O charmoso CENTRO HISTÓRICO DE GENEBRA – a Place du Bourg-de-Four

O Centro Histórico de Genebra é um lugar bonito. Sua arquitetura é maravilhosa, elegante, clássica. Tem uma constante tonalidade de bege que poderia nos remeter a algum tipo de monotonia, mas ao contrário disto, a Place du Bourg-de-Four está distante de qualquer insipidez, sendo ela inspiradora e cheia de maravilhosos personagens a serem explorados.

A Place du Bourg-de-Four é a praça mais antiga da cidade, frequentada desde a época dos romanos. Muitos vultos interessantes fazem parte de sua trajetória: alguns já não existem mais, foram engolidos pelo tempo, enquanto outros seguem firmes através dos corredores temporais, contribuindo para a atmosfera antiga desta parte da cidade.

Olhando para seu passado mais distante descobrimos que ali já funcionou um fórum romano. Já no século IX ai funcionava um importante mercado.

Hoje o que vemos por ali são charmosos cafés, casas de chá, chocolaterias e restaurantes de muitos estilos, além de pessoas subindo e descendo suas ruas levemente enladeiradas, sem um formato padrão. Esta irregularidade é um dos aspectos sedutores da velha praça.

Ganhou seu formato atual no século XIX.

A origem do nome

Há duas possíveis explicações para a origem do nome Place du Bourg-de-Four: uma delas diz que seria uma derivação da palavra “Allbroges”, pois este pedaço do Centro Histórico de Genebra foi construído fora das muralhas da cidade velha.

“Borg-de-Feur” significaria “Aldeia Fora”.

A outra teoria remonta o século V e dá conta de que o nome viria das palavras latinas “Forum” e “Burgondes” e faria referência ao Fórum dos burgúndios, a tribo germânica que dominou esta região neste século.

Place du Bourg-de-Four no século V

O Rei Gondebaud apoiado em sua espada

Já que estamos falando de século V, vou contar de um personagem que vive pela Place du Bourg-de-Four: Gondebaud apoiado em sua espada, rei da Borgonha ou de Burgúndio cuja capital era Genebra, onde morreu em 516.

A escultura entretanto é mais recente, datando de 1957.

Esta é uma velha história que nos faz viajar até o século V quando o povo germânico de Borgonha formou um reino ao longo do Rio Reno (o nome do rio tem origem celta e significa fluir). Ainda na primeira metade deste século, eles foram quase completamente destruídos pelos hunos.

O que restou deste povo foi autorizado pelo Imperador Romano Aetius a se estabelecer em torno do Lago Genebra e então a cidade de Genebra tornou-se a capital do reino.

A guerra fratricídia

Ao longo dos anos seguintes, o reino de Borgonha foi se ampliando pacificamente. Dois irmãos nesta época dividiam o poder. Um deles atendia pelo nome de Chilperic, que se instalou em Lyon e teve 4 filhos. Dois morreram, restando Gondebaud que assumiu a administração do reino em Lyon compartilhando com Godegisèle estabelecido em Genebra.

Já no fim do século V Godegisèle traiu seu irmão, se aliando a Clóvis, o rei dos Francos, mas Gondebaud os derrota, não sem danos, contudo: entre 500 e 501 Genebra pegou fogo afetando inclusive a Catedral de São Pedro que está ali perto.

Com a vitória, Gondebaud tornou-se o único rei até sua morte em Genebra em 516 e durante seu reinado estabeleceu a ordem e a paz. Lançou ainda as leis burgúndias que, resumidamente, eram as leis típicas do modo de viver dos burgúndios, baseadas nos códigos romanos que, entre outras coisas, previam aplicação de penas distintas a etnias diferentes.

Seu castelo ficava na Place du Bourg-de-Four, mas há muito tempo não existe mais.

O Palais de Justice de Genebra e suas transformações

Centro Histórico de Genebra

Palais de Justice com entrada para a Place du Bourg-de-Four

Centro Histórico de Genebra

Palais de Justice na Rue des Chaudronniers 9

O rei Gondebaud não é o único habitante importante para a trajetória genebrina que vive no Centro Histórico de Genebra. Não, senhor! Reside também nesta velha praça o Tribunal de Justiça, que possui uma de suas entradas voltada para a Place du Bourg-de-Four e outra na Rue des Chaudronniers 9.

