O JAPÃO em breves PALAVRAS RESGATADAS:

Remexendo o passado descobri um apanhado de frases que compartilhei quase em tempo real nas redes sociais quando visitei o Japão em 2011.  Foram palavras, sentenças expressões de muito entusiasmo por tudo o que estava vendo e vivendo. Bateu muita saudade! É uma delícia recordar viagens que foram maravilhosas experiências. Portanto esse texto nada mais é do que o Japão em breves palavras resgatadas.

O Japão em breves palavras resgatadas

Nós no frio de Takayama

Há exatos cinco anos nós visitamos o Japão. Foi um destino inesperado, completamente fora de qualquer programação de viagem para aquele ano. Entretanto, contudo, o Santos Futebol Clube venceu a Libertadores da América e foi disputar o Mundial de Clubes que aconteceria no país em poucos meses.

Não existia a menor possibilidade de não estarmos presentes neste evento. Foi uma correria para organizar tudo: visto, passagens, hospedagem, ingressos para o jogo, roteiro… Uma vez no país do sol nascente, além do mundial a ideia desde sempre era aproveitar para conhecer o país.

Sem dúvida alguma, visitar o Japão foi um divisor de águas em minha vida de viajante. Ali, eu precisei me libertar de uma série de amarras e me reinventar porque nada no país era familiar ou vagamente compreensível para minha mente e alma ocidentais.

O Mundial Interclubes foi espetacular, mesmo que não tenhamos trazido o título para casa, foi um dos eventos mais sensacionais que já participei. Eu desejei de todo o coração que a confraternização entre os povos que ali estavam representados por seus times, sem preconceitos, com alegria e respeito, se espalhasse por todo o Planeta Terra.

A seguir, uma visita ao passado, àqueles dias tão diferentes e marcantes vividos em terras nipônicas, através de algumas palavras, compartilhadas por mim no facebook, quando ainda estava lá, e que revelam um pouco, apenas uma fração, das minhas descobertas, sensações e entusiasmo por tudo o que estava vendo e descobrindo.

O Japão em breves palavras resgatadas

Mercado em Quioto

O Japão em breves palavras resgatadas

Quioto

“Caminhar pela cidade, agradecer a Deus no Hongwanji e me maravilhar com o Sanjusangen-do, buscar as extintas gueixas e um jantarzinho em um restaurante simpático em Pontocho. Foi assim que nos despedimos de Kyoto e suas montanhas.”

09 de Dezembro de 2011:

“Depois de 2 horas e meia até o aeroporto de Guarulhos, 5 horas de conexão, 10 horas e meia até Londres, com mais 5 horas de conexão, 10 horas até Narita, 1 hora de trem até Tokyo, 3 horas de trem até Kyoto e meia de hora de caminhada até o hotel, posso dizer: ESTOU NO JAPÃO!!!!!!!!!

Já tivemos nossa primeira experiência em terras nipônicas: fomos ao mercadinho comprar uma comida pronta porque depois de dois dias sem dormir, tinha que ser uma coisa prática e rápida. O moço no mercado só falava em japonês, nada de inglês, e as comidas todas descritas em japonês. Fomos pela aparência e sorteeee: delicioso. Para quem gosta de petiscar: lulas e polvo desidratados, em saquinho.”

“Diz Léo: o doce que comi ontem estava muito bom. Perguntei de que era… ahhhh, responde ele, basta saber que era bom. Pois é: pensei o mesmo enquanto comia meu macarrão ontem. Que gostoso. Nem quero saber o que são estas coisas que estão nele.”

A adaptação à comida japonesa talvez tenha sido a parte mais difícil da viagem. É uma gastronomia variada, mas aromas, texturas e sabores não me agradaram. Eu precisei garimpar muito até me entender com a cozinha nipônica, mas então, me apaixonei e tive deliciosas experiências.

“Tem muita mulher elegante aqui. Mas elas andam engraçado. Perece que andam sobre espuma, sem firmeza. Mas não é todo muito igual como eu pensava. São muito diferentes uns dos outros. E gosto muito do cumprimento de cabeça. Hoje começa nosso primeiro dia na cidade. O que será que vamos ver?”

