Ilha de Páscoa – nossos primeiros SENTIMENTOS:

Depois de fazermos o check-in no Tea Nui Hotel e matarmos a fome com empanadas da Tia Berta, estávamos prontos para começar a desvendar os mistérios da Ilha de Páscoa e criar os nossos primeiros sentimentos a respeito dessa ilha tão intrigante.

Como já era fim de tarde, resolvemos explorar as proximidades de Hanga Roa a capital de Rapa Nui, e essa parte da ilha não poderia ser mais bucólica com seus barquinhos coloridos, casinhas térreas com muita pedra e vidro, estrada de terra, quase ninguém circulando e um mar de cor mais incrível que já havia posto os olhos.

Primeiros sentimentos

A Ilha de PÁSCOA – nossos primeiros SENTIMENTOS:

A bucólica Ilha de Páscoa

A Ilha de PÁSCOA – nossos primeiros SENTIMENTOS:

Gostei assim, facilmente

A Ilha de PÁSCOA – nossos primeiros SENTIMENTOS:

Pedaços de Rapa Nui

A Ilha de PÁSCOA – nossos primeiros SENTIMENTOS:

Fragmentos da Ilha de Páscoa

A Ilha de PÁSCOA – nossos primeiros SENTIMENTOS:

Descobrindo a Ilha de Páscoa

Meus sentimentos em relação a Ilha de Páscoa foram instantaneamente os mais deliciosos. Eu gostei daquele lugar de imediato. O contato com a natureza, os moais, a vida ao ar livre… Tudo concorreu para que eu fosse inundada de júbilo e prazer.

A primeira coisa que descobrimos sobre Rapa Nui foi que o vento ali não estava para brincadeiras! Ele vinha com uma força que nunca havia presenciado antes. Tivemos que fazer certo esforço para nos deslocarmos. Naquele momento, foi revigorante!

O primeiro encontro com um Moai

A Ilha de PÁSCOA – nossos primeiros SENTIMENTOS:

Encantada com a ilha

A Ilha de PÁSCOA – nossos primeiros SENTIMENTOS:

Descobrindo juntos a Ilha de Páscoa

A Ilha de PÁSCOA – nossos primeiros SENTIMENTOS:

Uma estado de muita poesia

A Ilha de PÁSCOA – nossos primeiros SENTIMENTOS:

O primeiro Moais a gente nunca esquece

A Ilha de PÁSCOA – nossos primeiros SENTIMENTOS:

Moais – habitantes mais ilustres da Ilha de Páscoa

Nesse fim de tarde nós apenas caminhamos, sentindo o clima, apreciando a paisagem, olhando tudo com curiosidade e não posso negar que o sentimento era certamente de surrealidade, afinal estávamos em um dos lugares mais isolados do mundo, onde o local habitado mais próximo é o Chile distante 3.508 Km de Rapa Nui.

Quando me vi diante do primeiro (de muitos) Moais, os sentimentos eram de incredulidade, entusiasmo, alegria desmedida e muita curiosidade sobre a história daqueles caras de pedra que tanto desafiam a humanidade atualmente e despertam estudos, teorias, aguçam a imaginação e criam lendas.

Os habitantes ilustres de Rapa Nui

A Ilha de PÁSCOA – nossos primeiros SENTIMENTOS:

Um dos muitos Moais que habitam a Ilha de Páscoa

A Ilha de PÁSCOA – nossos primeiros SENTIMENTOS:

Travando o primeiro relacionamento com um Moai

A Ilha de PÁSCOA – nossos primeiros SENTIMENTOS:

Nem parece realidade estar na misteriosa Ilha de Páscoa

A Ilha de PÁSCOA – nossos primeiros SENTIMENTOS:

Cheia de poesia esta Ilha de Páscoa

A Ilha de PÁSCOA – nossos primeiros SENTIMENTOS:

O Moai vigia da Plaza Hotumatua

A segunda coisa que descobrimos sobre Rapa Nui é que os habitantes mais ilustres da ilha são os Moais, mas não os únicos! Os cachorros que vivem nessa parte do mundo são diferenciados, possuídos por algum princípio inteligente e foram nossos companheiros e guias em vários momentos de perambulação na Ilha de Páscoa.

