O belo PARQUE La Grange de GENEBRA: um convite a um aprazível PASSEIO

Em uma das margens do Lago Genebra, na região do Cais Gustave-Ador, construído em 1856, com objetivo de aumentar a calçada que flanqueia o lago, está o Parque La Grange, um dos parques de Genebra.

Com mais de 200.000 metros quadrados ele carrega em sua essência, beleza, cor, vestígios da passagem romana por aqueles lados em tempos muito, muito antigos, belas estruturas de uma antiga vila, além de consciência ecológica.

Entramos nele em um fim de tarde do outono genebrino e apesar de termos caminhado bastante por ele, foi impossível explorar toda a sua extensão.

Brisa

Parques de Genebra

Cais Gustave-Ador

Parques de Genebra

Brisa

Era nosso primeiro dia na cidade e estávamos caminhando sem itinerário definido, apenas rendidos às belas paisagens que se descortinavam diante de nós a cada passo.

Assim, chegamos até a região do Cais Gustave-Ador, localizado no bairro de Les Eaux-Vives, que antigamente era uma cidade. Ali, em meio a barquinhos ancorados no lago, o incrível Jato de Água, cartão-postal da cidade, às maravilhosas cores de outono traduzidas em floridos jardins, prédios elegantes e pessoas transitando tranquilamente ou praticando esporte, estava ela, a Brisa.

A Brisa é uma escultura linda, suave e forte, mirando indiferente o cais, sorriso cálido no rosto, recebendo deliciada a brisa que chega do lago.

Passou a viver aí, impassível diante do tempo, em 1941. Foi construída pelo pintor e escultor, filho da cidade, Henri König (1896-1983) que deu forma a personagens femininos.

Henri foi professor da Escola de Belas Artes de Genebra.

Atrás de Brisa está o Parque La Grange, o maior dos parques da cidade, para onde nos dirigimos naquela deleitosa tarde.

A História do Parque La Grange

Parques de Genebra

Antiga Villa do século XVIII

Parques de Genebra

A mansão do século XVIII

Nos anos 50 e 60 da era cristã, um rico romano se estabeleceu nesta área. Até hoje, tantos séculos passados, tantas modificações submetidas às passagens dos homens, ainda há vestígios da estada romana no Parque La Grange.

Encontramos ainda esplêndidas estruturas de uma antiga Vila do século XVIII, construída pela família Lullin. Talvez a mais bela delas, que se destaca absolutamente imponente na paisagem, seja a mansão, construída em estilo clássico bem de acordo com esta elegante cidade suíça.

Seu último dono foi William Favre (1843 – 1918) químico, personalidade pública, viajante, além de amante e protetor das artes. Favre, doou o Parc La Grange para a cidade de Genebra, propriedade da família desde o início do século XIX, 1 ano antes de falecer.

Foi aberto ao público no ano de sua morte.

Parque La Grange, o maior dos parques de Genebra

Parques de Genebra

Belo cenário: o colorido do parque com o azul do Lago Genebra

Parques de Genebra

Cenas do Parque La Grange, o maior dos parques de Genebra

Parques de Genebra

O colorido do Parc La Grange

Muitas árvores e grama de tonalidades sortidas e heterogêneas de verde. Algumas tão diferentes que carregavam inusitado e intenso colorido. Com o Lago Genebra ao fundo, em seu marcante tom de azul, o Parque La Grange forma um cenário de indizível beleza.

Havia poucas flores, mas elas marcavam presença aqui e acolá, cada uma de um jeito, uma forma, matiz e nuance.

Os caminhos de asfalto cortam e serpenteiam entre o gramado e árvores de diversas origens.

As casas da antiga Villa completavam a paisagem com seus tons em bege, cujo significado íntimo de suas existências eu não consegui descobrir. Não há informações disponíveis. Soube apenas mais tarde que é possível fazer uma visita guiada pela mansão.

Visitas à villa

Segunda-feira 8, terça-feira 9 e quinta-feira 11 de maio de 2017 às 15h e 17h, duração 1h 30

No registro (máximo de 20 pessoas por grupo)

É necessário apresentar uma identificação no dia da visita.

