O que FAZER na bela e ELEGANTE cidade de GENEBRA, na Suíça

O que fazer em Genebra?! Ah, minha gente! Muitas e diversificadas coisas! A cidade tem museus, maravilhosos cenários, teatro, parques, monumentos, arquitetura e igrejas. Ah! Genebra tem formosura e uma atmosfera agradável. Ela também é acolhedora, interessante, atraente, elegante, simpática… Sua história é marcante e suas ruas são testemunhas de um tempo.

Bom, ela tem ainda o Lago Genebra que é magnífico.

Genebra, ah, Genebra… essa cidade tem alguma coisa que vai além da beleza, embora boniteza ela tenha mesmo de sobra!!! Estar na cidade, onde a maioria da população é de imigrantes, é como sentir-se em casa. As pessoas são afáveis e corteses.

Genebra pede alguns dias de visita – pelo menos 3 – e não apenas algumas horas de passagem entre um destino e outro. Esta é uma cidade para ser apreciada, adorada, vivida… Acredite meu caro viajante, esta cidade pacata com ares urbanos pode mesmo te conquistar.

A seguir, um pequeno recorte da bela Genebra. A cidade em poucas palavras para que você, caríssimo viajante, monte seu próprio roteiro. O que fazer em Genebra?! Ah! Há muito o que fazer por lá! Leia este texto e verás! Só mais uma coisinha antes de descobrirmos os interessantes personagens genebrinos: explore a cidade sem pressa!

Genebra em poucas e boas palavras

O que fazer em Genebra?! Sem nenhuma dúvida, SE PERDER DE AMORES PELO LAGO GENEBRA: exuberante e lindo, o Lac Léman, como é conhecido entre os genebrinos, muda de cores a cada luz do dia. Jorros altos e fortes saem do famoso Jato d´água, cartão postal de Genebra. Clássicos edifícios, árvores cheias de imponência e os maravilhosos Alpes circundam o belo lago suíço: um casamento perfeito entre arquitetura e natureza.

Cisnes nadando no lado, barcos ancorados e pessoas deitadas preguiçosamente na praia nos dias mais quentes formam um adorável cenário. Caminhar por sua orla, em horas variadas do dia proporciona aos seus passantes maravilhosas fotos e momentos inesquecíveis.

O bonito Lago Genebra com o Jato dá água ao fundo. Árvores e prédios completam o lindo cenário genebrino

CONHECER AS IGREJAS: definitivamente para quem adora visitar belas igrejas, Genebra é um destino perfeito. De variados formatos, histórias e datas, elas são encontradas em vários cantos da cidade.

Palco da Reforma Protestante, Genebra possui muitas igrejas de estilos variadíssimos. Uma coisa que chama a atenção é que em sua maioria elas são pequenas e despretensiosas. Não encontramos nos templos genebrinos ostentação. Reflexo, com certeza do calvinismo que fazia ferrenha oposição aos ícones e símbolos católicos.

Os protestantes eram antagonistas a tudo que fosse estonteante ou exibido, pregando a simplicidade e sobriedade: nos ambientes e nas condutas de vida.

Após a reforma, no século XVI, a população destituiu todas as igrejas de suas ornamentações. Agora que eram templos calvinistas deveriam possuir interior severo e austero. Muitas serviram a outros propósitos que não o de santuário de fé. Com o passar dos tempos, algumas delas voltaram a ser católicas, mas mantiveram interiores frugais.

Por certo, a reforma deixou profundas marcas.

As igrejas datam de séculos distintos, assim como suas histórias tem trajetórias particulares e quase sempre intensas além de interessantes. A Igreja da Santíssima Trindade, por exemplo, é pequenina, toda feita em tijolinhos, repleta de recortes. Sóbria e austera, possui interior muito bonito e aconchegante. Igreja anglicana que data do século XVIII, foi construída por ingleses que fugiram de seu país perseguidos pela rainha católica Mary. Nos dias atuais, ela continua exercendo seu papel de templo religioso, abrigando uma assembleia eclética e internacional como a própria Genebra.

