O Museu Nacional GERMÂNICO e seu ÓTIMO acervo

Destino daquele fim de tarde: o Museu Nacional Germânico – Germanisches Nationalmuseum. Como eu adoro viajar pelo passado das cidades através de sua arte, estava ansiosa por esta visita e por descobrir o que mais de bom a encantadora Nuremberg tinha a me oferecer.

O museu não me decepcionou.

História e acervo

O Museu Nacional Germânico (Kartäusergasse 1) foi fundado em 1852 pelo aristocrata Hans von Aufsess, e foi considerado como sinal da prosperidade de Nuremberg, sendo ele o maior e mais importante museu de arte e cultura da Alemanha.

Museu Nacional Germânico

O belo foyer do Museu Nacional Germânico

Museu Nacional Germânico

Museu Nacional Germânico

De fato, o acervo é grande: mais de 25 mil das mais variadas peças estão expostas nos 17 ambientes que compõem o museu, incluindo parte de uma Abadia Cartusiana, sendo que a coleção completa possui mais de 1,2 milhões de obras de arte.

O Museu Nacional Germânico cabe em muitos gostos justamente por contar a história alemã através de objetos e artefatos diversos, incluindo muitas áreas, de épocas distintas, cobrindo diversos séculos.

O prédio que abrigava o acervo foi bombardeado no fim da Segunda Guerra Mundial. O edifício atual é moderno, bonito e agrupa um conglomerado sortido de estilos.

Foi concluído em 1993.

Museu Nacional Germânico

Museu Nacional Germânico: estilos sortidos

A coleção abrange belas obras

A coleção abrange pinturas, esculturas, artesanato, artigos de decoração, bonecas, instrumentos musicais antigos, arte popular, armas e equipamentos de caça, meios de transporte, instrumentos científicos e artes de cura englobando desde a pré-história até tempos mais modernos.

São Cosme e São Damião e Retrato de uma Mulher de 31

Representações do trabalho no campo nos diversos meses do ano: Junho, Julho, Agosto, Setembro, Dezembro

Assim, podemos nos deliciar com o São Cosme e São Damião pintado por Hans von Kulmback (século XV), meus velhos conhecidos, já que nasci no dia deles e sempre me divirto ao ver suas representações sob o olhar dos mais variados artistas.

Podemos conhecer as damas do século XVI através de Retrato de Uma Mulher de 31, pintado por Barthel Beham. Ele foi banido de Nuremberg por posturas anticristãs, mudando-se para Munique.

Há belos e expressivos retratos pintados por Dürer como o de seu mestre, Michael Wolgemut e de sua mãe. As cenas que representam o trabalho no campo durante os meses do ano, por Hans Wertinger (século XVI), são bárbaras! Elas mostram o way of life dos campesinos daquele século.

Um voltar no tempo através de muitas pinturas

No Maria mit Kind und Papageien (Maria com Criança e Papagaios) de Hans Grien (1533), a criança parece nos olhar com raiva por termos invadido sua privacidade e a obra passeia entre o erótico e o devocional.

Devoto todo o meu amor a The Matched Couple de Lucas Cranach (século XVI) onde o velho senhor é enganado pela sedutora mulher. Os olhares de ambos são espetaculares. Quando me vi diante de Carlos IV de Salomon Adler (século XVII) esperei que a qualquer momento ele fosse sair da tela e trocar uma ideia comigo.

Museu Nacional Germânico

Maria mit Kind und Papageien, The Matched Couple e Filho Pródigo com Prostitutas

Museu Nacional Germânico

Perdida em meio a cena de Filho Pródigo com Prostitutas: tenho certeza que ouvi risos e o farfalhar das saias das mulheres

Em Der verlorene Sohn bei den Dirnen (Filho Pródigo com Prostitutas – século XVII) eu me peguei sorrindo e mexendo os pés, quase a bailar pela sala porque posso garantir que ouvi música, acima dos risos, barulhos de copos, de conversas, de pés e cadeiras se arrastando, do farfalhar das saias das mulheres. Uma personagem feminina me olhava enquanto eu observava a cena.

As opções são inúmeras em termos de pinturas, minha grande paixão, uma forma deliciosa de voltar no tempo, de olhar as pessoas do passado. Em momentos assim, eu só quero me perder nas imagens e nos episódios que contam histórias e mostram sentimentos.

Livros, um globo antigo e esculturas…

Museu Nacional Germânico

O apóstolo Paulo e Notburga

Museu Nacional Germânico

Museu Nacional Germânico

Museu Nacional Germânico

Museu Nacional Germânico: livro falando da crucificação de Jesus e o globo sobrevivente mais antigo do mundo – o continente americano não está representado

Museu Nacional Germânico

Museu Nacional Germânico: a arte da cura

Museu Nacional Germânico

Museu Nacional Germânico: vestuário e louças do século XVIII, um passeio por costumes seculares

Museu Nacional Germânico

Museu Nacional Germânico: um carrinho de bebê e um esqueleto feminino

A escultura de Notburga, a protetora dos empregados domésticos que olha para sua foice erguida enquanto os sinos chamam para a oração é cheia de vida, assim como a do apóstolo Paulo e tantas outras que vimos espalhadas pelo museu.

