CAFÉ da manhã em NOVA YORK – HISTÓRIAS de Viagem

Nova York é uma cidade muito internacional. Assim que, observar o café da manhã no Ramada Hotel, onde ficamos hospedados na cidade, nos proporcionou momentos de muita diversão e curiosidade. O café da manhã em Nova York virou momento de entretenimento.

O senhor

Café da manhã em Nova York

O modesto café da manhã no Ramada Hotel era estilo buffet com boas opções. Um senhor tomava conta de tudo, mantinha as coisas organizadas e auxiliava os hóspedes com suas eventuais necessidades. Ele estava sempre posicionado no mesmo lugar, quase sem expressão, imóvel sempre que não era requisitado.

Os pratos e talheres eram todos descartáveis. A prática comum era que cada um, ao finalizar seu desjejum, jogasse seu lixo fora. Quando alguém não o fazia, o senhor chamava o esquecido de volta e o fazia recolher tudo.

As pessoas sorriam amarelo, pediam desculpas e pegavam seu lixo.

Todos os dias eu o cumprimentava com um “bom dia” e com um sorriso. Nunca trocamos uma única palavra além deste cumprimento, mas eu sempre ganhava de volta um sorriso e um adeusinho ao fim de todo café da manhã em Nova York que tomei no Ramada Hotel.

Observei ser a única a fazer isso.

Os italianos

Café da manhã em Nova York

Havia uma família grande de italianos. Não consegui notar os graus de parentesco, mas eles ocupavam todos os espaços. A atmosfera mudava quando eles chegavam. Sons e gestos para todos os lados. Risos e palavras ditas em volume alto.

Pele azeitonada, cabelos pretos, narizes proeminentes.

Três mulheres chamaram especialmente a minha atenção. Eram bonitas, mas não foi esta a razão. Uma delas estava na casa dos 50 anos, a outra passeando pelos 30 e a mais novinha mal devia ter completado 20 anos.

Elas sempre se sentavam juntas.

Já chegavam ao café da manhã agarradas com um pote grande de Nutella. Pelo que apurei, era um a cada desjejum.

As pilhas de pão de forma giravam sempre nos oito: para cada uma. Pão bola de tamanho médio, uns três ou quatro. Iogurte, ovos, manteiga e doughnuts completavam a farra gastronômica.

Quando as vi pela primeira vez eu apostaria a minha vida que elas não dariam conta. Cheguei a pensar que a ideia era fazer sanduíches para comer durante o dia.

Que nada! Eu estava redondamente enganada.

Não sobrou nem uma mísera migalha de qualquer coisa no prato de nenhuma das três.

Fato importante a ser mencionado: eram magérrimas, tipo modelete New York Fashion Week.

Nunca consegui entender para onde ia toda aquela comida, sendo que a prática gastronômica das três se repetiu em todos os dias de café da manhã em Nova York que eu presenciei.

E foram muitos.

Os muçulmanos

Havia também no café da manhã em Nova York um casal de muçulmanos. Eles já deviam estar no 60 anos há tempos. Eles nunca se sentavam na mesma mesa.

Comiam sozinhos, ele em silêncio, ela mexendo sempre no celular.

No primeiro dia ele colocou no prato ovos, pães e salsichas. Pousou ao lado caixinhas de manteiga. Em seguida chamou o senhor do café da manhã e sussurrou algo em seu ouvido. Escutei apenas a resposta:

– Sim, senhor, são salsichas de carne de porco.

O homem muçulmano as chegou para o lado – eram 4 – e comeu o resto da comida. Perguntei-me porque ele não questionou antes a respeito do alimento. O desperdício me incomoda!

Ele sempre acabava seu café da manhã antes dela. Levantava e saía do hotel – nunca soube o que ele fazia – voltava minutos depois e dirigia-se ao elevador sem olhar em sua direção. Ela então levantava-se e se posicionava atrás dele. Entravam e sumiam.

Um casal jovem de nacionalidade desconhecida

Café da manhã em Nova York

Este casal jovem me divertiu muito. Quando eles desceram a primeira vez para o café da manhã, já não havia café da manhã. Eles chegaram exatos 2 minutos após o encerramento e não teve negociação que desse jeito.

A cara de desolação de ambos me deu muita pena. Tá certo, me fez rir muito também! Foi uma cena engraçada!

No dia seguinte, chegaram cerca de 10 minutos antes do encerramento, esbaforidos, com cara de sono. Encheram os pratos com tudo o que conseguiram e sentaram-se para comer.

No terceiro dia também chegaram a tempo, mas a garota sentou-se e a tarefa de encher os pratos foi do parceiro dela. Pensei que ela fosse dormir sobre a mesa.

Nos dias que se seguiram ela já não descia. Ela aparecia sozinho, de pijamas e chinelo, descabelado, olho meio aberto, meio fechado… Equilibrava tudo o que conseguia em pratos e levava para o quarto.

Nunca mais a vi.

Uma senhora brasileira que não come doces

Café da manhã em Nova York

Naquele café da manhã em Nova York havia também uma senhora brasileira, loira de olhos claros que não come doces porque o sabor doce não agrada seu paladar. Ela sempre chegava cedo e servia-se primeiro de café: metade do copo descartável sempre.

Somente depois de saboreá-lo ela enchia o prato de comida: ovos, manteiga e iogurte. Por fim, 01 doughnut colorido. A cada dia, uma cor de cobertura.

Isso nos primeiros dias. Depois passou a comer 2 e nos últimos dias já eram 3 a cada café da manhã em Nova York.