O que fazer em Genebra

Igreja da Santíssima Trindade

Já a Basílica de Notre Dame foi construída apenas no século XIX. Depois da Reforma Protestante, esta bela igreja de inspiração gótica, tornou-se o principal templo católico da cidade de Genebra. Havia muitos séculos os católicos tinham perdido a Catedral de São Pedro para os reformadores, que nunca voltaria a ser templo católico.

Contudo, poucas décadas após a construção da basílica, ela foi tomada dos católicos por um governo anticlerical. Eles então, foram proibidos de professar publicamente sua fé. Foi somente no século XX que a Igreja Católica comprou a Basílica de Notre Dame, onde foi rezada uma missa mais de 3 séculos após a última ter sido oficiada em solo genebrino.

Por dentro não é incomum ou diferente de muitos outros templos católicos. É bonita e possui poucos adornos. Muitos peregrinos que fazem o caminho de Santiago passam por aqui, pois nesta igreja começa o caminho de Genebra.

O que fazer em Genebra

Basílica de Notre Dame

Temos também a Igreja Saint Germain, uma das mais antigas igrejas de Genebra, datando do século XV. Ela é uma belezura católica de aspecto campestre, o que forma interessante contraste no cenário urbano da cidade. Após Genebra se declarar calvinista a Igreja Saint Germain passou a atender outras funções: de templo protestante a armazém de açougueiro.

Passou por incêndios. Sobreviveu. No século XIX Napoleão Bonaparte a devolveu aos católicos. Em tempos passados esta rua onde a Igreja Saint Germain se localiza chamava-se Rua dos Padeiros, pois aí se concentravam açougueiros e padeiros. Dizem que foi nesta área que surgiu o primeiro gueto judeu com muros e portões trancados à noite.

Guillaume Farel (1489 – 1565) um dos nomes fortes da Reforma Protestante em Genebra palestrou nesta pequenina igreja muitas vezes. Dizem que possuía oratória apaixonada!

O que fazer em Genebra - Igreja Saint Germain

Igreja Saint Germain

Curiosamente a Igreja Evangélica Luterana não tem aparência de igreja. Ela parece uma bela e antiga casa. Esta foi a condição imposta pela cidade para a sua construção. Ela foi erigida apenas algumas décadas após a chegada dos luteranos em Genebra.

Foi uma das primeiras igrejas não calvinistas erguida na cidade, após a Reforma. Desde então foi palco não só de culto, mas também de outras funções: casa de guarda durante as guerras napoleônicas e hospital. Casa de caridade e abrigo para os alemães durantes as guerras mundiais.

Foi cenário ainda de conflitos: com os calvinistas (a Reforma Protestante guardou diferenças de comportamento entre os diversos estados) e entre os partidários de Adolf Hitler e os contrários.

Com tudo isso, a Igreja Evangélica Luterana sobreviveu.

O que fazer em Genebra - Igreja Evangélica Luterana

Igreja Evangélica Luterana

Já o Templo da Fusteria data do século XVIII e seu nome primeiro foi Templo Novo. O objetivo de sua construção foi abrigar os huguenotes, os protestantes franceses que chegavam aos montes em Genebra, fugidos da perseguição religiosa na França. Seu aspecto é contido, bem de acordo com as orientações calvinistas. Na fachada encontramos a inscrição: “depois da escuridão, luz”.

Na praça em frente, que leva o mesmo nome do templo, acontecem 3 mercados: frutas, verduras, queijos e flores aos sábados e quartas, produtos artesanais às quintas e de revistinhas e livros às terças.

O que fazer em Genebra - Templo da Fusteria

Templo da Fusteria

Por fim, ele, o principal templo protestante e um dos cartões postais da cidade de Genebra, a Catedral de São Pedro: um interessante e explícito mosaico de estilos de séculos distintos. Isso se deve ao fato de ter sido construída no século XII e desde então restaurada e reformada diversas vezes.

