Matosinhos

Cidade nova com fisionomia de tempos mais modernos

Deixei então a orla e segui para as ruas de dentro. Queria descobrir um bocadinho mais dessa encantadora cidade. Andei sem parar até os meus pés doerem.

Matosinhos esteve, na maior parte do tempo silenciosa, naquele meio de manhã. Os corredores a esta altura já estavam lá pelos lados do Porto e poucas pessoas circulavam pelas ruas, deixando-as inteiramente para mim. À medida que o dia foi avançando, contudo, e os maratonistas mais velozes foram voltando à cidade para cruzar a linha de chegada e os moradores saíram de suas casas, o movimento foi aumentando.

Observei o casario baixo, típico de balneários, o que me deixou curiosa. Apesar de sofrer influência direta da cidade do Porto, Matosinhos não me pareceu ter fisionomia portuguesa.

A explicação talvez esteja em seu passado. Apesar de a região ser povoada há muitos séculos, é cidade recente, nova, apenas assim constituída no século XX.

Entretanto, no século anterior já era uma Vila, a Vila de Matosinhos. Já foi fortemente industrializada, mas não segue assim nos dias atuais, tão forte, mas ainda tem indústrias nos setores de petroquímica, alimentares e conserveiras, os têxteis e de material elétrico.

Matosinhos é uma cidade muito simpática e fiquei imaginando como sua energia durante o verão devia mudar, ficar mais intensa, mais alegre e frenética com aquele marzão para ser desfrutado. Quem sabe um dia eu não volte para descobrir?!

Como disse uma interessante pichação em um dos muros da cidade:

“a vida é uma aventura da qual não sairemos vivos”.

A origem do nome

Os romanos por aqui passaram e acreditam alguns estudiosos que daí vem a origem do nome Matosinhos, que significaria o porto de abrigo do filho de Hércules.

Aqui a explicação: Matosinhos aparece, lá nos documentos do século X, grafado Matesinus. Sinus, significa um recorte no litoral ou mais precisamente porto de abrigo natural.

Já Mate faria referência a um personagem mitológico, Amato, o filho do maior de todos os heróis Hércules (Herácles na mitologia grega), filho de Zeus.

Eu não sei. O que posso afirmar é que Matosinhos é uma graça de cidade e que tem como um de seus cartões postais, a escultura de uma anêmona gigante.

A anêmona de Matosinhos

Passeando por Matosinhos

A anêmona de Matosinhos

A anêmona de Matosinhos se destaca na paisagem, mas ao contrário de agredi-la, forma um interessante cenário. A anêmona foi a primeira coisa que vimos ao chegarmos à orla da cidade.

Localizada em uma rotatória, ela balança ao sabor do vento, como se vida tivesse. E talvez tenha, alimentada pela energia dos moradores e turistas que visitam esta graciosa cidade.

É uma homenagem à comunidade de pesca de Matosinhos, cujos homens todos os dias se lançam corajosamente nos braços de Iemanjá sob a proteção de Netuno.

O dia avança

Depois de perambular bastante, passeando por Matosinhos, resolvi visitar a Fortaleza de Nossa Senhora das Neves, a Fortaleza de Matosinhos.

Salve este texto em seu Pinterest

Matosinhos é uma simpática cidade perto do Porto, em Portugal, ótima para passar um dia

Matosinhos é uma simpática cidade perto do Porto, em Portugal, ótima para passar um dia

By | 2017-06-29T22:15:49+00:00 29/06/2017|Categories: Matosinhos|Tags: |23 Comments

23 Comments

  1. Viviane Carneiro 29/06/2017 at 16:32 - Reply

    Nossa… que lugar mais lindo! Já quero conhecer! Adorei as fotos e o relato! Bjs

  2. Aurélio 29/06/2017 at 18:13 - Reply

    Olá Analuiza.

    À fundação de Matosinhos está uma lenda de Santiago, no qual é associado a vieira a Santiago. veja o link.

    http://portoponto.blogs.sapo.pt/11711.html

    Aurélio

    • Analuiza Carvalho 29/06/2017 at 19:00 - Reply

      oi Aurélio… como eu adoro as histórias de Portugal! Já tinha lido texto parecido e adorado. Fico sempre muito feliz quando você me manda outras e novas informações. Eu li também a história do pescador que encontrou o braço do Sr. de Matosinhos que não ardia na fogueira…

      Matosinhos foi uma das muitas lindas surpresas desse país sensacional.

      bj
      Está anotado no nome do livro que me indicaste: História concisa de Portugal do Professor José Hermano. Só não tive tempo ainda de buscar. Obrigada pela indicação. 🙂

  3. cwrgutierrez 30/06/2017 at 06:44 - Reply

    Seu blog é uma referência sobre o assunto Portugal, muito legal, estou preparando minha viagem para conhecer o país.

    • Analuiza Carvalho 30/06/2017 at 08:12 - Reply

      Que bacana ler esta mensagem! Até porque eu amei este país! Portugal é um país incrível! 🙂 Você vai adorar, tenho certeza!