Lá está também o globo terrestre sobrevivente mais antigo do mundo, de Martin Behaim (1491- 1493) com o desenho do que se conhecia à época, ou seja, não consta o continente americano.

Livros antigos, grandes e coloridos, instrumentos de astrologia, uma antiga farmácia, lindos vestidos do século XVIII e louças de muitas eras: cada peça mais bonita, interessante e encantadora que a outra, que são reais, fizeram parte da vida de muitas pessoas que passaram por aqui antes de nós.

A Abadia Cartusiana

A Abadia Cartusiana forma um curioso, estranho e confuso desenho com as salas modernas do museu formatando um complexo atraente. A ordem do Cartuxos fazia parte religião católica, fundada no século XI, cujos membros eram contemplativos e semi-eremitas. Longos corredores, janelas desenhadas, arte sacra: tudo isso encontramos na abadia.

Museu Nacional Germânico

Museu Nacional Germânico: parte da Abadia Cartusiana

Museu Nacional Germânico

Museu Nacional Germânico: parte da Abadia Cartusiana

Há uma sala inteira dedicada a artefatos de guerra. Vimos esqueletos, mesas antigas, cadeiras. É uma coleção muito sortida. O tempo jamais será suficiente em uma única ou mesmo duas visitas, para apreciar tudo o que o Museu Nacional Germânico oferece.

Nós ficamos apenas 3 horas perambulando, degustando e saboreando, escolhendo o que mais assentava aos nossos espíritos durante aquela noite.

Eu fiquei muito triste porque além de nós, somente um trio de jovens estava no museu. As salas estavam vazias. Eu já tinha lido em algum lugar que o este museu era subestimado e pouco visitado: uma pena.

O museu está assim distribuído:

Térreo – História do Museu Germânico Nacional;Pré-história e história antiga;Idade Média;Idade Média tardia;Cultura até 1700;Armas, Arsenal e Caça;Instrumentos Musicais;Brinquedos;

Primeiro piso – Renascimento, Barroco, Iluminismo;Instrumentos Científicos;Medicina e artesanato;Decoração anterior aos anos 1800;Moda desde 1700;Brinquedos;

Segundo Piso – Século XX;Arte popular;Brinquedos;

Terceiro Piso – Século XIX;Arte Popular.

Informações adicionais

Horário de funcionamento: Terça a Domingo das 10 a.m. às 18 p.m. e na Quarta das 10 a.m. às 21 p.m., sendo que das 18 a.m. às 21 p.m. a entrada é gratuita nesse dia.

Para os demais dias e horários o ingresso custa 6 euros. Ha um café e uma loja que vende objetos relacionados à arte exibida no museu.

Caminho dos Direitos Humanos

Museu Nacional Germânico

O Caminho dos Direitos Humanos com o carvalho ao fundo

Museu Nacional Germânico

Caminho dos Direitos Humanos

Museu Nacional Germânico

O Brasil representado no Caminho dos Direitos Humanos

Na área externa, em frente à entrada principal do museu, está o Caminho dos Direitos Humanos, criado pelo artista israelita Dani Karavan, onde 27 colunas feitas de concreto branco e um carvalho carregam os artigos da Declaração dos Direitos Humanos em alemão e na língua do país que infringiu o direito.

Para minha tristeza e vergonha o Brasil está ali representado como violador do artigo 13 da declaração que diz que:

  1. Todas as pessoas têm o direito à liberdade de se moverem e residirem dentro das fronteiras de cada Estado.
  2. Todas as pessoas têm o direito de livremente circular e escolher a sua residência no interior de um país.

Infelizmente nós sabemos que este não é o único artigo em que os direitos humanos são violados em nosso país. O carvalho simboliza os países que não foram explicitamente mencionados.

Pizza para encerrar o dia

Museu Nacional Germânico

Pizzaria Maestro e nossa pizza Margherita

Museu Nacional Germânico

O dia se despede em Nuremberg às 22:00

Quando saímos do museu, a cidade estava vazia, embora ainda houvesse luz e a maioria dos restaurantes já tinha fechado. Fomos então comer uma pizza na Pizzaria Maestro, na Königstraße: pizza grande de margherita 5,50 euros. Estava muito gostosa e o atendimento foi sorridente e rápido.

Se você gostou do texto sobre o Museu Nacional Germânico em Nuremberg, compartilhe em suas redes sociais para que os amigos leiam e se deliciem também! 🙂 

Quer conhecer outros atrativos de Nuremberg?! Então clica no link bem aqui abaixo!

Cais da Ilha de Genebra

+ A charmosa e atrativa Nuremberg

Venha espiar este mundão lindo comigo pelas redes sociais:

Siga o Espiando pelo Mundo no FacebookInstagramTwitter e Google+

O #Museu Nacional Germânico em #Nuremberg na #Alemanha tem um ótimo e variado acervo.

 

Clicando na imagem ao lado o Museu Germânico Nacional em Nuremberg ficará guardado em seu perfil no Pinterest. 🙂

Para mais inspirações e histórias de viagem siga o perfil do Espiando pelo Mundo no Pinterest.

By |2018-03-07T00:57:21+00:0009/08/2016|Categories: Nuremberg|Tags: |0 Comentários

Deixar Um Comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.