O Japão em breves palavras resgatadas

Em Quioto

O Japão em breves palavras resgatadas

Em Quioto

10 de Dezembro de 2011:

“Bancos fechados. Fomos perguntar a um guardinha de banco onde trocar dinheiro. Comovente o esforço que ele fazia para nos explicar em “japolês” que os bancos estavam fechados hoje. Até o pezinho ele levantou, fazia uma careta de sofrimento, fazia uns desenhos no ar e tentava a comunicação. Sem entender nada e já com pena dele, seguimos nosso caminho e encontramos finalmente uma casa de câmbio. E perguntamos a razão dos bancos estarem fechados. E a menina que falava inglês respondeu: aqui no Japão os bancos não abrem hoje e amanha. Por quê? É feriado na cidade? Não, hoje é sábado? Sábado, já? Não eh sexta não??? Eta fuso, que nos deixa confusos!“

“Alguém ai sabe brincar de mímica?”

“Alguém ai sabe usar banheiro japonês????”

Era uma descoberta atrás da outra, todos os dias. O banheiro foi uma surpresa e tanto. Um país tão moderno que ainda usa um buraco no chão para as necessidades humanas básicas?! Confesso que demorei a me jogar nos banheiros públicos! Hoje, quando lembro, me divirto.

“Ontem havia um monte de mulher na rua de quimono, com passinhos lindos de passarinho…”

“Em Kyoto tem: meninas e mulheres cheias de estilo, pessoas apressadas, transito pesado a qualquer hora do dia, ônibus sempre lotado, pessoas cheias de gentilezas e sorrisos, Prada e Armani, engarrafamento de gente nas ruas, templos belíssimos do séc. XVII, inclusive forrados de ouro… E enquanto o sábado apenas começa no Brasil, acaba para nós agora… E amanha tem mais desta linda cidade encravada em meio a montanhas…”

O Japão em breves palavras resgatadas

Muita gratidão por estar aqui

O Japão em breves palavras resgatadas

Nara – lutei bravamente para comer esse almoço: arroz, frango com pele, ovo meio cru…

11 de Dezembro de 2011:

“Tomamos café da manha no mercadinho ao lado do hotel. Tá fácil agora. Eu falo em português e eles me respondem em japonês. E não é que está funcionando? Já deixei notas para eles, já entreguei 2 centavos de ien para facilitar troco. Eles já esquentaram minha comida, consertaram o valor que estava errado. Estamos no comunicando. Agora vou aprender a usar o banheiro deles.”

“Depois de conhecer muitas suntuosas igrejas católicas em vários países, belíssimas mesquitas muçulmanas em várias cidades andaluzas, chegou a vez de visitar a simplicidade dos templos budistas.”

“Hoje eu fui guerreira: restaurantezinho fofo perto do templo Horyu-ji. A moça que atendeu era muito simpática e só falava japonês. Meia hora para escolher um prato. Fomos pelas figuras, na sorte. Deu azar. Uma cumbuca com arroz ovo e pedaços de frango com pele, que comi quase todo, pensando em várias coisas, para evitar pensar no sabor.. Uma sopa com umas coisas moles boiando. Aí não tive coragem não. Até provei, mas não deu. Um pepino em conserva, muito forte, mas bom e um chá verde muito, muito forte. Fui MUITO guerreira.”

“Você gosta de comida japonesa? Tem certeza????”

O Japão em breves palavras resgatadas

Deixando Quioto em direção a Nagoya

O Japão em breves palavras resgatadas

Os deuses me mandam um recado que até hoje não decifrei

12 Dezembro de 2011:

“Nara foi a primeira capital do Japão e ficou conhecida como cidade da paz. O caminho até o templo é lindo, com ruas simpáticas, lago, pagodes e templos. Estava tendo uma maratona quando chegamos aí. Para chegar ao Todai-ji passamos pelo parque de Nara onde mais ou menos 1000 cervos passeiam calmamente (mais ou menos). As crianças amam. você pode comprar um biscoito típico e alimenta-los. Eles avançam.”

“No parque dos veados, tomei uma narigada de um deles. Como não podia bater nele, pois não tenho autorização dos deuses, bati em Léo, que viu o que ia acontecer e ficou esperando para dar risada de minha cara. 😃😃😃”

“Vila Ikaruga em Nara abriga o Horyu-ji Temple. Um complexo de templos onde está o maior pagode do Japão e a maior estrutura de madeira do mundo. Cada um dos 5 níveis representa um elemento: terra, água, madeira, ar/vento, céu. E parece mesmo querer alcançar o céu.”

“Sayonara Kyoto! Arigatô gozaimas! Sempre fico triste quando deixo uma cidade para trás.”