      Muito boas viagens para você! 🙂

  4. Flavia Zenke 30/06/2017 at 15:09 - Reply

    Que belo lugar! Eu também não tinha ouvido falar dessa cidade, apesar do meu marido ter dupla cidadania. Muito bacana!

    • Analuiza Carvalho 30/06/2017 at 15:45 - Reply

      Pois se tiver oportunidade, Fávia, visite, que é mesmo uma graça de lugar e muito pertinho do Porto. 🙂

  5. Rayane Azevedo 30/06/2017 at 19:10 - Reply

    Que cidade mais charmosinha! Amei! Água do mar com um azul lindo!
    Histórias triste essa da morte dos tripulantes. hein? Imagino a dor e agonia da família.
    Adorei o post!

    • Analuiza Carvalho 30/06/2017 at 19:15 - Reply

      Obrigada Rayane. Que bom que gostou. Matosinhos é mesmo uma cidade muito fofa! Deve ter sido uma tristeza sem tamanho né?! 🙁 bj

  6. Pollyane Martins 01/07/2017 at 04:00 - Reply

    Confesso que terminei de ler o post, mas só conseguia pensar na história trágica. Credo! Apesar disso, a cidade é linda e fofinha, acho que vc fez bem em conhecer! Adorei as dicas, muito obrigada. Beijo grande.

    • Analuiza Carvalho 01/07/2017 at 23:02 - Reply

      É mesmo uma história triste esta de Matosinhos! Mas a cidade é uma graça e vale muito passarmos umas horas por lá! 🙂 Fico feliz em saber que gostou! bjuusss

  7. Leo Vidal 01/07/2017 at 13:06 - Reply

    Que legal! Bom quando descobrimos novos locais assim. Vou passar as dicas para minha mãe que vai agora para Portugal. =)

    • Analuiza Carvalho 01/07/2017 at 22:41 - Reply

      Oi Leo, estas descobertas são mesmo preciosas! Tomara que sua mãe tenha uma ótima viagem, que aproveite muito Portugal! Me diga depois se ela conseguiu ir a Matosinhos e o que ela achou. Diga a ela que almoce por lá e visite a Fortaleza de Matosinhos. Estes dois posts serão publicados aqui no EPM nas duas próximas terças. bj

  8. Francisco Piazenski 01/07/2017 at 23:26 - Reply

    Mais um belo lugar para visitar em Portugal, esse lindo país. Adorei o relato, como sempre Analuiza. Parabéns!

    • Analuiza Carvalho 02/07/2017 at 07:13 - Reply

      Obrigada Francisco! Esse Portugal tem mesmo muito lugar para ser conhecido não é?! Ótimas desculpas para voltarmos 1000 vezes. rsrsr bj

  9. Roberta Lan 02/07/2017 at 16:04 - Reply

    Só quero saber quando vocês vão vir aqui correr na maratona de Amsterdã e/ou na de Roterdã. Aproveita e avisa que eu vou lá torcer de pertinho! 😀

    • Analuiza Carvalho 02/07/2017 at 16:08 - Reply

      Oi Roberta! Amsterdam foi minha primeira meia maratona internacional e foi emocionante! Foi a primeira maratona do Léo. Mas olha que você nos deu uma ótima desculpa para voltar hein?! Correr em Roterdã!!! 🙂 bj

  10. Aurélio 03/07/2017 at 07:22 - Reply

    Olá Analuisa
    Neste link pode ler uma entrevista feita ao professor José Hermano Saraiva (já falecido) muito interessante. penso que vai gostar.
    http://www.casaldasletras.com/Textos/jose%20hermano%20saraiva.pdf
    Introdução ao livro:
    http://img.travessa.com.br/capitulo/EDIPRO/HISTORIA_CONCISA_DE_PORTUGAL-9788572838856.pdf

    Pode aqui ver alguns exemplos de grande comunicador que foi e que todos adoravam.
    hhttps://arquivos.rtp.pt/conteudos/boa-terra-melhor-gente/#sthash.sYLEUhTk.dpbs
    https://arquivos.rtp.pt/conteudos/barcelos-canta-de-galo/#sthash.Z2QkqXnD.dpbs
    https://arquivos.rtp.pt/conteudos/ali-comeca-portugal/#sthash.DnXWn3A2.dpbs
    (Pode pesquisar mais na RTP arquivos)

    • Analuiza Carvalho 04/07/2017 at 07:59 - Reply

      Aurélio… mais uma vez você me mune de material interessante contendo muitas informações. Já abri os links e são preciosos. Já passei os olhos e vou lê-los com mais calma durante os próximos dias.

      Muito obrigada por tal consideração, por partilhar comigo tudo isso! 🙂

  11. Gosto muito do grande Porto e também desta zona nova de Matosinhos. Come-se bem e bem bonito!

  12. […] Passeando por Matosinhos […]

Me diga alguma coisa!