O Jardim de ALEXANDRE em Moscou na RÚSSIA: BELEZA e histórias

Saí do magnífico Armoury Chamber maravilhada e estupefata com a riqueza, traduzida em objetos de ouro e pedras preciosas, das mais diversas e antigas décadas, que este museu abriga. Voltamos ao ar livre e fomos passear pelo Jardim de Alexandre.

O Jardim de Alexandre (Александровский сад ou Aleksandrovskiy Sad) foi um dos primeiros parques públicos de Moscou. Naquele setembro, estava muito florido. Eram flores intensamente coloridas, em diversas tonalidades, formando um conjunto de muito valor para os olhos e para o espírito.

O Jardim de Alexandre

Jardim de Alexandre

O belo jardim de Alexandre

Jardim de Alexandre

O muito colorido Jardim de Alexandre

O Jardim de Alexandre, que na verdade são três, margeia a parede oeste do Kremlin, em direção à Praça Vermelha. Foi construído na primeira metade do século XIX. O nome é uma homenagem ao czar Alexandre I.

Estava bem movimentado sempre que passamos por lá e eu achei uma delícia ficar passeando ali, observando trabalhadores e turistas misturados em meio ao colorido.

O czar Alexandre I (Alexander Pavlovich)

Jardim de Alexandre

O jardim leva o nome de um dos czares da dinastia Romanov

Jardim de Alexandre

O Jardim de Alexandre que margeia o Kremlin homenageia o czar Alexandre I

Pertencente à dinastia Romanov, neto de Catarina, a Grande, Alexandre (1777-1825) foi educado por ela. Quando assumiu o trono, foi apelidado pelas moças da corte como “anjo”, pois sempre tinha um meio sorriso no rosto. Contrariando seu pai, libertou todos os prisioneiros políticos, perdoou mais de 12.000 oficiais condenados e aboliu a censura a livros estrangeiros.

Entretanto, quem o conheceu de perto afirma que o czar possuía mente estreita, era desconfiado e rancoroso.

Entre os anos de 1803 e 1804 realizou reformas nas escolas públicas e investiu na construção de novas Universidades.

Guerra Patriótica

Jardim de Alexandre

Jardim de Alexandre

Ele estava à frente do governo russo durante as guerras napoleônicas. A assinatura do Tratado Tilsit (1807) não impediu que Napoleão Bonaparte, que queria dominar o mundo, invadisse a Rússia em 1812.

Teria dito o czar Alexandre I:

“Deixe nosso exército se retirar. Deixe o inimigo tomar Moscou. Eu me retiro para a Sibéria, para as florestas. Deixo minha barba crescer até o peito e como batatas na Sibéria, mas antes, ao menos um soldado francês permanecerá em terras russas. Nós devemos lutar e não haverá negociações desta vez.”.

O czar manteve sua palavra e seu lema a partir de então foi: “Napoleão ou eu, eu ou Napoleão, mas não podemos reinar juntos.”. Alexandre I pegou em armas e era visto com frequência nos campos de batalha.

Napoleão foi derrotado. Na Rússia esta guerra ficou conhecida como Guerra Patriótica, pois originou uma onda de patriotismo nunca antes vista no país. Há quem afirme que o terrível inverno russo foi o responsável pela derrota do Imperador francês. Há quem diga que o exército do czar era mais bem preparado.

Czar viajante

Jardim de Alexandre

Ajudando outra viajante

Jardim de Alexandre

Jardim de Alexandre

Em seus últimos anos à frente do império russo, o czar viajava muito e frequentemente estava fora da Rússia. Ele só encontrava alegria e repouso quando em viagens. Ele costumava dizer que viajava por ele mesmo e não com algum propósito específico.

Morreu de uma gripe que pegou na Crimeia.

O Mestre e a Margarida

Largo do Patriarca em Moscou

Belo cenário no Largo do Patriarca em Moscou

Foi bem aqui no Jardim de Alexandre, que Margarida, a personagem do livro O Mestre e a Margarida de Mikhail Bulgákov, estava sentada em um dos bancos quando aceitou a proposta para reencontrar seu amor: o Diabo.

Tempos antes desse episódio, neste mesmo jardim, o Diabo viu Margarida pela primeira vez e se apaixonou.

Este livro é considerado uma das obras primas da literatura mundial. O escritor levou 10 anos para concluir e num tom mordaz, muitas vezes velado, mostra a Moscou comunista dos tempos soviéticos quando o Diabo visitou a cidade, durante alguns dias na década de 1930.

Foi no  Largo do Patriarca, um belo local em Moscou, que o Diabo chegou naquela tarde de primavera.

A Tumba do Soldado Desconhecido

Jardim de Alexandre

A chama eterna

Jardim de Alexandre

Nomes da cidades que participaram do combate

O Jardim de Alexandre guarda a Tumba do Soldado Desconhecido, construído em 1967, e os nomes das cidades combatentes.

