Noite do ORÁCULO de Paul AUSTER

Viagem para Nova York marcada, comecei a buscar livros para ler que me contassem um pouco mais desta cidade que em nada me atraía. Assim, encontrei Noite do Oráculo de Paul Auster.

A sensação que eu tinha (tolice a minha) era de que já sabia tudo o que tinha para saber sobre a cidade de Nova York. Afinal, quantos livros eu já havia lido que falavam sobre ela?! Quantos filmes eu já tinha assistido?!

Quantos viajantes já tinham narrado para mim suas andanças pela cidade considerada capital do mundo?!

A história de Noite do Oráculo

Pois bem… Ao chegar em Nova York percebi que nada sabia sobre a cidade, mas quem me deu a primeira pista sobre minha ignorância foi Paul Auster em sua Noite do Oráculo.

Inicialmente, a capa me intrigou: escritos, rascunhos em uma folha de caderno… Atraiu-me e me atrai até hoje. Além do mais, descobri mais tarde, que ela é a tradução do personagem principal: Sidney Orr, um escritor nova yorkino que escapa da morte.

Como?! Não sabemos. Apesar de minha curiosidade, sempre sou curiosa, não tem exatamente relevância para o bom desenrolar da história que gira em torno de Orr, sua esposa Grace e o melhor amigo de ambos, o também escritor John.

Interessante desde o início

O livro me agradou em princípio, já nas primeiras páginas (gosto da literatura que já me ganha no início) por sua natureza cotidiana. Ao me mostrar a vida singela e sem graça de Orr, eu me senti vivendo Nova York.

Auster, bem aí, me pega pelo pé e conquista.

Estive doente durante muito tempo. Quando chegou o dia de deixar o hospital, eu mal sabia andar mais, mal conseguia lembrar quem era.” Já assim, somos apresentados a Noite do Oráculo.

Era início da década de 1980. Orr e Grace moravam em Cobble Hill no Brooklyn.

Depois disso, pelas histórias e tramas que se desenrolam, com vigor e interesse, de maneira pouco comum, em tramas paralelas, fui ficando cada vez mais sequestrada e satisfeita, além de constantemente curiosa e intrigada com aquelas jornadas.

Histórias paralelas

Noite do Oráculo de Paul Auster

Entremeando a história presente de Sydney, Grace e John, histórias paralelas: de seus passados e do livro que Orr tenta escrever, além de nos levar por histórias de compleição surreal, que não cabem nas esferas deste mundo. Assim, nos vemos envolvidos também com Nick e M. R. Chang, que habitam universos simultâneos, mas desiguais.

Esta logística na narrativa modifica de tempos em tempos, seu caráter trivial e cotidiano. É uma maneira de nos sacudir, de levar a outro patamar. Ela nos tira do eixo nos reorganiza e nos coloca em novo trilho.

Assim, a história nos absorve nos prende. Ficamos atentos! Pode confundir, por vezes. Fazer refletir, ocasionalmente.

Paul Auster tem o dom de acariciar as palavras…

O final é tão surpreendente que confesso ter precisado de um tempo para entender sua realidade.

Não gosto de admitir ou reconhecer, mas acho que a Noite do Oráculo me fez começar a desejar ver Nova York de perto.

Noite do Oráculo de Paul Auster

Noite do Oráculo

Autor: Paul Auster (Estados Unidos)

Editora: Companhia das Letras

Números de Páginas: 224

Venha espiar este mundão lindo comigo pelas redes sociais. 

Siga o Espiando pelo Mundo nas redes sociais: FacebookInstagramTwitter e Google+

Noite do Oráculo de Paul Auster

Clicando na imagem ao lado Noite do Oráculo de Paul Auster ficará guardado em seu perfil no  Pinterest. 🙂

Para mais inspirações e histórias de viagem siga o perfil do Espiando pelo Mundo no Pinterest.

Noite do Oráculo de Paul Auster

Se você, meu caro viajante, gostou de conhecer Noite do Oráculo de Paul Auster, compartilhe em suas redes sociais para que os amigos leiam  também! 🙂 

Os botões de compartilhamento estão aqui abaixo.

Cais da Ilha de Genebra

 

By |2018-07-06T11:35:22+00:0004/03/2018|Categories: O Mundo nos Livros|Tags: |0 Comentários

Deixar Um Comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.