A Piazza della SIGNORIA onde bate o CORAÇÃO de Florença

Vimos o estonteante entardecer caminhando pela orla do Rio Arno, apreciando belíssimo espetáculo que as luzes do crepúsculo nos proporcionaram. Em seguida, caímos na icônica Piazza della Signoria.

Esta praça é um dos muitos clássicos de Florença, palco de sua vida social e política séculos atrás, mas que não se perdeu na noite dos tempos, ao contrário, continua muito viva, embora com significados distintos em tempos atuais.

Quando chegamos ali, naquela noite fria, ainda havia muitos turistas.

A Piazza della Signoria está repleta de arte

Piazza della SIGNORIA

Em sentido horário, começando pelo canto superior esquerdo: Palazzo Vecchio, Netuno com as ninfas, Cosimo I e Hércules e Caco

A Piazza della Signoria está repleta de arte! O edifício de maior significado que a habita é o Palazzo Vecchio, um velho e enxuto palácio medieval, símbolo do poder florentino, onde ainda hoje funciona a prefeitura.

Aqui encontramos mais uma das réplicas do Davi de Michelangelo. Há outra na Piazzale Michelangelo.

A exuberância desta praça, traduzida em muitas obras seculares, não termina ai. Vai longe. Aqui também vive a Fontana di Netuno (1575), onde o deus do mar está cercado por ninfas.

Além dele o Marzocco: uma cópia (o original está no Il Bargello) do leão heráldico (nobre, aristocrático) de Florença, símbolo de força, poder e prestígio para a República Florentina, esculpido por Donatello ajuda a dar imponência a Piazza della Signoria.

É impossível não notar o Hércules e Caco de Baccio Bandinelli e a estátua equestre de Cosimo I montado em seu cavalo.

A Loggia dei Lanzi e suas magníficas esculturas

Piazza della SIGNORIA

A Loggia dei Lanzi e suas magníficas esculturas

Piazza della SIGNORIA

Dentro da Loggia dei Lanzi com Menelau e Patroclo

Na Piazza della Signoria encontramos também a Loggia dei Lanzi, uma estrutura retangular formada por arcos, que leva o nome dos guarda-costas de Cosimo I que ficavam abrigados na loggia.

Datando de 1382, atualmente  a Loggia dei Lanzi  alberga várias esculturas preciosas, para nosso inteiro prazer.

O Rapto das Sabinas

Piazza della SIGNORIA

O rapto das Sabinas

A minha escultura preferida na loggia é o Rapto das Sabinas de Giambologna. Essa história muito antiga foi retratada por muitos artistas ao longo dos séculos, através de pinturas e esculturas e são sempre imagens muito fortes, intensas e tensas.

Os Sabinos eram um povo vizinho a Roma. Quando a cidade foi fundada, Rómulo precisava de mulheres para formar seu próprio povo e assim sequestraram as Sabinas. Os homens, logicamente, foram atrás de suas mulheres, houve guerra, mas no final selaram a paz sendo essa é a origem dos romanos.

Reza a lenda que apesar do rapto não houve abuso sexual a nenhuma delas e que Rômulo implorou que elas ficassem, mas deu a opção delas irem embora.

Há outras esculturas interessantes, contudo, fortes, que contam suas próprias histórias como Hércules e o Centauro Nesso (1599), onde Giambologna mostra como Hércules matou Nesso quando ele tentou abusar de sua segunda esposa, Deianira.

A escultura de Menelau e Patroclo onde Patroclo, o melhor amigo de Aquiles, que é morto em batalha por Ettore tem seu corpo carregado por Menelau, além de Perseu de Cellini (1554) cuja presença ali lembrava aos inimigos de Cosimo I qual seria seu destino.

Ficamos tanto tempo por ali, perdidos em meio a histórias reais e inventadas, metidos em uma semiconsciência que mesclava presente e passado, realidade e mitologia, que o tempo marcado nos relógios simplesmente desapareceu.

Durante nossos dias em Florença, ainda passaríamos muitas vezes por ai e sempre nos detínhamos por alguns instantes, no mínimo.

