Cartões POSTAIS:

Toda cidade tem um ou mais símbolos que a identificam. Aquele clássico, que faz com que imediatamente saibamos a que local ele pertence, em que lugar está situado. Alguns destes cartões postais são famosíssimos e outros nem tanto.

Existe algo na visão de um clássico do mundo que invade profundamente minh´alma porque me situa, me posiciona, me garante que estou de fato naquele local, e isso me emociona intensamente.

De certa maneira é como se os cartões postais de uma cidade fossem o ponto de partida de minhas viagens e eu os consumo com olhos gulosos e espírito em festa. Por vezes é tão difícil de acreditar que eu estou lá de verdade!

Eu repito, revisito, repriso os clássicos do mundo vezes sem conta e nunca me canso deles. Em resumo: eu gosto de um bom clichê!

Eu, Ana e mais a Klécia do blog Fui Ser Viajante, a Maytê do blog Passaporte com Pimenta e a Juliana do blog Turistando.in resolvemos reverenciar os clássicos do mundo falando sobre cinco de nossos cartões postais favoritos neste vasto e interessante planeta, que por diversas e variadas razões nos marcaram e entraram em nosso baú de memórias.

A seguir, cinco cartões postais do meu mundo:

A Praça Vermelha em Moscou

Cartões Postais

A Praça Vermelha – o Shopping GUM ao fundo

Quando eu me vi diante da Praça Vermelha em Moscou, símbolo do poder russo e um dos principais cartões postais da cidade e talvez até do país, eu confesso: fiquei sem fôlego!

Eu só conseguia pensar: meu Deus! Eu estou na Rússia! Rússia! Para quem, como eu, cresceu durante a Guerra Fria, consegue compreender os meus sentimentos intensos por estar diante da Praça Vermelha.

A Praça Vermelha tem aroma de poder. Aqui estão localizados o Kremlin, o centro político da Rússia, a extraordinária Igreja de São Basílio, construída a mando Ivan IV, mais conhecido como o Terrível, lá pelo século XVI.

Encontramos ainda a Necrópole da Muralha do Kremlin, onde estão enterradas figuras soviéticas ilustres, o Mausoléu de Lenin – no mínimo esquisito, o Shopping GUM, um shopping clássico, que antigamente era o Centro de Abastecimento para o consumo na URSS. Na década de 1950 o que o caracterizava era a escassez de produtos e as longas filas.

Não posso deixar de mencionar o Museu de História da Rússia com acervo vasto que conta a história da longa ocupação deste território, desde distantes séculos até a dinastia Romanov. Ele tem belíssima arquitetura de cor avermelhada.

A praça possui cerca de 500 metros de comprimento. Seu nome em cirílico é красная e significa bonita, o que define muitíssimo bem este lugar, clássico russo, coração de Moscou, exuberante tanto durante o dia quanto com a iluminação noturna.

A Ponte Vecchio em Florença

Cartões Postais

A Ponte Vecchio

Cartões Postais

Na Ponte Vecchio no início de uma bela e fria manhã

Lembro-me muito bem quando avistei a Ponte Vecchio na inacreditavelmente atraente Florença: foi logo em nosso primeiro dia na cidade.

Estávamos a caminho da Galleria degli Uffizi e resolvemos ir caminhando pelas margens do Rio Arno. As luzes do início daquela manhã fria estavam divinas. A maneira como elas refletiam nas águas me deram o tom da magia daquela cidade.

Até que a Ponte Vechio, a mais antiga de Florença, entrou em meu campo de visão: sublime dentro de seu tamanho modesto, mas abarrotada de histórias e carregada de inúmeras partículas de poeiras pretéritas.

Neste primeiro dia, mal a olhamos. Apenas meu coração registrou esse que é um cartão postal fotografado e divulgado mundo afora pelos milhares de visitantes que chegam nesta cidade todos os anos.

Nos dias seguintes, entretanto, levamos nosso caminhar por ela e para ela inúmeras vezes e por isso mesmo afirmo com toda convicção: a cada nova luz, ela se transforma, mostrando-nos todo o seu esplendor.

Construída em 1345, originalmente era ocupada por ferreiros, açougueiros e curtidores que jogavam todo o lixo no rio. Então, no século XVI, o duque Fernando I os expulsou por conta do cheio desagradável e os substituiu por ourives e joalheiros que hoje permanecem na ponte.

O corredor Vasari passa por cima das lojas. Ele foi projetado no século XVI por Giorgio Vasari, a mando de Cosimo I, para permitir que os Médici entrassem em suas residências sem precisar misturar-se ao povo.

Ela sobreviveu aos bombardeios nazistas durante a segunda guerra mundial.

Sua presença reina absoluta sobre a cidade: de uma forma ou de outra sempre nos deparamos com ela. Vimos sua beleza estonteante sob o efeito das diversas luzes que compõe o dia e a noite de Florença.

Cruzamento Shibuya em Tóquio

Cartões Postais

No cruzamento Shibuya em Tóquio

Cartões Postais

Shibuya

O cruzamento Shibuya em Tóquio é uma das coisas mais impressionantes em que já pus os olhos. Este talvez seja um dos cartões postais mais famosos da cidade e estar diante dele me deixou estupefata.

Dizem que este é o cruzamento mais movimentado do mundo e eu acredito. Com faixas de segurança em todas as direções, inclusive nas diagonais, quando o sinal abre, um mar de pessoas se desloca para todos os lados e em todos os sentidos.

Contudo, o que mais me deixou boquiaberta é que eles parecem bailarinos, ou talvez para ser mais precisa, formiguinhas: contrariando todas as possíveis expectativas de uma ocidental estabanada, o negócio funciona!

Ninguém esbarra em ninguém e o trânsito de pessoas flui harmoniosamente. Sem acreditar no que meus olhos me mostravam, nos deixamos, Léo e eu, ficar ali um bom par de horas olhando o intenso vai e vem.

Curiosidade: é aqui em Shibuya que está o Hachiko, o cachorro que todos os dias esperava pelo dono na porta do metrô. A história real aconteceu aqui no metrô de Shibuya. No cinema eu vi a versão com Richard Gere e chorei muito.

Habana Vieja em Havana

Cartões Postais

Habana Vieja

Foi em Habana Vieja que eu me sentia verdadeiramente em Cuba. Caminhei por aquelas ruas decadentes, sujas, agonizantes, vezes sem conta. Eu entrava em um mundo paralelo cada vez que eu pisava os meus pés ali e o fazia diariamente durante os poucos dias em que passei na cidade.

Não sei explicar. O que sei é que Habana Vieja me prendeu, me revirou, me sacudiu, me arrebatou, me pegou de jeito, me embolou, me intrigou e sim, me impressionou. Eu não interagi, fui uma mera espectadora da vida que se desenrolava diante de meus olhos.

Não consegui ler nas entrelinhas, não consegui enxergar a alma daquelas pessoas que descansavam preguiçosamente em grupos nas calçadas, ou das crianças que jogavam bola e muito menos das mulheres que conversavam distantes umas das outras, aos gritos.

Não entendi a vida dentro daqueles casarões antigos, cansados de guerra, machucados pelo tempo, pelo poder, pelo descaso, pela conjuntura de muitos e variados fatores.

Habana Vieja é meu lugar em Havana, um lugar para onde voltaria mil e uma vezes, um lugar que representa, para mim, a cidade. Um dos cartões postais mais enigmáticos e provocantes que já visitei.

O acarajé de Salvador

Cartões Postais

O ilustre acarajé

Salvador é colorida, é festeira, é irritadiça, mal humorada, é rude. Esta cidade onde toda menina tem um santo que Deus dá, cujo sincretismo religioso está nas entranhas de seu povo é uma mistura intensa e complexa.

Esta cidade possui muitas camadas, muitas nuances e não é nada fácil acessá-la, entendê-la. Há os que amam, há os que odeiam: Salvador tem essa mania de causar sentimentos fortes e intensos nos que por aqui passam.

Isso se reflete também em sua gastronomia: apimentada, de cores e sabores muito fortes. Ou ela deixa o sujeito apaixonado, de joelhos por ela, ou então o deixa à beira da morte. Palidez definitivamente não está na personalidade desta que foi a primeira capital do Brasil.

Assim que, para iniciarmo-nos nos mistérios dessa Salvador, e logo descobrir de que lado dos sentimentos nós estamos, eu te digo: se joga! De cabeça, coração e alma em um dos clássicos da cidade: o acarajé!

Esse bolinho de feijão fradinho, frito no dendê tem a cara dessa terra de todos os santos. Acompanhado de camarão seco, salada de tomate verde, vatapá e a cruel pimenta baiana, tudo devidamente acomodado dentro do bolinho, é para os fortes e corajosos.

Para a experiência ser completa, é melhor degusta-lo em um dos muitos tabuleiros de baiana do acarajé espalhados pela cidade.

Só para constar: todo soteropolitano tem sua baiana de acarajé preferida.

Descubra mais delícias adendezadas desta Salvador:

Cartões Postais

Para finalizar, quero contar que o cartão postal surgiu lá no século XIX. A autoria, ninguém sabe ao certo. Pode ter sido um americano, um alemão ou até um austro-húngaro. Fato é, que este pequeno pedaço de papelão já fez, e continua fazendo, a alegria de muita gente.

Através deles, muitas pessoas que nunca saíram de suas cidades conheceram o mundo através de viajantes que se lembravam de compartilhar suas descobertas. Assim, o mundo foi sendo divulgado para o mundo.

O Léo é um desses aficionados por cartões postais. Admirável em tempos digitais! Ele faz a alegria de amigos ao enviar de muitos lugares, cartões postais mostrando que se lembrou deles.

Em contrapartida, alguns desses amigos passaram a enviar cartões postais para ele, enchendo nossa caixa de correio da mais pura alegria.

3 Garotas e alguns clássicos do mundo:

Cartões Postais

Somos quatro meninas apaixonadas por viagens e com muita gana de explorar esse mundão. Cada uma de nós possui um olhar, uma percepção e um perfil de viajante, mas o entusiamo e fascínio pela descoberta é o mesmo e isso nos une.

Como eu mencionei lá no início, esse post é resultado de uma blogagem coletiva. Logo aqui abaixo, estão cinco dos clássicos do mundo de cada uma dessas lindas meninas:

A Klécia do blog Fui Ser Viajante nos fala sobre “Bucket List de Viagem: 5 clássicos do mundo que eu ainda preciso conhecer”;

A Maytê do Passaporte com Pimenta nos mostra “5 destinos clássicos que você tem que conhecer;

A Juliana do Turistando.in escreveu: “Os 5 lugares clichês que todos deveriam ver pelo menos uma vez na vida“.

Entre. Viaje com elas. Comente!

Esta blogagem acontecerá todo final de mês, com temas variados. Em Julho teremos outro TOP5!

Leia também nossa blogagem coletiva do mês de Junho! Está deliciosamente romântica! ♥♥♥♥♥♥

Você pode salvar este texto em seu Pinterest:

Os clássicos do mundo por 4 blogs massa de viagem. Entre. Viaje conosco. Comente!

Os clássicos do mundo por 4 blogs massa de viagem. Entre. Viaje conosco. Comente!

By | 2017-06-24T18:30:03+00:00 24/06/2017|Categories: A Arte de Viajar|Tags: |34 Comments

34 Comments

  1. maytescaravelli 24/06/2017 at 16:23 - Reply

    Ana, eu adorei os seus cartões postais! Adorei ainda mais a ideia de enviar postais para os amigos e mais gostoso ainda recebe-los =D Uma maneira muito carinhosa de conhecer esse mundão sem sair do conforto do nosso lar.

    Bom, devo dizer que o Japão estava bem distante na minha lista, mas começo a considera-lo. Eu iria adorar assistir o “balé” da Av. Shibuya, mas também acho que iria sofrer para atravessá-lo, sou um pouco desastrada. =x

    Quanto a Salvador, esse sim está na lista e se tudo der certo em Fevereiro estarei fazendo meu check-in nesse clássico brasileiro e claro que quero provar um tradicional Acarajé, é possível comer sem pimenta e sem camarão seco? Ou a Baiana vai me xingar se eu pedir assim? rsrsrs Quero saber qual é a sua preferida? =D

    • Analuiza Carvalho 29/06/2017 at 19:12 - Reply

      Oi Maytê… coloque o Japão em sua lista sim! Tóquio impressiona, mas o país tem um monte daquelas pequenas cidades que você gosta tanto! eheh

      Vamos comer um acarajé em Salvador com certeza e pode dispensar a pimenta e o camarão! rsrsrsrs A baiana vai entender! rsrsrsr Vamos experimentar outras delícias adendezadas também! ehehehe

      beijocas

  2. Klécia Cassemiro 24/06/2017 at 22:58 - Reply

    Que seleção, Ana! Que seleção! Quase fiquei sem voz com você na praça Vermelha. Não cresci na Guerra Fria, mas como a gente sabe, sou a apaixonada por historia. Que linda reflexão sobre poder, glorias e fracassos!
    Outro item que me chamou atenção: as pessoas não se esbarram em Shibuya? mesmo com tanta gente? Eu imaginava um completo tumulto, nada como bailarinos perfeitamente sincronizados. Mais uma surpresa do mundo!
    Morro de curiosidade de Cuba,queria conseguir ir antes da globalização tomar conta de tudo e deixar mais um pouco igual a todo o resto!

    E o acarajé de Salvador! Ah, que delicia! Esse ja provei e provaria de novo e de novo! Quem sabe a gente não divide um ainda, pelo mundo? Na bahia, ou na Sé de Olinda (não tao bom, mas bem gostoso) ou qualquer parte do mundo?

    Ah, vou pedir o endereço de vocês! Também adoro mandar cartões postais mundo afora! <3

  3. Juliana Moreti 24/06/2017 at 23:27 - Reply

    Aninha….
    Lindos cartões postais!!!!

    Eu certamente irei pirar no dia que pisar na Praça Vermelha. A mãe Russia, apesar de imensa, tà na nossa lista!

    Mas meu coração super palpitou ao ver o Ponte Vecchio na tua lista!
    Muito amor por Firenze!

    Eu fiquei hospedada no Oltrarno e me lembro da emoção que tive ao ver de dentro da ponte, a cùpula de Bruneleschi gigantesca piscando para mim…. Eu, quando vejo “cartões postais” costumo ter um treco e pular como uma boba! hahahaha

    Agora, preciso te confessar: preciso urgentemente fazer um curso para entender direito os Medicis….
    Você me deu um nò ao escrever que o Corredor Vasariano tinha sido encomendado por Cosimo I!

    Estou neste momento lendo um livro sobre os Medicis e mostra a ascensão da familia justamente com o Cosimo (conhecido como o Velho).
    Que Vasari criou o corredor para que os Medicis, que haviam comprado o Palazzo Piti, pudessem caminhar sem passar pelo povo eu sabia, mas me deu tilt, pois isso ocorreu uns 100 anos depois de Cosimo e de seu neto Lorenzo (e que eram amadíssimos pelo povo).
    Daì, (salve salve Wikipedia), vejo que esse Cosimo ganhou o I depois de seu nome pois foi primeiro Grão-Duque da Toscana.
    (santo Dio!!!!!!)

  4. Michela Borges Nunes 25/06/2017 at 00:37 - Reply

    To adorando esta blogagem coletiva. Dos teus cartões postais, só tive o prazer de ir até hoje à Ponte Vechia, e olha, também fiquei emocionada com aquela beleza. E vou confessar para ti: também adoro clichê, hehehehe. Muito legal o post.

    • Analuiza Carvalho 25/06/2017 at 01:28 - Reply

      Eu também estou adorando fazer estas blogagens coletivas Michela. É muito divertido ver o olhar de outros viajantes! Já viu os clássicos que as meninas selecionaram?! As listas estão muito legais e variados.

      Florença é uma cidade espetacular né?! E a Ponte com toda aquela luz… a quanta beleza! beijus

  5. Patricia Brito Câmara 25/06/2017 at 16:49 - Reply

    Obrigado pela partilha! São locais fabulosos e fotos ainda mais fabulosas! Florença é lindo! Tudo é lindo!

  6. carlaalexmota 25/06/2017 at 18:24 - Reply

    Saudades de enviar um postal para casa quando viajava! Agora também faço como todo o mundo e tiro fotografia digital. No entanto, imprimo parte das fotografias e coloco em casa. São os meus postais. 😀

    • Analuiza Carvalho 26/06/2017 at 16:42 - Reply

      Pelo menos você ainda printa Carla… Eu não lembro a última vez que imprimi uma foto. rsrsrs Postais entretanto, aqui em casa tem de sobra. ehehe

  7. Que 5 belos locais. Incontornáveis mesmo 🙂 Ainda me falta Tóquio, o Japão é um destino que tenho muita vontade de ir

    • Analuiza Carvalho 26/06/2017 at 16:41 - Reply

      Olá Catarina… O Japão é dessas viagens cheias de experiências, mais que de visitas, embora tenhamos muito o que ver por lá. Acredito que você vá gostar muito, até porque histórias desse mui antigo e cheio de tradições país não faltam né?!

  8. Adorei os cartões postais! Principalmente o acarajé em Salvador! Excelente! Tenho muita contade de conhecer a Ponte Vecchio…

    • Analuiza Carvalho 26/06/2017 at 16:44 - Reply

      Obrigada Tina! O acarajé de Salvador é uma perdição! rsrs Florença é uma cidade fabulosa. Quando puder visite-a! 🙂

  9. Contramapa 26/06/2017 at 11:31 - Reply

    Fotografia postal… no fundo
    Toda a gente gosta e tem as suas ahaha falo por mim, que tenho imensas!

  10. paulaugot 26/06/2017 at 19:58 - Reply

    Eu ainda envio cartões- postais sempre que posso, mas esses lugares são mesmo um cartão postal! O cruzamento de Shibuya eu lembro que queria fazer uma foto a primeira vez que cruzei, mas ficava perdida com tanta gente hahaha

    • Analuiza Carvalho 27/06/2017 at 00:48 - Reply

      Oi Paula… Shibuya impressiona mesmo!! eheheh Tem é lugar lindo, cartões postais maravilhosos por este mundo. Foi difícil escolher apenas 5 deles. ehehe

  11. cwrgutierrez 27/06/2017 at 13:08 - Reply

    Muito legal seus cartões postais um mais bonito que o outro e alguns em lugares bem diferentes, uma coisa que gosto de fazer é ir em lugares que ficaram marcados por filmes.

    • Analuiza Carvalho 27/06/2017 at 14:04 - Reply

      Obrigada! 🙂 Foi difícil escolher pois este mundo tem é cartão postal bonito, né não?! ehehehe

      É uma emoção quando a gente chega em um lugar que foi locação ou fez referência a algum filme né?! Eu sempre me emociono! rsrsrs bj

  12. Laís 27/06/2017 at 15:29 - Reply

    Oi Ana Luiza!! Adorei seu post, você consegue passar exatamente suas sensações ao conhecer os lugares: “Existe algo na visão de um clássico do mundo que invade profundamente minh´alma porque me situa, me posiciona, me garante que estou de fato naquele local, e isso me emociona intensamente.” Consegui sentir toda sua emoção aqui, parabéns pela forma como escreve e transmite esse entusiasmo pelos lugares!
    Deve ser muito forte a sensação de conhecer a Rússia e a praça vermelha, um ícone da história mundial. Tenho muita vontade de conhecer Tóquio, impressionante como os japoneses são organizados e metódicos. Até em um cruzamento de trânsito. Admiro demais a cultura deles!
    Parabéns pelo seu blog! =)

    • Analuiza Carvalho 29/06/2017 at 19:08 - Reply

      oi Laís… você não sabe como sua mensagem me deixou feliz! Que bom que consegui passar a emoção de estar nestes cartões postais do mundo! Que bom também que gostou do blog! 🙂

      Desejo muitas e boas viagens para você pelos clássicos do mundo e por aqueles não tão clássicos também. ehehe bjus

  13. […] Cartões-postais […]

  14. Quanto lugar lindo, Ana! A vontade de sair por aí desbravando esse mundão incrível só aumentou… saudade do acarajé!!!!

    • Analuiza Carvalho 27/06/2017 at 19:21 - Reply

      Acarajé é bom demais né Gabi?! Dá vontade mesmo de sair por ai, sem data de retorno. Este mundo é bonito demais!!! 🙂 bj

  15. Pa Ramos 27/06/2017 at 18:19 - Reply

    Muito legais os cartões postais!! E por quantos lugares lindos vc já passou!!! As pessoas hoje em dia quase não usam mais os cartões pra mandarem para amigos e familiares né, mas é uma coisa tão linda de se fazer!

    • Analuiza Carvalho 27/06/2017 at 19:10 - Reply

      Oi Pa… mandar e receber postais é nostálgico, mas é bem legal né?!

      O mundo está tão cheio de lugares lindos né?! Não foi fácil reduzir a lista, mas ainda tem muito lugar por aí que quero ver de perto! bjus

  16. NiKi Verdot 28/06/2017 at 01:29 - Reply

    Adorei o post! Sua idéia foi muito boa. Na realidade eu sou apaixonada por cartões postais, de verdade… Faço coleção e guardo pelo menos como lembrança de cada cidadezinha que eu tenho o prazer de conhecer 🙂

    • Analuiza Carvalho 29/06/2017 at 19:06 - Reply

      Obrigada Niki!!! Que bom que gostou! Tenho também muitos cartões postais de papel, daqueles que visitamos de verdade! eheheh bjus

  17. Viajante Comum 28/06/2017 at 01:53 - Reply

    Parece que esse hábito realmente caiu no esquecimento. Lembro-me quando recebia um postal de um amigo que estava em viagem… nossa! Era muito legal mesmo!

    • Analuiza Carvalho 29/06/2017 at 19:06 - Reply

      É muito legal mesmo, mas mais legal ainda é ver estes cartões postais ao vivo e em cores né?!

  18. Pedro 01/07/2017 at 06:33 - Reply

    Adorei a ideia! Eu sempre colecionei cartões postais, mas ultimamente me vi obrigado a me desfazer de muitos deles. O cruzamento Shibuya ainda está na minha lista, quero muito tirar umas fotos lá – meu cartão-postal pessoal.

    • Analuiza Carvalho 08/07/2017 at 21:57 - Reply

      O cruzamento é mesmo incrível!!! Rende muitas fotos interessantes! Cartões postais são lúdicos, mas quando não é possível guardar em papel, guardamos nas lembranças né?! 🙂

  19. […] + Cartões-postais […]

Me diga alguma coisa!