“Tá difícil se comunicar em Kyoto? Ah! A comida em Kyoto eh ruim? AHHHHHH. Bem vindos a Nagoya!!!!”

O Japão em breves palavras resgatadas

NÃO fui guerreira: deixei toda a comida no prato

O Japão em breves palavras resgatadas

Nagoya

O Japão em breves palavras resgatadas

Toyota para o primeiro jogo do SFC no Mundial

O Japão em breves palavras resgatadas

Toyota a caminho do estádio

13 de Dezembro de 2011:

“Nagoya é a quarta maior cidade do Japão. Começou a ficar importante no sec. XVI. Foi muito bombardeada na Segunda Guerra.”

“Já é manhã de quarta aqui e já estamos de uniforme. Daqui a pouco tomamos o trem para Toyota!!!!!!”

“Levamos mais tempo tentando nos fazer entender nos restaurantes, onde ninguém fala inglês (alias em Nagoya ninguém fala inglês em lugar algum) do que comendo.”

“O Japão é estranho para nós? Tem que ver como eles nos olham. Especialmente nos restaurantes”.

Em nenhum outro lugar no mundo eu fui tão olhada e observada como no Japão. Confesso que não gostei da experiência. Associei o interesse japonês por mim ao meu cabelo e olhos claros.

“Ontem eu NÃO fui guerreira. Larguei a comida toda no prato. Ou melhor, na cumbuca. PELOAMORDEDEUS!”.

O Japão em breves palavras resgatadas

Antes do jogo em Toyota – festa entre as torcidas e entre os povos

O Japão em breves palavras resgatadas

No estádio vendo o Santos ganhar do Kashiwa Reysol

O Japão em breves palavras resgatadas

Takayama nos brinda com a neve

15 de Dezembro de 2011:

“Estar em um mundial não tem preço. É incrível!”

“Neymaro, Neymaro” , gritava a molecadinha japonesa ontem, enlouquecida, tirando várias fotos com os santistas. Gritaram Santos, cantaram, riram… Foi uma festa linda. E melhor ainda o resultado.” .

O Mundial Interclubes foi uma das coisas mais legais que eu já participei. Vários povos diferentes confraternizando, festejando e curtindo muito esse que é um esporte de muita emoção e coração. Alias, eu classificaria o Mundial como intenso!

“Acho que o frio congelou a torcida do Santos! Assistir a um jogo de mundial sentado? Calado? Os torcedores do time da Tunísia gritaram pelo Santos mais que os Santistas. E gritavam para a torcida pular e cantar mais. Os caras estavam animados. E tiraram foto comigo, por causa da bufanda do Santos. Foi muito legal esta confraternização cultural. O mundo deveria ser assim. Seria um mundo muito melhor.”

“Ontem o SFC ganhou do Japão e vai disputar a final contra o Barça.”

“E QUE VENHA O BARÇA!”

“Kyoto já ficou para trás. Nagoya e Toyota também. Estamos agora em Takayama! QUE CIDADE LINDA!!!!! No meio da montanha, com um rio que passa pela cidade. Casinhas japonesas de madeira. Tempo sombrio, sem sol e gelado. Vamos dormir em tatame. Nossos sapatos estão em uma estante lá embaixo. As crianças nos dão tchau. Comi um noodles delicioso em um restaurante que até o preço era em japonês. E jantei numa casa de chá.”

O Japão em breves palavras resgatadas

Linda Takayama

16 de Dezembro de 2011:

“Vem para o Japão? Traga sapato fácil de tirar e colocar e meias fashion…”

“Já me entendi com esta comida japa. Tenho comido muito bem em Takayama. Hoje jantei guiosa: deliciosa. E os almoços também têm sido muito bons, normalmente de soba. O porco de ontem estava ótimo. Ah! E o melhor sashimi que comi foi em Kyoto. Perfeito, como nunca comi no Brasil.”

“Ao sair na rua hoje que surpresa deliciosa: estava nevando. Nevou o dia todo!!!! Ficamos caminhando debaixo de neve. Temperatura em torno de 1 negativo, mas a sensação devia estar mais baixa, pois estamos no meio da floresta.”.

“O dia começa em Takayama. Perto de zero grau. Para começar o dia, um chazinho verde: japanese drink, como eles chamam. Café no mercadinho e bater perna por aí, nesta cidade que parou no tempo, encravada na montanha.”