Nasceu católica, mas há muito tempo transformou-se em igreja calvinista. Foi despojada de todas as suas obras de arte.

João Calvino, um dos reformadores mais importantes de Genebra, pregou aqui por décadas. Sua cadeira continua aí, testemunha de um tempo que teve impacto profundo na sociedade genebrina e na maneira como passaram a viver, repercutindo diretamente na trajetória da cidade.

A Catedral de São Pedro abriga ainda a colorida Capela dos Macabeus: linda e cheia de simbolismos religiosos.

É possível subir a cúpula e ter uma bela vista da cidade, além de descer ao subsolo para ver antigas relíquias descobertas em solo genebrino, algumas datando dos primeiros séculos depois de Cristo, ainda na era Romana.

O que fazer em Genebra - Catedral-de-São-Pedro

Catedral de São Pedro

O que fazer em Genebra?! VISITAR OS MUSEUS E RUÍNAS GENEBRINAS: forma interessante de descobrirmos o passado de uma cidade para entendermos e apreciarmos melhor seu presente. Nos museus muitas vezes descobrimos a alma de uma cidade e assim, os relacionamentos ficam mais interessantes, sólidos.

Genebra tem museus que são pura arte e deleite para os espíritos que apreciam viajar pelo imaginativo mundo dos artistas e ainda aqueles que nos contam seu passado, além de ruínas que teimam em sobrepor os desgastes do tempo.

Escavações arqueológicas recentes descobriram uma preciosidade do passado genebrino: as ruínas da Fortaleza de Santo Antônio. Vários registros foram encontrados que compreendem desde o século IV até o XVI. Apenas uma pequena parte destas descobertas está aberta ao público: restos da antiga muralha, por onde podemos caminhar. Ela guardava a cidade velha. O que está do outro lado da rua, o Museu de Arte e História de Genebra, não existia, era extramuros.

O que fazer em Genebra - Fortaleza de Santo Antônio

Fortaleza de Santo Antônio

O Museu de Arte e História de Genebra tem um vasto, variado e maravilhoso acervo distribuído em 7.000 m° de área dividida em 5 andares. Foi inaugurado na primeira década do século XX. Cerca de 650.000 obras de artes que incluem arqueologia, pinturas e esculturas, além de objetos históricos habitam o museu.

A vida cotidiana da região, e de outros lugares, contada através de inúmeros objetos: milênios de história. O prédio é bonito, não há recorrido sugerido para a visita ao museu, as salas são amplas e a entrada é gratuita.

Já a Casa Tavel é a mais antiga casa medieval de Genebra, de bela fachada gótica, que hoje abriga o Museu de História Urbana e Vida Cotidiana. Além da estrutura da casa, tão espetacular quanto sua própria antiguidade, encontramos na Casa Tavel objetos cotidianos que nos mostram como era a vida na cidade da Idade Média ao século XIX e uma maquete mostrando a velha Genebra.

O que fazer em Genebra - Museu de Arte e História

Museu de Arte e História

O que fazer em Genebra - Casa Tavel

Casa Tavel

O que mais podemos fazer em Genebra?! Que tal ADMIRAR OS MONUMENTOS E ESCULTURAS GENEBRINAS?! Muita arte espalhada pela cidade ao alcance de todos. Os monumentos de um lugar nos contam histórias sobre os personagens marcantes que viveram ou simplesmente passaram por ali. Eles podem também marcar acontecimentos ou simplesmente serem adornos para as cidades.

Genebra abriga alguns com propósitos distintos, mas todos eles envolventes de alguma forma.

O Monumento de Brunswick (1879) é, na verdade, um túmulo. Ele abriga os restos mortais do duque Carlos II de Brunswick que, apesar de ser alemão, viveu e morreu em Genebra, pois foi expulso de seu ducado. Em troca de doar sua fortuna para a cidade, exigiu um túmulo parecido com o da família Scaligeri em Verona.