Entrada gratuita

Tudo bem! Genebra me deixou tão encantada que um dia eu volto para conhecer mais um pouco de sua essência.

Nós fomos no Outono e portanto, não havia muita gente por ali, pelo parque. No verão, contudo, a história muda completamente de figura: há eventos culturais, atividades diversas para crianças, área para churrasco…

Enfim, muita movimentação.

Tarde de outono na cidade suíça de Genebra

Parques de Genebra

Queria deixar o tempo passar por cima de mim

Naquela tarde, com quase nenhuma movimentação, eu poderia ter ficado ali, largada em meio aquele arco-íris de harmonia, deixando o tempo passar por cima de mim.

Ah! O tempo! Ele, e apenas ele, fez com que nos colocássemos em movimento novamente, voltando a zanzar pela cidade de Genebra.

Localização: Quai Gustave Ador, com entrada gratuita

Horários:

De novembro a março: 7:00 – 18:00

De abril a maio: 7:00 – 21:00

De junho a agosto: 6:00 – 22:00

De setembro a outubro: 7:00 – 21:00

Parques de Genebra

Pedacinho do Parc La Grange de Genebra

Vem espiar este mundão lindo comigo:

Siga o Espiando pelo Mundo nas redes sociais: FacebookInstagramTwitter e Google+

Para mais inspirações e histórias de viagem siga o perfil no Pinterest

Clicando na imagem abaixo o Parque La Grange ficará guardado em seu Pinterest!  

O La Grange, o maior dos parques da #cidade de #Genebra na #Suíça, com seu belo colorido e elegantes estruturas #arquitetônicas #antigas, nos convida para um aprazível #passeio.

By |2018-03-07T01:05:45+00:0002/11/2017|Categories: Genebra|Tags: |5 Comentários

5 Comments

  1. Klécia Cassemiro 04/11/2017 em 13:12 - Responder

    Pode ter uma *inveja boa* dessa tua foto deitada na grama do parque? Eu bem queria ser você naquele momento! E queria também ter tido a chance de admirar a Brisa, suave e forte, como você viu e parece mesmo ser! Linda!
    Quem sabe um dia chega minha vez?

    • Analuiza Carvalho 17/11/2017 em 11:47 - Responder

      Tenho certeza que um dia chegará a sua vez e se encantará com a Brisa tanto quanto eu!

      O Léo precisou me arrancar dali, daquela grama, quase, digamos assim, pelos cabelos. rsrsrs Temperatura agradável, sons da natureza, belo visual… quem disse que queria partir?! 🙂 beijinhos

    • Analuiza Carvalho 17/11/2017 em 11:47 - Responder

      Tenho certeza que um dia chegará a sua vez e se encantará com a Brisa tanto quanto eu!

      O Léo precisou me arrancar dali, daquela grama, quase, digamos assim, pelos cabelos. rsrsrs Temperatura agradável, sons da natureza, belo visual… quem disse que queria partir?! 🙂 beijinhos

  2. Mayte Scaravelli 12/11/2017 em 06:46 - Responder

    Ana, você me conhece e sabe que sou apaixonada por um parque, também teria ficado ali vendo o tempo passar e admirando essa paisagem linda!

    Outono e essas flores lindas e coloridas? Fico imaginando esse lugar na primavera! Aliás, tenho mais vontade de conhecer a Suíça na primavera do que no verão. É tanto verde nesse país que deve ficar mais bonito na sua cor natural do que no branco. rs

    Ah, melhor que passear nesse parque em um dia tão bonito é ter ele só pra vocês né? Realmente vazio vazio. =D

    • Analuiza Carvalho 23/11/2017 em 06:57 - Responder

      Imagine só como não deve ficar bonito o parque na primavera cheia de lindas flores e variado colorido?! Também me interessa muito mais o país na primavera que no verão ou no inverno! 🙂

      Acho que quando você visitar Genebra vai esquecer da vida no La Grange! 🙂 bjinhos

Deixar Um Comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.