O Japão em breves palavras resgatadas

Yokohoma para o jogo contra o Barça

O Japão em breves palavras resgatadas

O Santos perde para o Barça, mas acreditamos até o final que podia mudar o triste placar

17/12/2011

“Takayama ontem: 16:30, hora do chá. 17 horas, tudo escuro e nevando. Tudo fechando, ninguém nas ruas. Passamos no mercadinho, levamos meia hora tentando decifrar o que era o que, compramos guiosa, hot dog de ovo e fomos curtir o quentinho no Rick, vendo a neve cair pela janela.”

“Quando acordamos hj pela manhã em Takayama, estava tudo branquinho. Nevou a noite inteira e a paisagem estava linda, pq a vilazinha fica no meio de uma floresta. Passamos no mercadinho, compramos mais guiosa com café e tomamos o trem para Yokohama.”

“Estamos em Yokohama. As pessoas aqui são gentis e simpáticas, mas parecem formiguinhas: não param um minuto. Fashionistas. E riem o tempo todo.”

“Chegamos a Yokohama, fizemos check-in e o moço, muito simpático e muito falante, nos disse que podíamos deixar as bagagens no quarto, mas só as bagagens. O quarto já está pronto, mas vocês só podem entrar 15 horas (o check-in é às 15h e check-out às 11h). Eram 14:30. Ok, então!”

“Em uma loja de Yokohama: “new alivals””

“A melhor coisa que aprendi no Japão? Como se diz arroz em japonês. Em todo lugar aponto para a figurinha no cardápio e pergunto se o prato tem ou não arroz. Porque na figurinha não aparece o arroz que fica escondido debaixo da comida. Agora, arroz no Japão, nunca mais passo por esse tormento.”.

“23:30 em Yokohama, hora de dormir que amanha É DIA DE FINAL!!!!!”

“Vai um café da manhã japonês aí? Tem muita variedade: de arroz! Com uma coisa esquisita verde em cima, outros com laranja, rosa, amarelo… pode escolher à vontade. Tem para todo gosto. ECA!”.

“Devidamente uniformizada! Hoje Yokohama vai ficar pequena!!!!”

O Japão em breves palavras resgatadas

Tóquio

19 de Dezembro de 2011:

“Não levamos o mundial, mas vi Messi e o Barcelona jogar. É absurdo o que o moleque faz em campo. E o Barça joga muito. Perder é sempre ruim, mas é melhor perder para um grande time.”

“Não deu. Perdemos, é verdade. Não jogamos, não fizemos muito. Mas nada tira o brilho de ter estado lá, disputando uma final, nada tira o brilho de ver a molecadinha japonesa usando bufanda do Santos. Nada tira o brilho da torcida santista que torceu e incentivou até o juiz apitar o fim da partida. Foi muito bom ter estado lá. Valeu cada segundo. E apesar do Barça ter ganhado, o estádio era preto e branco.”.

“E então chegamos hoje em Tokyo para a última parte da viagem. É uma cidade intensa, uma São Paulo ampliada muitas vezes. Andar nas ruas é uma aventura. O metrô eh uma imensidão. Mas mesmo assim, sempre que alguém precisa de uma ajuda ou informação, eles são a paciência em pessoa. No fim do dia, ruas lotadas, as pessoas rindo, conversando, falando ao celular, metrô lotado, bares, restaurantes… E hoje é segunda-feira.”.

“Andar pelas ruas de Tokyo é uma atração e tanto, porque as pessoas são muito diferentes, há muitos tipos de pessoas e a moda japonesa eh muito criativa. Cada detalhe eh pensado e elaborado. As unhas das meninas são um espetáculo à parte. E olhe que nem vamos conseguir ver a lolitas!”

 21 de Dezembro de 2011:

“Tomando café da manhã. No pão, umas coisinhas esquisitas. Comendo rápido para não saber o que é…”.

“Já sei usar o banheiro japonês. ehhhhhh. MAS cada banheiro é uma surpresa, porque nenhuma eh igual ao outro.”.

O Japão em breves palavras resgatadas

Celebrando o aniversário do Imperador japonês

O Japão em breves palavras resgatadas

Mercado de Tokyo

O Japão em breves palavras resgatadas

Quase fomos expulsos daqui

22 de Dezembro de 2011:

“Bom dia Tokyo. 1 grau negativo e é dia de visitar o Imperador para comemorar seu niver”.