Ela, nem sabe como, ficou viciada naqueles pães doces coloridinhos e fofinhos. Sonhava com eles!

Bom, a senhora em questão sou eu mesma e naquele café da manhã em Nova York eu fiquei tão apaixonada pelos doughnuts que nem a dignidade gastronômica eu conseguia mais manter.

É! Foram divertidos aqueles cafés da manhã nesta cidade tão infinita quanto diversificada que atende pelo nome de Nova York!

Quer ver mais de Nova York?! Então clica no link bem aqui abaixo!Cais da Ilha de Genebra

+ As mais lindas e cambiantes cores do temperamental outono em Nova York

Venha espiar este mundão lindo comigo pelas redes sociais. 

Siga o Espiando pelo MundoFacebookInstagramTwitter e Google+

Lembro divertida daqueles cafés da manhã em Nova York. A cada dia, uma novidade cultural, alguma curiosidade. Sons, cores e sabores – histórias de viagem. #estadosunidos #novayork #viajar #viajantesempressa #espiandopelomundo #viajante                 Lembro divertida daqueles cafés da manhã em Nova York. A cada dia, uma novidade cultural, alguma curiosidade. Sons, cores e sabores – histórias de viagem. #estadosunidos #novayork #viajar #viajantesempressa #espiandopelomundo #viajante

Clicando em qualquer uma das duas imagens logo aqui acima Cais da Ilha de Genebrao café da manhã em Nova York  ficará guardado em seu perfil no  Pinterest. 🙂

Para mais inspirações e histórias de viagem siga o perfil do Espiando pelo Mundo no Pinterest.

 

Café da manhã em Nova York

Se você, meu caro viajante, gostou de ler as histórias de viagem no café da manhã em Nova York, compartilhe em suas redes sociais para que os amigos leiam e se deliciem também! 🙂 

Os botões de compartilhamento estão aqui abaixo.

Cais da Ilha de Genebra

By |2018-03-07T01:04:46+00:0008/02/2018|Categories: Américas, Estados Unidos, Nova York|Tags: |12 Comentários

12 Comments

  1. Sandra Lopes 13/02/2018 em 09:21 - Responder

    Afff…estes cafés me matam! 🙁 No terceiro dia já não consigo comer o waffles, donuts e nada “padrão americano”! terei que providenciar alguma coisa para incrementar meu café. Alguma sugestão?

    • Analuiza Carvalho 13/02/2018 em 14:16 - Responder

      oi Sandra… o café da manhã em nosso hotel estava incluído. Havia pães variados e manteiga, além de ovo e iogurte. Era o que havia de mais próximo de nosso café da manhã. Não havia queijo ou embutidos.

      Pergunta: seu café da manhã está incluído na diária?! Caso positivo, você pode complementar com coisinhas compradas no mercado que sejam do seu agrado. Em nosso hotel tinha frigobar, o que ajudava bastante. Deixamos coisas ali, pois muitas vezes comprávamos coisas no mercado para jantar.

      Não sei que bairro você ficará, mas a oferta de cafeterias e padocas em NYC é verdadeiramente impressionante. Há muitas opções para vários bolsos e nelas há muitos sanduíches básicos que poderíamos classificar como brasucas! Então, caso seu hotel não ofereça café da manhã, aproveite as padarias e cafeterias.
      bjuuss

  2. Bruna 19/02/2018 em 10:28 - Responder

    Adorei as histórias! Não acredito que você não pegou o segredo da magreza com as italianas, podia contar aqui pra gente… hahah Bjo!

    • Analuiza Carvalho 19/02/2018 em 10:54 - Responder

      oi Bruna… fico feliz que tenhas gostado destas histórias… elas me distraíram durante o café da manhã em Nova York.

      Menina, acho que o segredo das italianas é um destes que elas levam para o tumulo… Sabe segredo de família que passa de geração em geração?! Pois então, um desses… rsrsrsrs

  3. Angela Castanhel 19/02/2018 em 22:18 - Responder

    Tem alguém que viciada em Donuts heim hahaha. Adorei as dicas, começar o dia com um bom café da manhã durante a viagem é essencial.

    • Analuiza Carvalho 20/02/2018 em 12:00 - Responder

      Fiquei menina… quem diria, já que não sou muito fã de doces, mas esta Nova York me fez perder algumas dignidades. ehehe

  4. Edson Amorina Jr 20/02/2018 em 05:51 - Responder

    Eu adoro os baggels e doughnuts americanos! Se ficar muito tempo por lá, vou acabar ficando gordinho que nem os americanos… haha (nada italiano)

    • Analuiza Carvalho 20/02/2018 em 09:55 - Responder

      Mar minino, foi bem isso que aconteceu comigo!!!! Toda gordinha bem trabalhada nas deliciosas tranqueirinhas americanas!!! Não deu para resistir! rsrsr

  5. cris 21/02/2018 em 12:46 - Responder

    Comedora de doces e excelente observadora! Adorei o relato e a sua visão diferenciada! Beijos!

    • Analuiza Carvalho 21/02/2018 em 13:17 - Responder

      oi Cris… fico feliz que tenha apreciado o texto e as particularidades deste café na manhã em Nova York. 🙂 bj

  6. Eloah Cristina 01/05/2018 em 09:07 - Responder

    Adoro sair para tomar café da manhã. Sabe aqueles dos campeões? To aqui salivando por doughnuts e baggels!!!!

Deixar Um Comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.