Na tumba estão os restos mortais de um soldado que morreu no lugar mais próximo onde os nazistas conseguiram chegar em Moscou, no ano de 1941.

Há uma inscrição onde é possível ler: “seu nome é desconhecido, mas suas ações são imortais”. Uma chama está constantemente acesa e dois soldados protegem o local.

Como a Praça Vermelha estava fechada, resolvemos descobrir o que havia em seus arredores. Vejam só o que encontramos: + Os arredores da famosa Praça Vermelha.

Vem espiar este mundão lindo comigo:

Siga o Espiando pelo Mundo nas redes sociais: FacebookInstagramTwitter e Google+

Para mais inspirações e histórias de viagem siga o perfil no Pinterest

Gostou de passear comigo pelo Jardim de Alexandre?! Então, que tal salvá-lo em seu Pinterest?! 🙂

Vamos passear pelo belo Jardim de Alexandre, que na verdade são três?! Ele margeia a parede oeste do Kremlin, em direção à Praça Vermelha em #Moscou na #Rússia. Foi construído na primeira metade do século XIX. O nome é uma homenagem ao czar Alexandre I. #viajante #viagem #pelomundo

 

By |2018-12-23T10:40:20+00:0028/10/2014|Categories: Moscou|Tags: |29 Comentários

29 Comments

  1. Laís 05/08/2015 em 17:33 - Responder

    Adorei conhecer sobre a história do czar Alexandre. Aliás, você sempre traz histórias muito interessantes por aqui Ana, sempre bom poder ter esse tipo de leitura =) e linda demais Moscou, tenho muita vontade de conhecer! Beijos

    • Analuiza Carvalho 08/08/2017 em 09:56 - Responder

      oi Laís, fico muito feliz em saber que você também gosta de saber das histórias pretéritas dos lugares e das histórias contadas aqui no EPM. Moscou é mesmo bonita, de uma maneira que eu não poderia supor! Na torcida para que você vá para aqueles lados em breve e possa ver tudo isso ao vivo. beijos

  2. Adriana Mendonca 07/08/2017 em 15:44 - Responder

    Tenho muita vontade de conhecer Moscou! Já vou salvar esse post na minha lista pra quando puder realizar essa viagem.

    • Analuiza Carvalho 07/08/2017 em 16:16 - Responder

      oi Adriana… Moscou é uma cidade impressionante! Na torcida para que você possa realizar em breve esta viagem! 🙂 bj

  3. itamarjapa 07/08/2017 em 17:18 - Responder

    Também pegamos o Jardim cheio de flores e é realmente muito lindo!!! Adoramos conhecer um pouco mais sobre a história de Alexandre! Já não lembro se li em algum lugar, ou no próprio Kremlin, mas o fato é que pela entrada do Jardim de Alexandre, Napoleão entrou no Kremlin. Quando passei lá lembrei disso e fiquei pirando na situação! hehe… Adorei o post!

    • Analuiza Carvalho 07/08/2017 em 17:40 - Responder

      oi Itamar!!!! É bonito o colorido dele né?! Esses fatos históricos quando estamos no lugar mexe com a gente de muitas maneiras. Essa informação de que Napoleão tinha entrado no Kremlin pelo jardim eu não tinha, não sabia, então muito obrigada! Adoro receber informações novas!! 🙂

  4. Thiago 07/08/2017 em 22:14 - Responder

    Nossa que lugar bonito. Adorei seu relato sobre o Jardim de Alexandre. Me deu vontade de conhecer o quanto antes. Parabéns

    • Analuiza Carvalho 07/08/2017 em 22:19 - Responder

      Obrigada Thiago! Moscou tem mesmo muitos lugares interessantes para serem vistos/visitados! 🙂

  5. cwrgutierrez 08/08/2017 em 07:59 - Responder

    Eu não tive tanta sorte como você que pegou o jardim bem florido, na época que fui era começo da primavera e ainda não tinham as flores.

    • Analuiza Carvalho 08/08/2017 em 09:58 - Responder

      oi Christian… deve ser uma paisagem diferente então. Gosto destas mudanças causadas nos cenários pelas estações do ano! 🙂

  6. Juliana Moreti 08/08/2017 em 14:47 - Responder

    Aninha…. mais um post teu sobre a Russia que eu li com um fundo musical… Desta vez fui mais metida a besta e coloquei o Ouverture 1812 de Pëtr Il’ič Čajkovskij (hahahahaha)
    Ela é linda!!!!.

    Adorei um pouco de aulinha de història eu fiquei imaginando a grandeza deste lugar e me maravilhei com flores em setembro!!! E quantas flores! Mais vontade ainda de conhecer este paìs!
    beijinhos

    • Analuiza Carvalho 15/08/2017 em 15:25 - Responder

      oi Juju… da fato ela é linda! A música! Caminhar pelo Jardim de Alexandre com ela deve ser emocionante! Acho que contextualizar a história dos lugares nos coloca como seres humanos, pois somos emoção. Tomara que um dia você vá à Rússia! 🙂 beijo enorme.

