Destino ÁFRICA DO SUL – pesquisas e expectativas

Destino África do Sul!

Então, finalmente, eu iria pisar os pés no continente africano. Há tempos eu acalentava esta vontade. Nascida e criada em Salvador (Bahia, Brasil), cuja população negra (mestiça) é maioria absoluta, o continente negro sempre esteve, de uma maneira ou de outra, presente em minha formação.

Eu tinha curiosidade. Eu tinha receios.

A viagem se resumiria ao Western Cape, situada na extremidade do sudoeste da África, por conta da velha questão de tempo. Prefiro sempre conhecer poucas cidades a sair desembalada tentando ver tudo. Para mim, o fracasso nesse tipo de empreitada é certo.

Pesquisas sobre a África do Sul

Iniciamos as pesquisas e confesso que encontrei muito pouca coisa satisfatória, que atendesse aos meus anseios de criar memórias primárias consistentes. As informações, rasas em sua maioria, se repetiam num loop eterno, me desanimando. Western Cape não estava me atraindo ou motivando!

Aos poucos, entretanto, fui desenrolando, descobrindo mais referências e dados sobre a região e me deixando levar pela ideia da descoberta, da surpresa.

Muitas coisas seriam mesmo distintas nesta viagem à África do Sul.

Particularidades numa trip pela África do Sul

Destino África do Sul

Pelas estradas africanas

Apesar de há muitos anos não rodarmos de carro pelas estradas, decidimos que nesta viagem pela África do Sul faríamos uma road trip.

Confesso que a ideia não me deixava exatamente feliz. Sou mesmo adepta de um bom sistema de trem, busão ou avião para me deslocar entre as cidades, coisa que não existe de maneira satisfatória na África do Sul, segundo nossas inúmeras pesquisas. Tudo e todos apontavam que alugar um carro e percorrer as estradas de Western Cape onde está a famosa Garden Route era a melhor solução.

Nos rendemos! Alugamos um carro!

Esta seria uma viagem onde estaríamos diante de muito turismo de natureza, o que eu até gosto bastante, mas atualmente ando preferindo viagens mais urbanas. Dessa vez as deambulações envolviam praias, estradas, montanhas, horizontes abertos, o que tornaria esta uma viagem bem diferente de nossas últimas andanças.

Além de muitas vinícolas. Havia cidades em que as únicas dicas do que fazer envolviam degustação de vinhos. Apesar de adorar a bebida de Baco, de beber com frequência e de estar curiosa pelas uvas locais, não tenho especial apreço por visitar vinícolas, atividade recorrente e insistente nesta região de Western Cape.

Para completar, nos acompanhariam nesta empreitada um casal de amigos cujas idades giravam em torno dos 70 anos, mudando completamente a dinâmica da viagem. Leo e eu estamos muitos acostumados a viajar sozinhos, então estava ligeiramente preocupada com o desenrolar dos dias neste novo destino.

Leituras sul africanas

Como de costume, busquei conhecer um pouco da África do Sul através dos livros.

Li Desonra do Prêmio Nobel de Literatura J. M. Coetzee que me deixou extremamente apreensiva a respeito da violência sul-africana fermentada e cozida pelos muitos anos de opressão e segregação. Um livro intenso, sofrido, pesado.

Li Tempos de Reflexão da também Nobel de Literatura Nadine Gordimer que me ajudou a mapear e ver de dentro o brutal sistema do Apartheid e suas mais finas implicações danosas ao país.

Li ainda Damon Galgut que prendeu e maltratou a minha alma pela aridez solitária, de espírito encarcerado daquele viajante sul africano.

Há muitos anos assisti Invictus, filme com direção de Clint Eastwood e com Morgan Freeman fazendo o papel do líder Nelson Mandela, então presidente do país. Eu já o admirava e ali, me rendi à sua alma iluminada.

Acompanhei, como amante do futebol, a Copa do Mundo na África do Sul, com as irritantes vuvuzelas. A música, a dança, a alegria. Tudo aquilo eu identificava, pois são elementos parecidos com os que temos por aqui, mesmo sabendo que os principais grupos de escravos vindos para o Brasil tenham sido trazidos de Angola, Moçambique e Nigéria e não da África do Sul.