“Se eu ganhasse 10 yenes cada vez que uma japonesa me medisse dos pés a cabeça sairia daqui rica”.

“As frutas aqui tem um preço ótimo: R$10,00 uma fina fatia de melão. R$15 uma maçã…”

“Ae mulherada: unhas da mão, R$100,00; Se quiser unha arte, sai por R$12,50 cada unha!”.

“O negócio não é só encontrar alguém que fale inglês, mas que fale um inglês que a gente compreenda: meia hora para entender que o cara queria dizer “color”!!”

“Depois de andar sobre sangue e água suja no imenso e louco mercado de peixes de Tokyo, quase ser expulsa do restaurante pela dona, uma senhorinha brava brigando em japonês, tive uma tarde de Carrie e com meu próprio Mr. Big.”.

“Acha que o metrô de SP eh cheio? Vem para Tokyo…”.

23 de Dezembro de 2011:

“Tomando café da manhã. No pão, umas coisinhas esquisitas. Comendo rápido para não saber o que é…”.

“ahhhhhhhhh, sou gorda no Japão. As marcas japonesas não cabem em mim!!!!”.

“A massa do doce japonês eh muito boa. O problema eh o que eles colocam dentro! “.

“Já sei usar o banheiro japonês. ehhhhhh. MAS cada banheiro é uma surpresa, porque nenhuma eh igual ao outro.”,

“Último dia em Tokyo. Que pena. quando o Japão estiver comemorando o Natal, hoje à noite, estaremos no aeroporto. Quando o Brasil estiver comemorando o Natal, estaremos voando, entre Tokyo e Londres.” 

O Japão em breves palavras resgatadas

Japão

Aos poucos, vou resgatando toda essa viagem ao Japão; são muitas e maravilhosas histórias para contar, muitas cidades para mostrar, compartilhar. Viajantes, se aventurem na terra do sol nascente. Garanto que será uma experiência, no mínimo, marcante!

By |2018-03-07T00:57:03+00:0016/01/2017|Categories: Preliminares Japonesas|Tags: |4 Comentários

4 Comments

  1. Juliana Moreti 12/06/2017 em 19:47 - Responder

    #chocada!
    hahahahahahaha
    Não sabia nem que você era torcedora de futebol e muito menos que vocês dois eram santistas!!!!
    Me diverti em saber disso!

    Eu me lembro do dia seguinte apòs o Corinthians ter vencido a Libertadores. Descobrimos que 2 colegas no meio da super bebedeira compraram passagens para o Japão e quase tomaram uma surra das namoradas no dia seguinte quando se lembraram do que fizeram no dia anterior!

    Rimos muito da “cabacisse”; eles tiveram que correr atràs de todo o restante (como comprar ingressos…. um quase ficou sem), mas no final das contas eles foram e amaram (e tiveram a sorte de ver o time sair de là campeão)!

    Mas voltando ao teu texto…. quanta interatividade! Adorei!
    hahahaha
    confesso que segui para ver teu comentário sobre a derrota…. Até hoje eu me divirto com a gozação “Gooool do Barcelona”…..

    • Analuiza Carvalho 14/06/2017 em 21:52 - Responder

      rsrsrsrsrs Rindo muito com seu divertimento… Pois então, adoro futebol e apesar de ser baiana até o último fio de cabelo fui conquistada pelos meninos da Vila. Tudo bem que tem influência do Léo, MAS… rsrsrsrs Eu adoro estádio de futebol, a vibração das torcidas… Já tomei tanta chuva em estadio. rsrsr Chorei horrores no Maraca ano passado com o Brasil, mesmo com todas as minhas convicções políticas a respeito das Olimpíadas!

      Foi o Santos que nos levou ao Japão e foi triste perder! O jogo foi terrível, mas Messi fez uma partida linda. Pena que era adversário. rsrsrsrsr Quando perdemos o mundial, comentamos da boa decisão de ainda ficarmos no Japão mais alguns dias, escapando assim das piadas! ehehehe

      Temos amigos corinthianos e vimos uma galera fazer besteira para estar no mundial, mas eu digo é uma experiência e tanto estar num evento desses!!! Quando a gente traz o título para casa então!!!!! Já mandei mensagens via pensamento para o Santos dizendo que quero ir de novo! eheheheh beijocas

  2. […] O Japão em breves palavras resgatadas […]

  3. […] + O Japão em Breves Palavras Resgatas […]

Deixar Um Comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.