O PASSADO e o PRESENTE no Cais da RIBEIRA:

Depois de almoçarmos no Cais da Ribeira, aos pés do rio Douro, de frente para a icônica Ponte de Dom Luís I, cartão postal do Porto, na Casinha São João, nós continuamos por ali, caminhando e tentando escutar os sussurros do passado e sentir o pulsar do presente que se misturavam naquele calçadão, pois o passado e o presente no Cais da Ribeira, se misturam e se confundem.

Ponte de Dom Luís I foi ficando para trás à medida que avançávamos pelo cais, observando a bela fachada das casas e prédios, coloridas e com influência inglesa, algumas delas machucadas pelo tempo e falta de recomposição, mas que em nada afetava sua beleza, enquanto outras mostravam sinais de restauro e conservação.

O PASSADO e o PRESENTE no Cais da RIBEIRA

Vila Nova de Gaia, com o teleférico ao fundo e o Rio Douro vistos do Cais da Ribeira

O PASSADO e o PRESENTE no Cais da RIBEIRA

Cais da Ribeira

O PASSADO e o PRESENTE no Cais da RIBEIRA

A Ponte de Dom Luís I vista do Cais da Ribeira

O PASSADO e o PRESENTE no Cais da RIBEIRA

Cais da Ribeira: ponte de Dom Luís I, o Rio Douro e Vila Nova de Gaia

Em fins do século XV, um grande incêndio destruiu essa área. Entretanto, a cidade reergueu-se forte e bela: após o incêndio, por exemplo, o piso foi todo lajeado. Com sua geografia curiosa, íngreme, vidas de ontem e de hoje se estruturaram, se inseriram nessas formas, construindo suas casas, seu cotidiano, para encantar olhos como os meus.

Daqui, conseguimos ver o outro lado do rio, a orla de Vila Nova de Gaia, onde estão as famosas caves do vinho do Porto. Conseguimos apreciar ainda a Ponte de Dom Luís I sob outra perspectiva ratificando todo o seu esplendor.

O PASSADO e o PRESENTE no Cais da RIBEIRA

Cais da Ribeira

O PASSADO e o PRESENTE no Cais da RIBEIRA

Cais da Ribeira

O PASSADO e o PRESENTE no Cais da RIBEIRA

Por trás da Muralha Fernandina

O PASSADO e o PRESENTE no Cais da RIBEIRA

As belas casas do Cais da Ribeira com o ascensor da Ribeira ao fundo

Pouco depois do altar das Alminhas da Ponte, viramos à direita, atravessando um dos arcos para descobrir o que havia, nos dias atuais, por trás do que sobrou da Muralha Fernandina, construída no século XIV para proteger uma cidade em franco desenvolvimento econômico.

O fado tocava alto, inundando os poros da Ribeira com seu lamento tipicamente português, entrecortado pelo bater de talheres dos restaurantes ali situados, das risadas alegres dos comensais que aproveitavam a vida com suas taças de vinho e belas porções da deliciosa comida portuguesa.

Um desses restaurantes, chamado Candelas, situado em frente ao ascensor da Ribeira, mostrava em seu cardápio orgulhosamente exibido na porta que eles serviam bacalhau com natas por 8 euros, à Brás por 9 euros e meia dúzia de bolinhos de bacalhau a 8 euros. Oh, Candelas, por que não te conheci antes, quando meu estômago ainda cabia suas delícias?!

O PASSADO e o PRESENTE no Cais da RIBEIRA

O colorido e a informalidade: Cais da Ribeira

O PASSADO e o PRESENTE no Cais da RIBEIRA

Cais da Ribeira – Rua de Cima do Muro – pedaço da antiga Muralha Fernandina

O PASSADO e o PRESENTE no Cais da RIBEIRA

Cais da Ribeira – Rua de Cima do Muro – pedaço da antiga Muralha Fernandina

O PASSADO e o PRESENTE no Cais da RIBEIRA

Cais da Ribeira visto de cima do Muro dos Bacalhoeiros, antiga Muralha Fernandina

O fado vinha de uma loja de lembranças do Porto, cujo casal, que parecia dono, conversava preguiçosamente à porta e quando me aproximei disseram, com gestos e palavras simpáticas, que eu podia entrar e ficar à vontade.

Olhamos apenas rapidamente, pois queríamos aproveitar a pálida luz do sol e ausência de chuva, prevista para os próximos dias, para conhecer melhor Porto.

Erguendo a vista, observei os prédios, belos casarões que do alto observavam o desenrolar das atividades na parte baixa da Ribeira. Eles, os edifícios, eram tão descontraídos, relaxados, com roupas penduradas nos varais, cada um com seu estilo e cor, conferindo identidade e riqueza arquitetônica a esta cidade surpreendente.

Subimos aí mesmo uma escadaria, que nos levou para o topo dos restos da Muralha Fernandina, de onde pudemos ver o cais de certa altura, para entender de outro ângulo, o conjunto da bela obra.

O PASSADO e o PRESENTE no Cais da RIBEIRA

Cais da Ribeira

O PASSADO e o PRESENTE no Cais da RIBEIRA

Cais da Ribeira

O PASSADO e o PRESENTE no Cais da RIBEIRA

Cais da Ribeira: muitas informações

O PASSADO e o PRESENTE no Cais da RIBEIRA

Casas machucadas, mas ainda bela

O PASSADO e o PRESENTE no Cais da RIBEIRA

Rua da Lada

O PASSADO e o PRESENTE no Cais da RIBEIRA

Ruelas do Porto

Seguimos entrando e saindo das vielas, explorando a trama bem estruturada e ao mesmo tempo confusa do cais, tentando entender o emaranhado interessante daquele traçado, olhando os diferentes estilos do casario ali presente, num subir e descer incessante.