Perambulando pelo passado de Western Cape

Destino África do Sul

Cape Agulhas na África do Sul

Busquei alguns pedaços da história da África do Sul, mais precisamente de Western Cape para tentar entender o presente pelo passado.

Os portugueses em fins do século XV, buscando nova rotas para as Índias, em plena Era dos Descobrimentos passaram ao largo do Cabo da Boa Esperança. Bartolomeu Dias não ancorou ali por conta das fortes tormentas, aportando em Mossel Bay. Inclusive chamou o cabo de Cabo das Tormentas.

O Rei D. João II, contemporâneo dos reis católicos, foi quem deu o nome atual.

Foi a Companhia Oriental das Índias, no século XVII, quem fundou o primeiro assentamento no Cabo da Boa Esperança. Quase à mesma época em que a Companhia das Índias Ocidentais também fundava um assentamento na cidade de Nova York.

Os holandeses administravam ambos.

Na África do Sul o objetivo era um entreposto para abastecer os navios de água e verduras em suas inúmeras e longas viagens às Índias em busca das tão desejadas especiarias. Portanto, não havia qualquer intenção de colonizar a África, naqueles primeiros tempos.

Holandeses e africanos

Uma pequena fortaleza foi construída para proteger os colonos dos indígenas sul africanos. O médico Jan van Riebeck foi o responsável pelo assentamento por 10 anos e nunca estabeleceu qualquer tipo de contato com a população local, a quem considerava estúpida e imunda.

Ainda que de maneira informal, começava bem aí, o lastimável sistema do Apartheid. As sementes haviam sido plantadas.

Há quem afirme que teria sido melhor que Bartolomeu Dias tivesse ficado por lá, assim talvez a África do Sul hoje fosse um Brasil: miscigenado. Engraçado que aqui pelo nordeste brasileiro, nós lamentamos a expulsão dos holandeses pelos portugueses.

Muitas creditam nossa corrupção e desorganização à colonização portuguesa e que tudo seria diferente se hoje falássemos holandês.

As perspectivas de cada povo!

O que eu encontraria na África do Sul?

Olhando um passado um pouco mais recente, este que acompanhei, com o fim do Apartheid, Mandela eleito presidente, com intuito de evitar violência e vinganças, respeitou todas as etnias e garantiu o direito de cada uma delas exercer sua cultura.

Assim que, a poligamia no país, por exemplo, é permitida. Contudo, cerca de 80% dos sul africanos é de religião católica.

Intrigante! O que eu encontraria por lá?! Me perguntava a cada nova pesquisa. Um país multicultural, mas que não se falava, que dentro do possível se ignorava?! Eu conseguiria perceber isso no nível de vida de turista, em poucos dias, visitando apenas Western Cape?!

As dúvidas e as curiosidades me assolavam.

Será que eu, branca, estaria na África do Sul do outro lado da moeda do racismo?! Será que eu sentiria aquilo que várias pessoas, amigos meus, viveram e vivem na pele?! Será que eu seria julgada, condenada, ignorada por uma tolice chamada cor de pele?!

Será que eu encontraria na África do Sul a violência por ser mulher, por ser turista?!

Destino África do Sul

Uma road trip pela África do Sul

O brutal Apartheid

Em fins do século XVIII os ingleses tomaram dos holandeses a região do Cabo e ainda, depois de guerrear com holandeses e franceses, passaram a explorar as minas de diamante. O inglês é o quinto idioma mais falado no país.

Em 1910 os direitos políticos e sociais dos negros foram suprimidos. Inimaginável para mim uma situação como esta. Pior! Em 1948 foi criado o Apartheid, o racismo e a segregação legalizada e institucionalizada. Durou até 1994, quando então Mandela foi eleito presidente.

Somente em 1961 a África do Sul conseguiu sua independência do Império Britânico. Parece mesmo surpreendente que uma coisa tão bárbara e primitiva como a colonização tenha sido a realidade do continente africano ainda em pleno século XX.

Uma história dura, semeada, arada e desenvolvida com muito sangue e racismo.

O que era afinal Western Cape?

Destino África do Sul

Pela África do Sul – Cidade do Cabo no topo da Table Mountain

No final das contas eu pouco sabia sobre este país complexo possuidor de 11 idiomas oficiais e que se estima ter presença humana há mais de 25.000 anos! Um dos BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), uma economia emergente como a nossa e com problemas sociais graves e profundos como os nossos.