O curso do Palais de Justice

O Palais de Justice de Genebra nem sempre desempenhou esta função. O belo, sólido e austero edifício onde hoje funciona o Tribunal de Justiça teve sua construção inciada em 1706, sendo concluído apenas em 1712, para funcionar um novo hospital, em substituição ao antigo.

Tudo aconteceu assim

Em 1474 neste local havia outro prédio, erigido para ser o Convento de Santa Clara, pela Duquesa de Saboia, irmã do Rei de França, Luís XI.

A vida das Clarissas no convento era austera.

Com a Reforma Protestante do século XVI, o convento foi saqueado, as irmãs fugiram e o local passou a funcionar como o hospital geral até o ano de 1712. Os claustros foram transformados em dormitórios e a capela continuou a ser um lugar de oração, mas agora, para os calvinistas.

Nesta data um novo hospital foi construído no mesmo lugar, com ar mais grandioso, onde só a capela do antigo convento foi preservada. Então, a partir de 1860, o prédio passou a abrigar o Palais de Justice de Genebra, que antes funcionava no Hôtel-de-Ville.

A restauração do edifício levou a descobertas de antigas construções romanas como casas luxuosas das décadas de 30 e 40 d. C., além de termas pertencente a uma Vila.

Foi diante deste lugar, tão antigo quanto repleto das mais variadas histórias, que nos deixamos ficar por uns momentos, naquele fim de tarde genebrino de agradável temperatura fria.

Quantas vidas passaram por aqueles ambientes. Camadas e camadas de velhos e novos mundos.

As casas e a Reforma Protestante

Centro Histórico de Genebra

Bela arquitetura: curiosas janelas irregulares

Centro Histórico de Genebra

Parte da antiguidade genebrina

O casario que cerca a praça varia de aspecto cobrindo mais ou menos dois séculos de estilos arquitetônicos, sendo as casas mais antigas datando do século XVI. Muitos protestantes que fugiam de perseguições em outros países, encontraram abrigo na cidade de Genebra e passaram a viver bem aqui na Place du Bourg-de-Four, no que hoje chamamos de Centro Histórico de Genebra.

Apesar disso, de ser muito velha, antiga, esta é uma parte muito viva da cidade.

Reza a lenda que foi preciso adicionar mais andares aos prédios para acomodar tantos refugiados. Talvez isto explique os formatos irregulares das casas, explícitos principalmente nas janelas lindamente assimétricas.

Agradável atmosfera

Centro Histórico de Genebra

Recortes da Place du Bourg-de-Four

Centro Histórico de Genebra

Charmosas vitrines na Place du Bourg-de-Four

Centro Histórico de Genebra

Centro Histórico de Genebra

Contudo, caro viajante, se nada disso, dessas coisas antigas te interessam, o Centro Histórico de Genebra com sua Place du Bourg-de-Four e sua agradável atmosfera ainda é um lugar perfeito para uma visitinha. Sentar em algum lugar para tomar um café e/ou uma taça de vinho enquanto observa o movimento (especialmente para os bolsos abastados) com certeza é um desses momentos deliciosos.

Para quem o bolso um tantinho assim raso como o meu, pode fazer o que nós fizemos na Place du Bourg-de-Four. Além de conhecer de perto seus personagens antigos, nós caminhamos, observamos, admiramos, tiramos fotos, fuçamos uma ou outra lojinha como a Cave du Palais de Justice, a mais antiga adega de vinhos de Genebra, com mais de 200 anos de existência e o ambiente com cara de antigamente, carregado no quesito charmoso.

Então,  seguimos nosso caminho, pois aquela noite tínhamos ingressos para o teatro.

Quero concluir dizendo que esta é apenas uma pequena nesga da história desta charmosa praça. Ela ainda tem muitos outros segredos. Se você os descobrir, caro viajante, volte por favor para me contar!

Deixamos o Centro Histórico de Genebra para trás e fomos até o Edward´s, uma rede de lanchonetes com vários endereços na cidade, onde compramos sanduíches to go para comermos antes da ópera.

