Nosso GG em HAVANA de Pedro Juan GUTIÉRREZ

O cenário desta história não poderia ser mais interessante, atraente, intrigante: Havana! Não a Havana de agora, que tantos turistas e visitantes ocasionais acreditam conhecer profundamente. Nosso GG em Havana nos conduz por outra cidade, mais velha, mais antiga…

Havana, anos 50

Havana, anos 50. Fidel nem estava em Sierra Maestra ainda. Não sabemos o quanto a ficção e a realidade se misturam nesse quadro criado pelo escritor e jornalista cubano Pedro Juan Gutiérrez. O que sabemos de fato é que ele brinca com outro escritor: o inglês Graham Greene.

Tudo começa com GG chegando a Havana, de Pan Am, proveniente de Chicago. Ele logo é engolfado pelo calor excessivamente intenso e úmido da cidade. Bem sei o que é isso. Em meus dias na capital cubana cheguei a pensar que poderia morrer ali mesmo, frita que nem bolinho de estudante sob o sol inclemente de Havana.

Parte da história

Nosso GG em Havana

Hotel Inglaterra

Greene se hospeda no Hotel Inglaterra, Paseo del Prado, num. 416 esq. San Rafael. Branquinho, ele tem uma encantadora fachada. Construído em 1875 sobreviveu aos anos, mesmo aqueles mais conturbados do país, chegando inteiro aos dias atuais. Imaginei Greene em suas dependências, quando estive ai, de frente para ele, em observação e admiração.

O que leva o inglês à Havana é a vontade de mudar de vida.

Encontra em Havana um mundo escondido, mas que não demora a ser revelado a ele, o turista. Luxúria, ruas mal iluminadas, shows eróticos, prostituição, assassinato… Estes são alguns elementos que Pedro Juan nos apresenta de maneira crua e direta.

Os Havaneses são muito astutos. Mesmo os mais sérios só querem meter a mão no seu bolso e ficar com uns dólares.”.

No entanto, nem tudo é o que parece ser. Melhor tomar cuidado, porque novos rumos se desenham no horizonte de Havana.

Uma morte, muitos envolvidos: agentes do FBI, espiãs da KGB, gângsteres e até caçadores de nazistas. Apesar do sangue, há um, ou muitos, traços de ironia nesta trama.

Uma curva no meio do caminho

Nosso GG em Havana

Nosso GG em Havana

Quando pensamos que entendemos tudo e estamos conseguindo seguir o fio da meada, Pedro Juan vira a direção e nos surpreende.

A Havana de meados dos anos de 1950, antes de Che, Castros e Cienfuegos, está prestes a mudar o curso de sua história com a Revolução Cubana. Nada mais será como dantes. Por enquanto, entretanto, durante a passagem de GG pela cidade, ela tem esta cara: sensual, má até. Pelo menos para os mais fracos.

Revisitamos esta Havana, real ou fake, não sei, com Pedro Juan Gutierréz, através de Greene. Ele nos leva a um mundo de sobrevivência, onde tudo (ou muito) é permitido. Em verdade, paira a dúvida: o quanto é luta pela sobrevivência e quanto há de prazer genuíno nas pessoas que circulam neste submundo.

Em Cuba nada é exato. Este é o encanto”.

Foi exatamente este meu sentimento durante os dias em que passei nesta cidade. Ela tem muitas entrelinhas. Gretas, frestas, frinchas. Havana pode intrigar e apaixonar. Ou não. Os sentimentos que ela causa nos visitantes costumam ser exacerbados, intensos. Às vezes beira a insanidade, muitas outras enfrenta a deselegância e tolice.

Nosso GG em Havana

Nosso GG em Havana

Paseo do Prado

O ritmo do livro é ágil, bem ao estilo picante e desnudo do autor, com muitas viradas de esquina, mas simples, básico, sem sofisticação ou complicações. Apenas o seguimos e já estamos, envolvidos.

Ao mesmo tempo nos faz pensar. Paradoxos cubanos!

A Havana de Nosso GG em Havana me pareceu mais exposta, diferente da que encontrei, anos depois, cheia de camadas, cerradas. Entretanto, ventos soprados daqueles lados indicam que mudanças estão a caminho. Novamente.

GG saiu caminhando (…) em direção ao Paseo del Prado. (…) à primeira vista, Cuba parecia normal.”.