Assim foi feito e o Monumento de Brunswick hoje faz parte da paisagem genebrina, uma vez que está situado nas proximidades do Lago Genebra. Já quem está às margens do maravilhoso lago é uma escultura em homenagem a Imperatriz Sissi da Áustria e Hungria, assassinada na cidade, aos 60 anos, na primavera de 1898. O autor do crime foi um anarquista italiano que a apunhalou no coração com um canivete.

O que fazer em Genebra - Monumento de Brunswick

O que ver em Genebra - imperatriz Sissi

Imperatriz Sissi da Áustria e Hungria

Localizada às margens do Lago Genebra à altura do bairro Eaux-Vives, que antigamente era uma cidade, está Brisa, uma escultura bonita, suave e forte ao mesmo tempo. Ela vive aí, apreciando o belo lago, desde 1941. Foi criada por Henri König (1896-1983) artista de Genebra.

Pequena ilha urbana, a Ilha Rousseau homenageia o filósofo genebrino Jean-Jacques Rousseau que influenciou fortemente o iluminismo com suas ideias. Um pequeno parque aprazível, com bela vista para o Lac Léman. Em épocas passadas já foi atracadouro de barcos e até estaleiro, mas o lugar foi reinventado e agora cai bem na paisagem da cidade.

O que fazer em Genebra - Brisa

Brisa

O Muro dos Reformadores talvez seja o monumento mais famoso da velha Genebra. A Reforma Protestante foi um movimento religioso que rompeu com a Igreja Católica instituindo assim uma nova religião – a protestante – baseada em 95 teses, liderado por Martinho Lutero, na Alemanha do século XVI, encontrando eco em outros países e cidades da Europa a exemplo de Genebra.

O nome vem da consideração de ter sido um protesto contra os abusos da Igreja Católica como a venda de indulgências. Na Alemanha ela recebeu o nome de luteranismo. Em Genebra, cuja reforma foi forte, chamou-se calvinismo, por conta de um dos importantes reformadores da cidade: João Calvino (1509 – 1564).

Outros reformadores destacados foram: Guillaume Farel (1489 – 1565), Teodoro de Beza (1513 – 1605) e João Knox (1513 – 1572). Esses quatro homens pregaram e influenciaram fortemente os rumos da sociedade, economia e política da cidade de Genebra.

Eles estão no centro do Muro dos Reformadores, construído em comemoração aos 400 anos do nascimento de Calvino em 1909. O muro tem 5 metros de altura e conta resumidamente a história da Reforma em Genebra.

O que fazer em Genebra - Muro dos reformadores

Muro dos reformadores

O que mais há para fazer em Genebra?! QUE TAL PASSEAR PELOS PARQUES DA CIDADE?! Um belo programa! O Parque dos Bastiões, por exemplo, construído no século XVIII é um local de lazer para os genebrinos. Possui muitas e variadas árvores, um xadrez gigante e restaurante. O Muro dos Reformadores fica dentro dele.

Outro parque muito bonito na cidade é o Parque La Grange. Lá pelas primeiras décadas da era cristã um rico romano se estabeleceu por ai. Até hoje há vestígios de sua passagem por lá. Já no século XVIII a família Lullin construiu ai uma Vila. Encontramos ainda prédios de estruturas magníficas desta época. A área foi doada à cidade de Genebra no século XX por seu último dono William Favre.

Este é o maior parque de Genebra e absolutamente lindo! Árvores diversas, flores de variadas cores e uma linda vista para o magnífico Lago Genebra.

O que fazer em Genebra - Parque La Grange

Parque La Grange

O que mais fazer em Genebra?! Decididamente SE COLOCAR DIANTE DA CADEIRA QUEBRADA: um símbolo que clama pela não violência contra populações civis. Foi construída para ser um monumento temporário, mas nunca saiu dali. Isso diz muito sobre nosso planeta: a violência persiste. Ela foi construída com 5.5 toneladas de madeira e medindo 12 metros de altura, ela tem uma das pernas quebradas, como se tivesse sido arrancada.