Descobrindo a Ilha de Páscoa

A Ilha de PÁSCOA – nossos primeiros SENTIMENTOS:

Essa parte da Ilha de Páscoa está carregada de poesia

A Ilha de PÁSCOA – nossos primeiros SENTIMENTOS:

Nossos sentimentos nos guiaram nessa primeira tarde em Rapa Nui

A Ilha de PÁSCOA – nossos primeiros SENTIMENTOS:

Um pequeno pedaço da ilhota

A Ilha de PÁSCOA – nossos primeiros SENTIMENTOS:

Descobrindo a Ilha de Páscoa

A Ilha de PÁSCOA – nossos primeiros SENTIMENTOS:

Ilha de Páscoa e seus recortes

A Ilha de PÁSCOA – nossos primeiros SENTIMENTOS:

Natureza pura

A Ilha de PÁSCOA – nossos primeiros SENTIMENTOS:

A delícia que é estar na Ilha de Páscoa

O tempo estava meio nublado, mas não choveu e não fazia frio. Toda a configuração daquele pedaço de ilha era tão apaixonante que a energia que circulava era vibrante, intensa, perceptível, mas ao mesmo tempo transbordava poesia, em um ritmo lento, pausado, excelente para ser sentido.

Caminhamos, sentamos, olhamos… Deixamos que nossos sentimentos nos guiassem e permitimos que nossos sentidos brincassem com algo novo, diferente como aquela natureza ali exposta, ao alcance de nossos olhos, pele e tato.

Nós estamos mesmo em Rapa Nui!

A Ilha de PÁSCOA – nossos primeiros SENTIMENTOS:

Outros habitantes ilustres de Rapa Nui – os cachorros

A Ilha de PÁSCOA – nossos primeiros SENTIMENTOS:

Companheiro e guia de Rapa Nui

A Ilha de PÁSCOA – nossos primeiros SENTIMENTOS:

A Ilha de Páscoa

A Ilha de PÁSCOA – nossos primeiros SENTIMENTOS:

Sim! Estamos na Ilha de Páscoa

A Ilha de PÁSCOA – nossos primeiros SENTIMENTOS:

Encantada: simples assim

A Ilha de PÁSCOA – nossos primeiros SENTIMENTOS:

A Ilha de PÁSCOA – nossos primeiros SENTIMENTOS:

Descobrindo seus fragmentos

Sem compromisso algum, nos entregamos sem reservas. Chegamos de fato a um dos lugares mais misteriosos e intrigantes do mundo todo e nossos sentimentos não poderiam ser mais positivos. Era, sem dúvida, um privilégio estar ali e sabíamos disso! Estamos prontos para você Rapa Nui!

A Luiza, viajante de alma, escritora do Olhos de Turista faz um apelo a nós turistas para que tenhamos respeito pelos lugares que visitamos em seu “Manifesto a Favor do Turismos Sustentável“.

Para que lugares como Rapa Nui (além de outros tantos neste lindo mundo) continue a existir, nós visitantes, temos que respeitá-los e não deixar marcas ferozes e agressivas em nossas passagens.

Você pode salvar este texto sobre nossos primeiros sentimentos por Rapa Nui em seu Pinterest, clicando na imagem abaixo, antes de construir seus próprios sentimentos a respeito desta misteriosa ilha:

A Ilha de Páscoa é apaixonante e possui energia que circula vibrante, intensa, perceptível, mas ao mesmo tempo a ilha transborda poesia, em um ritmo lento, pausado, excelente para ser sentido.

By |2018-03-07T00:58:11+00:0028/05/2014|Categories: Ilha de Páscoa|Tags: |4 Comentários

4 Comments

  1. […] A Ilha de Páscoa – nossos primeiro sentimentos […]

  2. […] nosso primeiro dia na Ilha de Páscoa, como já era fim de tarde, resolvemos explorar os arredores de Hanga Roa, sua capital e […]

  3. Ana Carolina Miranda 19/08/2017 em 10:47 - Responder

    Essa viagem deve ter sido inesquecível! Quando fui ao Chile não deu certo para irmos até a Ilha de Páscoa, lendo seu post tive certeza que terei que voltar ao país e ir até essa Ilha.

    • Analuiza Carvalho 19/08/2017 em 13:00 - Responder

      oi Ana… Rapa Nui é mesmo um lugar sensacional. A minha recomendação é que encare este destino com um país, ou seja, programe uma viagem para lá e não apenas encaixe em uma viagem ao Chile. Mesmo sabendo que possivelmente terás um pernoite em Santiago. 🙂 beijocas

Deixar Um Comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.