ALMOÇO na TASCA do Manel

Quando chegamos à Sintra, em uma viagem de trem com partida no Porto, já passava um pouco da hora do almoço e a fome estava daquele jeito: feroz. Seguimos um belo caminho até o hotel, onde fizemos check-in, deixamos as bagagens e fomos almoçar na Tasca do Manel.

O público da Tasca do Manel

A Tasca do Manel

Tasca do Manel

Um dos ambientes internos: muito local, pouco turista

Voltamos pelo mesmo lindo caminho que fizemos da Estação Ferroviária à vila e chegamos na Tasca do Manel, localizado na rua lateral da Câmara Municipal. O ponteiro do relógio já se aproximava das 15 horas. Nós encontramos mesa, mas a maioria delas ainda estava ocupada, apesar do horário tardio.

O público era variado e majoritariamente composto de trabalhadores da área: dos macacões sujos de tinta e poeira até salto alto e gravata. Era segunda-feira. Além de nós, contudo, havia uns poucos turistas. Muita gente chegou na porta e não conseguiu lugar para sentar.

A refeição na Tasca do Manel

Tasca do Manel

Cardápio escrito à mão afixado na porta de entrada

Tasca do Manel

Sopa de Abóbora

Tasca do Manel

Vinho da casa com pão

Tasca do Manel

Secreto grelhado com batata frita e arroz branco

Posso dizer que a Tasca do Manel é aquele lugar bom e barato. Honesto! O cardápio, escrito à mão, estava afixado na porta com os pratos do dia. Todos tinham o mesmo valor de 7 euros.

A refeição incluía ainda uma entrada (sopa de abóbora), pão de ótima qualidade e uma estilosa jarra de bom vinho da casa.

Melhor custo-benefício que este na Europa eu nunca encontrei.

Escolhemos o secreto grelhado (carne de porco) que veio acompanhado de arroz branco e batata frita. Não foi nenhum sabor digno de nota, mas lembrou, e muito, a comida que minha mãe fazia para nós em minha infância. Comida caseira!

A Tasca do Manel

Tasca do Manel

Atrás do balcão tudo acontece

Tasca do Manel

Decoração

Sentamos próximos ao balcão que emendava com a cozinha: dali, todo o movimento da Tasca do Manel era orquestrado.

O restaurante compunha-se ainda de dois ambientes, pequenos, com decoração tipicamente portuguesa: azulejados e com paredes cheias de informações acumuladas ao longo da sua existência, cheias, portanto de afeto.

Lembrou-me muito alguns restaurantes situados no centro do Rio de Janeiro e de Salvador.

O atendimento não foi rápido, mas fluiu. Quando finalizávamos o almoço, o restaurante começava a esvaziar.

Em busca de um doce e de um café

Tasca do Manel

Da Tasca do Manel de volta para a vila

Portugal a qualquer hora pede doce e café! Para mudar de ares e variar, deixamos a Tasca do Manel e voltamos para a vila para tal intento.

Endereço: 2710, Largo Dr. Virgílio Horta 4

+ Como chegar em Sintra de trem

Gostou desse almoço na Tasca do Manel?! Que tal salvá-lo em seu Pinterest?!

Sugestão de restaurante na cidade de Sintra em Portugal do tipo bom e barato

By |2018-03-07T01:06:25+00:0003/08/2017|Categories: Sintra|Tags: , |8 Comentários

8 Comments

  1. cwrgutierrez 04/08/2017 em 07:50 - Responder

    Nossa que delícia de restaurante, devo ir para Sintra ainda esse ano, quem sabe de ter certo almoçarei ai também.

  2. Klécia Cassemiro 05/08/2017 em 17:46 - Responder

    Comidinhas em Sintra! Que delicia! EU fiquei me perguntando o que seria secreto… E salivei ao saber que era porco – uma carne que acho muito saborosa! Gostei também do balcão, tao cheio de historia!

    • Analuiza Carvalho 06/08/2017 em 09:07 - Responder

      A Tasca do Manel é mesmo um lugar simpático e faz a linha bom e barato! Economizar em viagem é sempre bom né?! bjus

  3. Alessandra Fratus 05/08/2017 em 19:26 - Responder

    Adorei essa dica! Esse almoço pareceu super apetitoso! Com certeza um lugar pra visitar quando estiver em Sintra! Obrigada!

    • Analuiza Carvalho 06/08/2017 em 09:08 - Responder

      oi Alessandra, para quem gosta do que é bom e barato, é um lugar que recomendo. 🙂 bj

  4. […] + A Tasca do Manel […]

  5. […] em nosso primeiro dia na encantadora cidade de Sintra, depois de um almocinho gostoso e barato na Tasca do Manel, seguimos caminhando até a Quinta da Regaleira. A Maytê tinha razão: o lugar é […]

Deixar Um Comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.