Assim como muitas vidas pelo mundo.

Nesta área ainda estão os prédios das Nações Unidas – em frente a Broken Chair – e da Cruz Vermelha, assim como o Museu Ariana de vidro e cerâmica. Todos estão abertos à visitação.

O que fazer em Genebra - cadeira quebrada

Cadeira quebrada

FICAR ENAMORADO PELA ARQUITETURA QUE EMOLDURA A CIDADE, com certeza: o design dos edifícios de Genebra é muito bonito. Ela pode parecer monótona a olhos mais desatentos, mas em verdade ela é elegante e cheia de detalhes. Suas cores sóbrias em tons de bege tem variações. Passear pela cidade observando sua moldura é um dos mais agradáveis programas para se fazer na cidade suíça.

Alguns deles, por uma razão ou outra, se destacam, como a Antiga prefeitura da cidade de Eaux-Vive, hoje um bairro de Genebra. Este prédio construído na primeira década do século XX, parece um personagem encantado saído especialmente dos livros e histórias de fadas, bruxas e duendes.

Localizado na Rue de la Mairie 37, ele se destaca na paisagem com suas cores avermelhadas. Atualmente casais apaixonados se casam ai. Muito romântico!

O que fazer em Genebra

Antiga prefeitura de Eaux-Vives

O Colégio Calvino é um símbolo importante da Reforma Protestante em Genebra. Os calvinistas entendiam que os fiéis deveriam ser capazes de ler e interpretar a bíblia por si mesmas, sem intermediários. Assim, que a educação em Genebra passou a ser obrigatória e gratuita para aqueles que não podiam pagar.

Fundado no século XVI, naquela época ensinava matérias humanistas e línguas.  No século XVIII passou a ensinar as ciências e somente no século XX as meninas puderam estudar lá. Hoje, continua em pleno funcionamento.

Hôtel de Ville é a prefeitura da cidade de Genebra e também onde a governo do cantão de mesmo nome trabalha. O prédio é antigo – data do século XV – possuindo estrutura incomum. Entre estas paredes a Liga das Nações foi criada em 1920 com a primeira assembleia geral que depois deu origem a ONU – Organização das Nações Unidas.

A Torre Baudet é a estrutura mais interessante do Hôtel de Ville por causa da rampa de paralelepípedos construída na segunda metade do século XVI que permitia o acesso aos três andares do prédio tanto à pé quanto a cavalo.

Além disso, ela não é circular. É quadrada!

Bem em frente ao Hôtel de Ville está o Antigo Arsenal de Genebra: cercado por arcos do século XV, com piso de pedra, é uma estrutura simples. Paredes de mosaicos e antigos canhões que contam um pedaço da história da cidade.

Nasceu celeiro e virou depósito militar. Em tempos ainda mais antigos, funcionava um mercado. Genebra então fazia parte do vasto Império Romano. Primeiro o mercado era aberto, mas depois foi coberto. Hoje guarda os arquivos do Estado.

Há três belos mosaicos que apresentam momentos importantes da trajetória genebrina: o imperador romano Júlio Cesar chegando à cidade em 58 a.C., os antigos mercados da Bourg-du-Four, o centro histórico da cidade, durante a Idade Média e a chegada dos Huguenotes, os protestantes que fugiram das perseguições na França e foram acolhidos em Genebra.

O que fazer em Genebra - Colégio Calvino

Colégio Calvino

O que fazer em Genebra - Hôtel de Ville

Hôtel de Ville

O que fazer em Genebra - antigo arsenal

Antigo arsenal

PERAMBULAR PELO CENTRO HISTÓRICO é um programa delicioso para se fazer em Genebra. Sua área histórica é muito antiga, muito bonita, preservada e cheia de vivacidade. Ela é formada pelo Cais da Ilha cujos registros indicam que o imperador romano Júlio César teria passado por aí. A Torre da Ilha, linda estrutura sobrevivente que data do século XIII era usada para controle e monitoramento da cidade.