Será que eu conseguiria identificar similaridades naquele país a ponto de me sentir familiarizada ou as diferenças eram profundas?!

Sim, eu estava apreensiva e curiosa. Ansiosa. O que era afinal Western Cape: happyland ou um território hostil?

Destino África do Sul

Uma viagem por Western Cape na África do Sul

Sobrevoando a África do Sul – dia que nasce

Destino África do Sul! Depois de muitas semanas pesquisando, estudando, planejando, criando expectativas, e acumulando alguns conhecimentos, seguimos enfim para a África do Sul. Aconteceu assim: saímos de Salvador para São Paulo, depois seguimos para Joanesburgo e então pousamos na Cidade do Cabo que está 5 horas à frente de Brasília. Chegamos, como não podia deixar de ser, exaustos.

Começou aqui, em Cape Town, capital legislativa da África do Sul, nossa viagem de duas semanas por Western Cape. A viagem foi ótima, mas nada do que encontrei por lá foi como imaginei.

Western Cape na África do Sul foi uma grande surpresa para mim!

Venha espiar este mundão lindo comigo pelas redes sociais. 

Siga o Espiando pelo MundoFacebookInstagramTwitter e Google+

Destino África do Sul. Um pouco sobre a região de Western Cape: informações e expectativas. #viagem #viajantesempressa #viajar #pelomundo #áfrica #áfricadosul                Destino África do Sul. Um pouco sobre a região de Western Cape: informações e expectativas. #viagem #viajantesempressa #viajar #pelomundo #áfrica #áfricadosul

Clicando em qualquer uma das duas imagens logo aqui acima Cais da Ilha de GenebraDestino África do Sul  ficará guardado em seu perfil no Pinterest 🙂

Para mais inspirações e histórias de viagem siga o perfil do Espiando pelo Mundo no Pinterest.

Destino África do Sul

Se você, meu caro viajante, gostou de ler Destino África do Sul, compartilhe em suas redes sociais para que os amigos leiam também! 🙂 

Os botões de compartilhamento estão aqui abaixo.

Cais da Ilha de Genebra

 

20 Comments

  1. maria luiza wallau 16/04/2018 em 19:19 - Responder

    Ok. Curiosa estou para saber mais. Muito bom. Aprendi mais sobre África do Sul.

    • Analuiza Carvalho 17/04/2018 em 06:39 - Responder

      oi Maria… fico feliz que tenha gostado! África do Sul me surpreendeu e vem muito texto por ai! 🙂 bjinhos

    • Mariana Bueno 20/04/2018 em 09:34 - Responder

      Me identifiquei com o que você disse: tenho curiosidade e tenho receio, especialmente por também ser mulher/turista. Esse é um dos destinos que ainda quero conhecer e com certeza vou continuar lendo sobre suas experiências! Também gostei das dicas de livros, já vou procurar para começar a “viajar”…

      • Analuiza Carvalho 20/04/2018 em 09:53 - Responder

        oi Mari… à medida que fui lendo e pesquisando estes receios foram surgindo. Se você ler mesmo estes livros vai entender melhor o que estou a dizer. Em breve resenha aqui no EPM. Quando você visitar a África do Sul – espero voltar para ver as outras partes do país – quero saber suas impressões, expectativas… bjus

  2. MARCIO VITAL VALENÇA 17/04/2018 em 10:55 - Responder

    Estivemos pela segunda vez em janeiro na África do Sul e somos completamente apaixonados pelo país. Parabéns pelo post.

    • Analuiza Carvalho 17/04/2018 em 11:02 - Responder

      oi Marcio… eu sei que vou voltar para conhecer outras regiões do país, mas confesso que apesar de toda a beleza de Western Cape eu não me apaixonei! 🙁

  3. Sy 17/04/2018 em 15:16 - Responder

    Adorei as dicas, estou pesquisando mesmo esse destino para ver se consegui fazer esse ano ainda

  4. Juliana Moreti 18/04/2018 em 09:46 - Responder

    11 idiomas oficiais????? E eu achando a Suíça a coisa mais maluca! O continente africano ainda é uma incógnita para mim. Um continente que se resume em safáris, animais selvagens, praias com pinguins e muita pobreza. Teu post introdutório é bem interessante, com boas pinceladas que podem resumir um pouco do que deve ter sido esta viagem!
    beijinhos

