COLÔNIA, uma cidade da RENÂNIA do Norte-Vestfália na ALEMANHA

Minhas primeiras impressões a respeito de Colônia, maior cidade da região da Renânia do Norte-Vestfália, na Alemanha, estiveram bem distantes de serem boas.

À primeira vista Colônia me pareceu uma grande colcha de retalhos suja, mal cuidada, desordenada, incompreensível cujo murmurar eu não conseguia entender, obscura, até.

A cidade me tomou de assalto e me deixou perdida. Onde estava toda a poesia que eu esperava encontrar?!

Senti-me desorientada entre expectativa e realidade.

Tabaco, suor e curry

Colônia

As segundas e terceiras impressões tampouco foram agradáveis. Colônia cheira a tabaco, suor e curry. A paisagem é indistinta.

Contudo, seus elementos me interessavam.

À medida que eu fui vivendo a cidade, eu percebi que, justamente por causa de seu emaranhado de estilos sem sentido (ou apesar de, não sei ao certo), ela tinha muito a nos contar.

Aos poucos, descobrindo e percebendo a cidade, eu fui me despindo da necessidade de que ela fizesse sentido.

Assim, eu olhei e vi.

Colônia é diferente de todas as outras cidades que visitei na Alemanha de muitos jeitos. É um estar no país, sem estar.

Talvez eu tivesse chegado à Renânia com o coração carregado de Baviera, que me conquistou à primeira vista através de Nuremberg e não tivesse conseguido olhar Colônia de coração aberto.

Fui aos poucos, todavia, a cada passo, deixando que as imagens, as vivências, os personagens e ingredientes dessa cidade indiferente a qualquer tipo de unicidade me levassem e me conduzissem pelas ruas, por sua história. Passado e presente. Fui montando partes de um curioso quebra-cabeça. Não desprezei nenhum mínimo detalhe!

Afinal são séculos de influência e história! Sua fundação é anterior à era cristã, quando os romanos ocuparam uma das margens do Rio Reno, cujo nome tem origem celta e significa fluir.

Um pouco sobre a história de Colônia

Colônia

Os franceses, durante a época napoleônica, ocuparam Colônia e região por cerca de 20 anos. Os cidadãos chegaram inclusive a ganhar cidadania francesa. Napoleão Bonaparte até visitou a cidade com sua esposa Joséphine de Beauharnais.

Logo depois da saída dos franceses, os russos e prussianos ocuparam o território. Por conta da influência comunista e da Igreja Católica, Colônia opôs resistência ao Führer e sua política hedionda. Durante a Segunda Guerra foi fortemente bombardeada.

Alguns personagens de Colônia

Colônia

Somente quando comecei a entender sua essência de cidade acolhedora é que iniciei um relacionamento mais amigável com Colônia.

Apenas quando fui ganhando sorrisos, gentilezas e boas conversas, é que eu comecei a simpatizar com ela e percebi que Köln é muito mais que sua Catedral sendo ela, a cidade, muitas vezes, subestimada.

Aliás, a Catedral de Colônia, seu principal cartão postal, foi uma grande decepção para mim. Enorme, inextricável, feia… Achei que ela era gloriosa. Não encontrando seu caráter sublime não me emocionei. Contudo, seu interior impressiona.

Subimos até o alto de sua torre para ver e entender Colônia.

Em compensação visitei museus incríveis com acervos artísticos maravilhosos como o Wallraf-Richartz-Museum e o Museu Ludwig. Foi um prazer sem tamanho.

Visitamos o Centro de Documentação Nazista que reconstrói a dura e cruel trajetória dos Nacional-socialistas na cidade: um período negro no passado, uma ferida aberta no presente.

Um recorrido doído.

Conhecemos o Museu da Cidade para ver partes de Colônia e encontramos os restos da passagem romana por aquelas paragens.

Atravessamos a Ponte Hohenzollern com seu amontoado de cadeados, passeamos as margens do Rio Reno – uma das áreas mais agradáveis da cidade em minha opinião – e subimos a KölnTriangle para ver a cidade de outro ângulo.

Comemos muito bem e visitamos pequenas igrejas católicas (Colônia tem muitas) como a St. Maria im Kapitol e  o Mercado de Pulgas.

Conversei muito, com alemães de Colônia – absurdamente simpáticos e tagarelas – e brasileiros que vivem na cidade: conversas variadas que tiveram em comum o fato de terem sido intensas, interessantes, honestas.

Talvez essa seja a cidade mais amigável e afável de toda a Renânia.

No final das contas…

Colônia

Caminhamos muito por Colônia, horas a fio.

Esta foi de fato uma cidade inesperada: múltipla, muitas faces cabem nesta cidade e isso a torna muito atraente.

No final das contas deixei Colônia com boas lembranças, ótimos conhecimentos e muito feliz por tudo o que vimos e vivemos, mesmo que a nossa relação não tenha sido (e continua não sendo) de puro amor recheado de muita paixão.

Colônia foi a prova viva de que eu não sei nem metade do que penso que sei.

Venha espiar este mundão lindo comigo:

Siga o Espiando pelo Mundo nas redes sociais: FacebookInstagramTwitter e Google+

Para mais inspirações e histórias de viagem siga o perfil no Pinterest


Saiba onde se hospedar em algumas cidades na Alemanha


 

A cidade de #Colônia na #Alemanha, possui múltiplas facetas e tem muitas histórias para contar, muita coisa para ver como igrejas, #museus e #pontes. #viajar #viagem

 

 

Clicando na imagem ao lado Colônia, uma cidade na Alemanha ficará guardada em seu perfil no  Pinterest. 🙂

Para mais inspirações e histórias de viagem siga o perfil do Espiando pelo Mundo no Pinterest.

 

 

Se você, meu caro viajante, gostou de ver Colônia através de meu olhar, compartilhe em suas redes sociais para que os amigos leiam e se deliciem também! 🙂 

Os botões de compartilhamento estão aqui abaixo.

Cais da Ilha de Genebra

By |2018-03-07T01:05:46+00:0031/10/2017|Categories: Alemanha, Colônia, Europa|Tags: |0 Comentários

Deixar Um Comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.