Quer conhecer outro local importante na velha Genebra que está perto da Place du Bourg-de-Four?! Então clica no link bem aqui abaixo!

Cais da Ilha de Genebra

+ O Colégio Calvino

Venha espiar este mundão lindo comigo pelas redes sociais:

Siga o Espiando pelo MundoFacebookInstagramTwitter e Google+

A Place du Bourg-de-Four, no centro histórico de #Genebra na #Suíça é a praça mais antiga da cidade e tem é coisa para mostrar. Além disso, é um lugar agradável, bom para tomar um #café ou apenas observar o movimento enquanto tiramos lindas fotos. #viajar #viajantesempressa

 

Clicando na imagem ao lado o “Centro Histórico de Genebra” ficará guardado em seu perfil no  Pinterest. 🙂

Para mais inspirações e histórias de viagem siga o perfil do Espiando pelo Mundo no Pinterest.

O centro histórico de Genebra na Suíça

Se você, meu caro viajante, gostou de conhecer um pouco o centro histórico de Genebra na Suíça, compartilhe em suas redes sociais para que os amigos leiam também! 🙂 

Os botões de compartilhamento estão aqui abaixo.

Cais da Ilha de Genebra

 

By |2018-03-20T17:28:43+00:0018/12/2017|Categories: Genebra|Tags: |12 Comentários

12 Comments

  1. Luiza Ferrari 31/01/2018 em 16:53 - Responder

    Passei tão rápido por essa praça fofa, que não reparei em alguns dos detalhes que você explicou aqui no post. Adorei saber mais! 😉

    • Analuiza Carvalho 31/01/2018 em 17:36 - Responder

      Que om Luiza que pude te levar de volta a Place du Borg-de-Four com todo o peso histórico que ela carrega e a fofurice! 🙂 bj

  2. Diego Arena 21/03/2018 em 11:43 - Responder

    Essas janelas irregulares, a escultura. Todos esses detalhes na arquitetura deixam a cidade ainda mais charmosa. Obrigado por compartilhar =)

  3. Adorei o post recheado de história, me senti como se estivesse passeando por lá!

  4. Aline Laudelina Pires 23/03/2018 em 15:36 - Responder

    Eu adoro história e viagem com história fica melhor ainda.. amei saber sobre Genebra, ver suas fachadas com linda arquitetura.

  5. Fabio Pastorello 23/03/2018 em 15:46 - Responder

    Que texto maravilhoso, adorei viajar um pouco na história de Genebra através do post. E é isso aí, mesmo para quem está com o bolso raso, há sempre muita riqueza grátis nesses destinos cheios de história.

    • Analuiza Carvalho 23/03/2018 em 21:43 - Responder

      Ahhhhh… fico tão feliz em saber que gostou Fabio!! Genebra é uma cidade que me deixou muito encantada! 🙂 Para quem tem bolso raso e olhos atentos sempre é possível encontrar diversão não é mesmo?! bjinhos

  6. Marcia Picorallo 24/03/2018 em 07:05 - Responder

    Ana, gostei muito do recorte que você fez, analisando os pedacinhos da praça e nos contando aqui. Em geral, escrevemos sobre a cidade e um ou outro ponto turístico mais detalhadamente, mas assim você com certeza conheceu mais da cidade e viajou novamente ao escrever. Eu, aqui, voltei à minha primeira vez em Paris, pois a imagem inicial se parece muito com uma pracinha na Rue Monge, onde nos hospedamos e nos sentimos em casa. Abraços!

    • Analuiza Carvalho 24/03/2018 em 08:04 - Responder

      oi Marcia… feliz demais em saber que gostou de conhecer a Place du Borg de Four comigo. Gosto de saber um pouco do passado dos lugares que visito, pois assim eles ganham alma para mim. É um vício! Quando cheguei a esta velha praça fiquei a imaginar quantas coisas já aconteceram por ali… Para mim, os pedaços de uma cidade formam sua identidade. Como uma colagem, vou buscando conhecer um bocadinho aqui, outro acolá… rsrsrs

      Ainda não conheço Paris, mas ela está em meu radar! Bom saber sobre a Rue Monge: um lugar para nos sentirmos em casa em Paris! 🙂 bjs

Deixar Um Comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.