    • Analuiza Carvalho 18/04/2018 em 11:02 - Responder

      oi Ju… apesar de ter passado 15 dias por lá, para mim também o continente é uma incógnita. Há muito o que ver e conhecer e esta temporada na região de Western Cape, uma anomalia em relação ao continente, pelo que pude apurar, mostrou-me que não sei nada sobre África. Nem mesmo sobre África do Sul. Pior ainda, é que eu achava que sabia muito por ser soteropolitana. Sabes que a influência africana aqui é muito grande né?! Pretendo voltar à Africa do Sul e outros países, para ver mais, aprender mais! 🙂 bjs

  5. Gisele Prosdocimi 19/04/2018 em 15:47 - Responder

    É muita informação mesmo, um país difícil de ser desvendado com tanta história a ser contada. Mas admirei seu interesse em pesquisar tanto sobre este país, e mais ainda por ter se surpreendido.
    Deve até ser difícil registrar em palavras esta viagem, destino que estou cada vez mais interessada. Seu post me ajudou a entender um pouco mais, mas vou fazer como você, ir ver in loco e depois contar a minha história.

    • Analuiza Carvalho 19/04/2018 em 16:15 - Responder

      oi Gisele… sempre que visito um país me perco em pesquisas, mesmo para aqueles mais “conhecidos”. Agora imagine África do Sul que pouco sei. Curioso que mesmo tendo lido muitas coisas, nada foi como eu imaginava e afirmo que voltei de lá conhecendo ainda muito pouco do país. Mas, passei dias ótimos por lá! 🙂 Tomara que um dia você visite África do Sul e volte mesmo para contar suas versão do país! beijocas

  6. Gaia Vani 07/05/2018 em 20:57 - Responder

    Puxa, como sabemos tão pouco da história de outros países né? Adorei ler um pouquinho seu relato e viajar pela Africa do Sul com você.

    • Analuiza Carvalho 07/05/2018 em 21:01 - Responder

      Com certeza eu sei bem pouco deste mundo enorme, de suas culturas e trajetórias, mas quero muito aprender! Por isso viajo! Western Cape na África do Sul foi uma enorme surpresa! 🙂

  7. Jair Prandi 08/05/2018 em 07:51 - Responder

    A África do Sul é um destino que está na minha lista e eu sempre alugo carros em minhas viagens, enquanto estavam na África do Sul em uma road trip eu estava na República Dominicana.
    Vou acompanhar todos os posts para minha futura viagem!

    • Analuiza Carvalho 08/05/2018 em 11:59 - Responder

      oi Jair… esta região da África do Sul é muito bonita. Para quem adora road trips é um lugar perfeito para rodar, pois as estradas são ótimas e os cenários lindos. Que bacana sobre a República Dominicana. Nem sabia que era um bom lugar para road trips. 🙂

  8. Ana Carolina Miranda 08/05/2018 em 16:56 - Responder

    Viajar para África do Sul deve ser tudo de bom. É um lugar que quero conhecer e tenho acompanhado suas postagens nas redes sociais, parabéns pelas ótimas dicas

    • Analuiza Carvalho 08/05/2018 em 17:33 - Responder

      oi Ana… foi uma viagem excelente de fato! Tudo saiu muito bem, a região é muito bonita, comemos muito bem, conversamos com pessoas e desconstruímos muitas ideias que tínhamos a respeito da África do Sul, ou pelo menos deste pedaço do país. 🙂 Que legal saber que está acompanhando pelas redes sociais!! 🙂 bjs

  9. Luis Felipe 08/05/2018 em 19:55 - Responder

    Parabéns por ter se aprofundado tanto e buscado conhecer a fundo seu destino turístico. Realmente a história, ainda recente, desde psís é assustadora. Muita mudança em tão pouco tempo. E surpreendentemente diferente de todos os estereotipos.

    • Analuiza Carvalho 09/05/2018 em 11:06 - Responder

      oi Luis… para mim faz todo sentido buscar os máximo de informações possíveis sobre um lugar antes, durante e até mesmo depois da viagem. Viajar para mim desperta curiosidade e é uma forma interessante de aquirir novos saberes! 🙂

Deixar Um Comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.