  7. […] Praça Vermelha fechada. Visitamos então o espetacular museu Armoury Chamber, passeamos pelo belo Jardim de Alexandre e deambulamos pelo entorno da icônica […]

  8. Ruthia 25/12/2017 em 15:54 - Responder

    Essa obra de Bulgakov é uma das minhas preferidas de sempre… foi muito prazeroso reencontrar o livro. Um dia que passeie nesse jardim, com certeza terá um sabor diferente por conseguir situar o enredo aí. E que dizer desse czar viajante? Quem de nós não se revê nessa vontade constante de partir? Até porque o inverno russo é medonho (não admira que tenha derrotado as tropas napoleónicas).
    Querida Analuiza, votos de um doce ano novo, com muitas e novas aventuras

    • Analuiza Carvalho 26/01/2018 em 21:13 - Responder

      O Mestre e Margarida é mesmo uma obra sensacional e visitar alguns de seus cenários realmente faz toda a diferença! Eu gosto muito!

      Que nosso 2018 seja assim repleto de doces e maravilhosas aventuras! beijoquinhas soteropolitanas para você querida Ruthia!

  9. Flávia Donohoe 29/12/2017 em 08:20 - Responder

    fui no outono e já não tinha mais flores, mas mesmo assim fiquei encantada com o jardim, além é claro de tudo ali ter um significado, desde o memorial ao muro, ainda quero voltar a Moscou, foi uma cidade que me impactou muito!

    • Analuiza Carvalho 09/01/2018 em 18:32 - Responder

      oi Flávia… de fato Moscou é uma cidade impactante! Bonita, interessante, acolhedora… confesso que ela superou todas as minhas expectativas e conceitos. 🙂 Se puder, volto também. rsrs bj

  10. Se eu já tinha adorado o post do museu, fiquei ainda mais encantada com o jardim, suas cores e histórias.
    Muitas informações curiosas que deixam a leitura ainda mais agradável.
    Obrigada por partilhar.

    • Analuiza Carvalho 09/01/2018 em 18:34 - Responder

      oi Fabíola… que bom que gostou do texto! Sempre fico muito feliz com mensagens assim! O Jardim de Alexandre é assim mesmo, com histórias e beleza! 🙂 bj

  11. Ana Carolina Miranda 31/12/2017 em 20:41 - Responder

    Moscou é uma cidade que pretendo conhecer em breve e certamente o Jardim de Alexandre estará no meu roteiro, valeu pela dica.

  12. Angela Castanhel 01/01/2018 em 20:28 - Responder

    Lindo esse jardim. Adoro lugares assim ao ar livre com contato com a natureza. Adorei toda as dicas, valeu mesmo. Beijos

    • Analuiza Carvalho 05/01/2018 em 09:39 - Responder

      Que bom, Angela! Fico feliz em saber que gostou da dica do Jardim de Alexandre em Moscou! 🙂

  13. Flavia 02/01/2018 em 17:46 - Responder

    Que jardim maravilhoso, alias esse foi o primeiro post que eu li falando desse lugar. Uma boa dica para quem vai buscar um contato com a natureza ai na Russia. Fiquei com vontade de ler o livro que indicou.

    • Analuiza Carvalho 11/01/2018 em 19:59 - Responder

      Oi Flavia… sério que nunca tinha lido nada sobre o Jardim de Alexandre?! Que bom que pude apresentar este lugar a você então! 🙂 Leia O Mestre e Margarida: espetacular! 🙂 bj

  14. Flavia Zenke 02/01/2018 em 17:47 - Responder

    Que jardim maravilhoso, alias esse foi o primeiro post que eu li falando desse lugar. Uma boa dica para quem vai buscar um contato com a natureza ai na Russia. Fiquei com vontade de ler o livro que indicou.

    • Analuiza Carvalho 04/01/2018 em 10:40 - Responder

      oi Flávia… o Jardim de Alexandre é mesmo muito bonito e significativo para o passado e presente de Moscou. Gastar um tempo aí é uma boa maneira de aproveitar esta interessante cidade. 🙂 bj

  15. Cleber Yamamoto 04/01/2018 em 13:13 - Responder

    Que jardim incrível, bem florido e cheio de cores! Muito lindo! Gostei muito da história de Alexandre I e como ele derrotou Napoleão Bonaparte, fez me lembrar da época da escola, quando eu não gostava muito de história e hoje eu adoro! Ótimo post! Obrigado por compartilhar

    • Analuiza Carvalho 05/01/2018 em 09:15 - Responder

      oi Cleber, que bom que gostou do Jardim de Alexandre… este é mesmo um lugar cheio de histórias: reais e não tão reais assim! rsrsrs Um lugar para se conhecer para quem visita Moscou! 🙂

Deixar Um Comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.