A salsada Via dei Calzaiuoli

Piazza della SIGNORIA

Cenas da Via dei Calzaiuoli

Deixamos a Piazza della Signoria para trás e fomos passear na Via dei Calzaiuoli: esta rua é particularmente interessante porque mistura lojas chiques e também as moderninhas como a Pylones.

Há ainda igrejas seculares como a Orsanmichele, que era um mercado de grãos e tornou-se igreja no fim do século XIV, início do século XV, além de um abrigar um discreto comércio popular de rua.

Ela liga a Piazza della Signoria a Piazza del Duomo e estava repleta de pessoas em um interminável vai e vem. Era época de Natal.

A belíssima Piazza del Duomo

Piazza della SIGNORIA

Nas escadarias do Duomo de Florença

Piazza della SIGNORIA

Cenas da Piazza del Duomo

Atravessamos a Via dei Calzaiuoli e chegamos então à praça onde está situado o Complexo do Duomo e ali eu me sentei, nas escadarias da Catedral de Santa Maria del Fiori para apreciar o burburinho.

Gosto de olhar as pessoas e de como elas se movimentam, se vestem, se comportam e ali era lugar perfeito para isso, pois há gente de muitas partes do mundo. Em comum entre elas, o olhar de adoração por esta incrível cidade e seus monumentos.

Havia um grupo de orientais, empolgadíssimo, tirando milhões de fotos e olhando com expressões espantadas e enlevadas para tudo o que viam. Havia outras pessoas, como eu, vendo a vida passar, à toa. Por mim ficava largada ali por muitas horas, mas a fome bateu, bem como o cansaço e resolvemos ir jantar para então levantar acampamento.

Spagueteria Pizzeria Little David para um jantarzinho

Piazza della SIGNORIA

Spagueteria Pizzeria Little David

Escolhemos um restaurante por ali mesmo, uma portinhola, chamado Spagueteria Pizzeria Little David, ao lado da loja Sephora. O lugar com suas paredes amarelas e mil informações decorativas era maior por dentro do que pareceu por fora.

O atendimento foi bacana, a comida estava honesta, o vinho bom. Escolhi uma bruschetta simples, básica e tradicional porque o cansaço (físico e mental) comprometeu o meu apetite. Léo escolheu uma tábua de embutidos, queijos e pães.

Após o jantar, só nos restou voltar para o hotel e encerrarmos o dia.

A Piazza della Signoria é mesmo um lugar incrível né?! Se você clicar na imagem abaixo a praça ficará guardada em seu Pinterest! 🙂 

A Piazza della Signoria é um dos cartões postais de Florença (Toscana, Itália), onde bate seu coração, símbolo de poder passado e um reduto que abriga magníficas obras de arte, além do Palazzo Vecchio.

 

By |2018-03-07T00:57:26+00:0001/05/2016|Categories: Florença|Tags: |2 Comentários

2 Comments

  1. Juliana Moreti 18/11/2017 em 11:23 - Responder

    Terminei ontem o 2° livro da Trilogia dos Medici e fiquei com uma vontade imensa de circular calmamente pelas ruazinhas de Firenze…. E como não rolava, pensei: A Aninha vai me ajudar.
    hehehehehe
    Essa praça é repleta de muita història sanguinària e artìstica e é impossìvel não se sensibilizar com cada esquina.
    O Rapto da Sabina foi a primeira escultura de Rapto que vi e amei. Me emocionou mais que o David! Diria até que esse é um dos meus temas favoritos na escultura e que eu sei identificar de longe!

    • Analuiza Carvalho 23/11/2017 em 07:04 - Responder

      Eu também, e não sei exatamente a razão, talvez por sempre serem esculturas muito intensas, tenho muito apreço pelas esculturas que representam o Rapto das Sabinas. Contudo, o Davi de Michelangelo me impressionou muitíssimo! 🙂 Não esperava! rsrsr

      Como coração de Firenze, cidade de trajetória tão intensa, a Piazza della Signoria já viu muita coisa: boa e má também naturalmente.

      É por isso que gosto tanto de ler sobre a cidade e seus personagens antes de uma viagem Ju. Firenze está tão intimamente ligada aos Medici que quando conhecemos sua história muda completamente nossa relação com a cidade! 🙂 bjinhos

Deixar Um Comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.