Construído em 1772, o Paseo del Prado é uma alameda arborizada. Um dos lugares mais aprazíveis da capital cubana. Talvez por ser um sopro de frescor em meio ao sufocante calor. Ali, vi diariamente o desenrolar de cenas da vida cotidiana. Testemunha de diversas fases da história de Havana, hoje é palco de exposições e manifestações culturais.

Fiquei imaginando o que terá visto Greene no Prado, naquela distante manhã, após aquele encontro inusitado.

A Havana de Gutierréz é excessiva, caótica, intensa, dura. Cheira a pecado, a luta, a aceitação do inevitável… É estimulante e repugnante. Tem um mecanismo próprio, que lhe dá movimento, oculto. A minha Cuba é apaixonante, frustrante e muito misteriosa!

Chegamos ao fim da trama. Não sem alívio. Mas com certeza com saudades de deixar para trás esta cidade abundante e envolvente.

O paraíso espera você em Cuba.”.

Nosso GG em Havana

Autor: Pedro Juan Gutiérrez (Cuba)

Editora: Alfaguara

Números de Páginas: 125

Venha espiar este mundão lindo comigo pelas redes sociais. 

Siga o Espiando pelo Mundo nas redes sociais: FacebookInstagramTwitter e Google+

O mundo nos livros apresenta Nosso GG em Havana do escritor cubano Pedro Juan Gutiérrez: A Havana de Gutierréz é excessiva, caótica, intensa, dura. Cheira a pecado, a luta, a aceitação do inevitável… É estimulante e repugnante. Tem um mecanismo próprio, que lhe dá movimento, oculto. #omundonolivro #havana #cuba #literatura #livros #leiamais

Clicando na imagem acima Nosso GG em Havana de Pedro Juan Gutiérrez ficará guardado em seu perfil no  Pinterest. 🙂

Para mais inspirações e histórias de viagem siga o perfil do Espiando pelo Mundo no Pinterest.

Nosso GG em Havana de Pedro Juan Gutierréz

Se você, meu caro viajante, gostou de ler a resenha de Nosso GG em Havana de Pedro Juan Gutiérrez, compartilhe em suas redes sociais para que os amigos leiam  também! 🙂 

Os botões de compartilhamento estão aqui abaixo.

Cais da Ilha de Genebra

 

By |2018-07-12T16:22:52+00:0011/08/2017|Categories: O Mundo nos Livros|Tags: , |6 Comentários

6 Comments

  1. Gabi Torrezani 13/07/2018 em 08:14 - Responder

    Que legal, adoro indicaçoes de livros! Esse em especial, que dialoga com a linda cidade de Havana, me interessou bastante! 😀

    • Analuiza Carvalho 13/07/2018 em 15:26 - Responder

      oi Gabi… eu também amo dica e sugestões de leituras! Sou uma eterna namoradeira de livros e histórias. Este livro me levou a uma Havana que não conheci: obscura! Se o ler, me diga se gostou ou detestou. 🙂 bjs

  2. Paula Abud 14/07/2018 em 08:07 - Responder

    Adorei o post, Ana! Livros são minha paixão também e acho incrível você ter feito um roteiro inspirado em um livro, também tenho vários livros apaixonantes e com destinos incríveis que ainda quero realizar. Sou uma super apaixonada pelo roteiro da Liz Gilbert em Comer, Rezar, Amar, mas não sei se, ainda, tenho o perfil dessa viagem que requer um equilíbrio muito grande. Mas adorei ler sobre a sua visão de um lugar que foi retratado completamente diferente. Parabéns!

    • Analuiza Carvalho 17/07/2018 em 19:29 - Responder

      oi Paula… eu também adoro receber indicações de livros, por isso sempre que possível falo daqueles que eu gostei. Eu também li Comer Rezar e Amar e deve ser uma delícia fazer uma imersão como ela fez, não?! Quem sabe um dia eu não faça um roteiro assim?! bjs

  3. Ana Carolina Miranda 15/07/2018 em 17:24 - Responder

    Indicações de livro são sempre bem vindas. Adoro! Ainda mais que sou louca para conhecer Cuba. Ótima dica.

    • Analuiza Carvalho 16/07/2018 em 10:06 - Responder

      oi Ana… se tem vontade de viajar para Cuba, visite antes a Havana de Pedro Juan Gutiérrez… bjs

Deixar Um Comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.