A Casa das BELAS ADORMECIDAS de Yasunari Kawabata

Revolta, raiva, indignação, tristeza, pena, compreensão. São tantos e tão confusos os sentimentos que afloram à medida que vamos acompanhando esta história! Definitivamente, visitar  A Casa das Belas Adormecidas de Yasunari Kawabata, ele ganhou o prêmio Nobel de literatura em 1968, não deixa o leitor indiferente!

As sensações e emoções vão dançando e variando de ritmo a cada movimento do personagem principal e, querendo ou não, deixamo-nos levar, sem conseguirmos libertar-nos, até o último momento. E no final da dança, nem sabemos se gostamos ou não.

A história

O narrador é o sr. Eguchi, que no momento possui 67 anos. Ao ver a velhice cada vez mais próxima, e ouvindo os piores relatos de seus amigos, ele descobre a casa das belas adormecidas, um lugar completamente fora do convencional.

Mesmo achando que sua ida a este lugar pode ser um ato maldoso, ele não consegue ficar longe e quando percebe está de volta e continua voltando. Alguma coisa o atrai.

E enquanto está ali, deitado naquele leito, com aquelas meninas, vivas e mortas ao mesmo tempo, o sr. Eguchi mergulha dentro de si mesmo, revelando a dualidade de seus sentimentos, de seu caráter, revivendo momentos importantes de sua vida.

É assustador sim, angustiante até. Talvez uma aberração, mas de alguma forma, também muito sensível. E o final desta história? Bem, o final é tipicamente japonês. Na verdade, porque deveria haver um final?

Muitas vezes, mergulhar na literatura japonesa requer certa dose de coragem, desprendimento e libertação de conceitos e preconceitos. A literatura é uma fonte interessante de busca pelo conhecimento dos usos e costumes de determinado povo e foi de muita importância para mim, antes de voar para o Japão. Foi através de alguns livros que mergulhei um pouco, em águas rasas suponho, nesse universo tão distante de mim, que é o da cultura japonesa.

Eu no Japão

Quando eu estive no Japão alguns anos atrás e caminhava pelas ruas das diversas cidades que eu visitei, me pegava constantemente observando janelas e pensando o que se escondia ali atrás. Será que em alguma daquelas casas ou prédios havia uma casa das belas adormecidas?! Nunca saberei!

A cultura japonesa é mesmo muito distante e diferente da nossa, o que torna uma visita a este país uma das experiências mais intensas e interessantes que podemos ter como viajantes. Um dia quero voltar.

A Casa das Belas Adormecidas

Autor: Yasunari Kawabata (Japão)

Editora: Estação Liberdade

Números de Páginas: 124

Quer conhecer outro livro de temática pouco usual?! Então clica no link bem aqui abaixo!Cais da Ilha de Genebra+ Cordilheira de Daniel Galera

Venha espiar este mundão lindo comigo pelas redes sociais. 

Siga o Espiando pelo Mundo nas redes sociais: FacebookInstagram, