Um CAFÉ na Rússia: histórias de VIAGEM

Ah, um café! Nada como um bom café: preto, forte, encorpado. Tem aroma de aconchego para mim. Sempre que tenho oportunidade me entrego ao prazer de beber um cafezinho, principalmente quando estou viajando. Tomar um café na Rússia foi uma divertida aventura que mudou para sempre minha maneira de me relacionar com esta amada bebida.

Nosso primeiro encontro com o café na Rússia: bochechas vermelhas

Café na Rússia

Chegamos à Rússia por Moscou, completamente exaustos. Como ainda era dia, deixamos as mochilas no hotel e seguimos para conhecer os arredores da Praça Vermelha. Para manter os olhinhos abertos, escolhemos uma cafeteria ao acaso para tomarmos um café.

Pedir a bebida foi fácil, pois a grafia em russo é parecida com a escrita em português: кофе. Foi só apontar o dedo para o cardápio.

Problema foi na hora de pagar a conta: os rublos trocados no aeroporto não eram suficientes e a garçonete não falava absolutamente nada de inglês. Mímica vai, mímica vem, sabe-se lá como, nos fizemos entender.

Ela sorriu, indicou uma casa de câmbio onde Léo trocou dinheiro, enquanto eu esperava na cafeteria com as bochechas vermelhas de vergonha, e sufoco resolvido.

Assim, iniciamos nosso relacionamento com o café na Rússia.

Um café, por favor… Ah, com adoçante, por gentileza.

Café na Rússia

A partir daí, devidamente munidos de rublos suficientes para não passarmos novas vergonhas, entramos em diversas cafeterias para muitos cafezinhos durante nossos dias no país, em todas as cidades que percorremos.

Nesta época eu costumava adoçar a bebida com adoçante, pois não gosto de açúcar.

Como se pede mesmo adoçante em cirílico?!

Minhas mímicas não deram resultado. Uma vez, tentei o google translator: coloquei a palavra adoçante e o tradutor me retornou aquele monte de caractere amontoadinho que nada significa para mim.

Chegava nas cafeterias e mostrava aos garçons a palavrinha russa na tela do celular. Recebia como resposta um balançar negativo de cabeças. Até hoje eu não sei se aquele balouçar significava que não tinha ou se eles também não entendiam o que era aquela palavra.

Novas estratégias em busca de novos resultados

Tentei então outra estratégia. Um dia tomamos café da manhã no hotel e eu peguei um saquinho de adoçante. Nas cafeterias pedia o café e quando este chegava, mostrava meu saquinho e recebia como resposta, nova negativa. Estava confusa, confesso!

Assim, de negativa em negativa, fui tomando meu café amargo.

Um dia, saindo de uma cafeteria, depois de ter mais uma vez tomado café puro, eu vi sobre uma mesa saquinhos de adoçante. Imaginei então, teoria nunca comprovada por mim, que os garçons estavam achando que eu estava pedindo aquela marca específica e não qualquer adoçante.

Pois bem… não desisto tão fácil. Quando tomamos café da manhã no hotel novamente, peguei muitos saquinhos de adoçante. Problema resolvido!

Quando paramos para tomar café naquela tarde, peguei um de meus saquinhos e derrubei o pozinho na bebida, mexi com vontade, com um sorriso de orelha a orelha, me sentindo vitoriosa!

Quando tomei o primeiro gole, achei doce demais, ruim demais. Depois de tantos dias bebendo o café amargo, nunca mais eu consegui adoçar o café, hábito que carrego comigo até hoje.

Definitivamente beber café na Rússia mudou meu relacionamento com esta amada bebida pretinha!

Depois desse passeio comigo pelos cafés na Rússia, gostaria de conhecer alguns sabores típicos do país?! Clica então no link bem aqui abaixo: 

+ A cozinha russa: com suas cores e sabores

Venha espiar este mundão lindo comigo:

Siga o Espiando pelo Mundo nas redes sociais: FacebookInstagramTwitter e Google+

Para mais inspirações e histórias de viagem siga o perfil no Pinterest

Clicando na imagem abaixo O café na Rússia  ficará guardado em seu Pinterest! 🙂 

Beber um #café na #Rússia pode render boas e divertidas histórias de #viagem! #viajar #pelomundo #europa

By |2018-03-07T01:05:37+00:0022/11/2017|Categories: Europa, Preliminares Russas, Rússia|Tags: , |12 Comentários

12 Comments

  1. Angela Castanhel 13/12/2017 em 10:21 - Responder

    Boa história hahahaha. Até um café rende texto, não é mesmo? Também sou do time café com adoçante, bate ai!

    • Analuiza Carvalho 14/12/2017 em 08:08 - Responder

      Oi Angela… Já disse Mia Couto mais ou menos assim uma vez: há história em todo lugar para quem tem olhos de ver e orelhas para escutar. E café na Rússia rendeu história e meu atual hábito de tomar café puro! 🙂 bj

  2. Gisele Prosdocimi 13/12/2017 em 20:16 - Responder

    Olá, Analuiza, acredito que toda viagem que começa com um perrengue, pequeno, claro, tende a reder uma boa história. Um café é bom em qualquer lugar, mas em destinos novos e desconhecidos é melhor ainda. Boa pedida em uma cidade de clima frio!

    • Analuiza Carvalho 16/12/2017 em 16:20 - Responder

      oi Gisele… tem toda razão! Pequenos perrengues viram deliciosas histórias de viagem né?! rrsrrsrs A Rússia me ensinou a beber café puro! 🙂 beijinhos

  3. Marcia Picorallo 13/12/2017 em 21:11 - Responder

    Que delícia de post, Analuiza! Acho que vou pra Russia pra conseguir deixar o açúcar de lado kkkk
    Mas falando sério, essas confusões linguísticas adoçam as lembranças de viagem. Fico pensando que esses app e recursos que estão inventando para traduzir rapidamente línguas estrangeiras vão acabar com estes mini perrengues tão deliciosos. abraços

    • Analuiza Carvalho 14/12/2017 em 15:54 - Responder

      oi Marcia… rsrsrsrs vá, menina, e me conte se os russos te ajudaram a tomar café puro.

      Acho que sempre vou ser uma viajante das antigas! Não uso apps, gosto de mapa de papel e adoro tentar me reinventar para tentar me comunicar. Tenho tantas lembranças divertidas e lindas por conta disso!!!! rsrsr bjuuuusss

  4. Fabio Pastorello 15/12/2017 em 08:48 - Responder

    Que história legal, adorei. Nossa… E dizem que a melhor forma de tomar café é sem açúcar ou adoçante mesmo. Viva os russos não entenderem o adoçante hahaha. Beijos.

    • Analuiza Carvalho 17/12/2017 em 10:56 - Responder

      Com certeza um viva do tamanho do mundo, Fabio, pois é bem isso que você falou: a melhor maneira de beber o café e sentir seu sabor é mesmo puro. Sem dúvida, os russos me ajudaram nessa! rsrsrs bj

  5. Itamar Japa 18/12/2017 em 15:08 - Responder

    Hehe, Que demais!! Confesso que não sou muito fã de café e não posso opinar quanto a bebida, nem russa, nem brasileira. Mas achei lega a história e interessante que tenha mudado seu costume.

    • Analuiza Carvalho 19/12/2017 em 09:51 - Responder

      Um viva aos russos que me ensinaram, mesmo sem querer, como beber e apreciar um bom café! 🙂 rsrsr

  6. Juliana Moreti 23/01/2018 em 18:29 - Responder

    Hahahahahaha
    Eu não me lembro de ter passado algum sufoco do tipo em Budapeste ou em Praga. Aliás, não me lembro de ter entrado em algum local para beber café. Apenas restaurantes (e basicamente pedíamos um Goulash e estávamos felizes!)
    No entanto, o idioma russo te proporcionou uma nova experiência com o café: degustar seu sabor real!
    😉

    • Analuiza Carvalho 24/01/2018 em 16:22 - Responder

      Sem dúvida alguma eu devo aos russos o meu delicioso hábito de beber café puro, sentindo seu sabor em toda a sua integridade! rsrsrs

Deixar Um Comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.