Muitos mercados aconteciam nessa área.

A Place du Borg é a praça mais antiga de Genebra, existindo desde a era romana. Funcionou bem aí nesta época um fórum e posteriormente um mercado. Hoje o lugar está repleto de cafés, casas de chá e restaurantes de muitos estilos numa atmosfera moderna e viva.

As velhas e bonitas casas que circundam a praça varia bastante e possuem estilos arquitetônicos que englobam mais ou menos dois séculos, sendo o mais antigo, o dezesseis. Ao que parece, foi preciso adicionar mais e mais andares às primeiras casas para acomodar àqueles que chegavam à Genebra fugindo de perseguições religiosas em seus países.

Da Place du Borg é possível atravessar a Passage des Degrés-de-Poules, uma passagem coberta de mais ou menos 5 séculos, e chegar ao Terraço Agrippa-d’Aubigné, nos fundos da Catedral de Genebra. A vista deste pequeno terraço é muito bonita.

O que fazer em Genebra

Place du Borg

O que fazer em Genebra

Passage des Degrés-de-Poules

Já na Praça do Molard funcionava o antigo porto de Genebra. Durante muito tempo aqui estava o centro político e econômico da cidade e mercados ao ar livre se espalhavam por todo canto. O chão da praça é feito de pedras e algumas delas se iluminam à noite com palavras como obrigado e bem vindo em alguma das línguas oficiais das Nações Unidas: inglês, francês, espanhol, russo, chinês, japonês e árabe.

Há uma torre, a Torre do Molard onde sobre um relevo com a cabeça de Lenin está escrito: GENEVA CITE DE REFUGE, Genebra cidade dos refugiados.

Hoje a praça é muito agitada!

O que fazer em Genebra

Torre do Molard

Por fim, uma das maravilhosas coisas a se fazer em Genebra é assistir a uma ópera no Grande Teatro de Genebra e mergulhar sem medo na arte oferecida pela cidade. Para o passeio ficar completo, visite a vizinha Carouge, de preferência num sábado, quando acontece a animada feira. São apenas poucos minutos de metrô, uma vez que a distância é de apenas 2 quilômetros.

O que fazer em Genebra

Carouge, vizinha de Genebra com sua animada feira de rua

Mais informações sobre Genebra:

+ Hospedagem, transporte público, mercados e câmbio;

+ Onde comer

Quer saber o que fazer na Cidade do Cabo , África do Sul?! Então clica no link bem aqui abaixo!Cais da Ilha de Genebra

+ O que fazer na Cidade do Cabo, África do Sul

Venha espiar este mundão lindo comigo pelas redes sociais. 

Siga o Espiando pelo MundoFacebookInstagramTwitter e Google+

#Genebra é uma #cidade de múltiplos atrativos, bonita e interessante. Há muito o que fazer na cidade: um #roteiro que pode ser feito em 3 ou 4 dias, cheio de #dicas. #viagem. #espiandopelomundo #viajantesempressa #europa #suica              

Clicando em qualquer uma das duas imagens logo aqui acima Cais da Ilha de Genebraas dicas do que  fazer em genebra  ficarão guardado em seu perfil no  Pinterest🙂

Para mais inspirações e histórias de viagem siga o perfil do Espiando pelo Mundo no Pinterest.

O que fazer em Genebra na Suíça

Se você, meu caro viajante, gostou de saber o que fazer em Genebra na Suíça, compartilhe em suas redes sociais para que os amigos leiam também! 🙂 

Os botões de compartilhamento estão aqui abaixo.

Cais da Ilha de Genebra

 

By |2018-10-24T16:09:18+00:0022/10/2018|Categories: Em Poucas Palavras|Tags: , |0 Comentários

Deixar Um Comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.