Fomos até a Rua da Lada, que data do século XIII, um bequinho carregado de energias das vidas que vieram e se foram, impregnando aquelas escadarias com o balouçar de suas existências.

Chegamos à icônica Praça da Ribeira. Ah, sobre ela e a continuação de nossa exploração pelo centro histórico do Porto, eu conto mais tarde, em outro(s) texto(s). Em tempo: até a praça, a Muralha Fernandina chama-se Muro dos Bacalhoeiros, depois passa a chamar-se Muro da Ribeira.

By |2018-03-07T00:56:52+00:0007/02/2017|Categories: Porto|Tags: , |21 Comentários

21 Comments

  1. Adorei seu post, me transportou de volta para o Porto… nessa região realmente é possível sentir na pele o contraste entre o passado e o presente.

  2. NiKi Verdot 23/06/2017 em 12:55 - Responder

    Post super informativo e com ótimas fotos. Adorei!

  3. Diego Cabraitz Arena 23/06/2017 em 21:40 - Responder

    Que legal! Eu adorei o visual da ponte e o entorno dela!
    Ótimo post e ótimas fotos! Preciso conhecer Portugal!

    • Analuiza Carvalho 23/06/2017 em 22:22 - Responder

      Portugal é sensacional e Porto é uma cidade incrível!!! Coloque na lista mesmo e vá Diego! 🙂

  4. laurasette 23/06/2017 em 23:14 - Responder

    Ai que saudade do Porto! <3 Morei lá durante um intercâmbio, e só tenho boas lembranças! Uma delícia revivê-lo com seu texto 🙂

    • Analuiza Carvalho 23/06/2017 em 23:16 - Responder

      oi Laura… que bom saber que te levei de volta ao Porto. que inveja de quem morou nessa deliciosa cidade!!!! 🙂

  5. Flávio Borges 24/06/2017 em 04:25 - Responder

    Olá Analuiza,

    Que delícia de passeio! Se antes eu já queria conhecer Portugal, agora quero mais ainda! haha

    Um abraço!

  6. Simone Hara 24/06/2017 em 10:14 - Responder

    Adorei o post. Pude sentir um pouquinho como é passear por ali. O Porto é uma cidade que me encanta e quero muito conhecer um dia!

    • Analuiza Carvalho 24/06/2017 em 20:42 - Responder

      Que bom Simone que você foi comigo pelo Cais da Ribeira! Porto é uma cidade que nos deixa facilmente apaixonados! ehehe

  7. Vitória Ferreira 24/06/2017 em 12:46 - Responder

    Adoreeeeeei
    Me deu uma vontade enorme de conhecer agora
    Esse lugar parece ser incrível.

    • Analuiza Carvalho 24/06/2017 em 20:36 - Responder

      Porto é sim, Vitória, um lugar incrível! Sou super suspeita, pois me apaixonei perdidamente! 🙂

  8. Fernanda 24/06/2017 em 20:18 - Responder

    Que relato! Me senti ali caminhando e explorando cada cantinho da Ribeira com você. É como se pudesse ouvir o fado, sentir os cheiros e me encantar com a paisagem. Parabéns!

    • Analuiza Carvalho 24/06/2017 em 20:30 - Responder

      Obrigada Fernanda! Fico absolutamente feliz em saber que te levei por este passeio, neste lugar tão caro para mim! bjus

  9. Leo Vidal 25/06/2017 em 01:20 - Responder

    Relato bem completo. Eu adorei conhecer essa parte da cidade. Apesar de ter sido uma visita rápida foi ótimo porque fui ao final da tarde e pude aproveitar o por do sol no local, que foi inesquecível.

    • Analuiza Carvalho 25/06/2017 em 01:30 - Responder

      oi Leo… eu me encantei pelo Porto e suas muitas faces! O Cais da Ribeira é puro encanto e eu também assisti ao por do sol ai e de fato é lindo! 🙂

  10. Pa Ramos 26/06/2017 em 11:27 - Responder

    Delícia de passeio!!! Adorei o post, bem completo!
    Essa ruazinhas são uma charme né, acho linda a arquitetura desse lugar <3

    • Analuiza Carvalho 26/06/2017 em 16:39 - Responder

      oi Pa… eu também adorei a arquitetura do Porto e caminhar por suas ruas, sem lenço, sem documento… 🙂

  11. Joaquim Eloy Duarte dos Santos 01/11/2017 em 15:57 - Responder

    Porto : lugar de meus ancestrais paternos e maternos, moradores na rua Em Cima do Muro nos séculos XVII e XIX. Vou visitar, espero, no início do próximo ano 2017, com muita emoção. Linda sua reportagem que me animou ir até lá. Prof.Joaquim Eloy Duarte dos Santos, de Petrópolis, Rio de Janeiro, Brasil.

    • Analuiza Carvalho 17/11/2017 em 12:14 - Responder

      oi Professor! Sua mensagem me deixou imensamente feliz! Primeiro por ter gostado do texto, pois tenho muito amor pelo Porto, como se meu passado também tivesse raízes fincadas por lá. Em segundo lugar por ter compartilhado que seus ancestrais foram daquelas terras. Creio que será emocionante para você visitar aqueles lados, respirar aqueles ares, estar diante do magnífico Douro e imaginar a vida de seus parentes por ali.

      Se puder, quando voltar, me conte como foi!

      Feliz ainda por saber que eu te animei ainda mais a visitar esta linda e querida cidade! Desejo que você possa desfrutá-la com muita emoção! bjs

Deixar Um Comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.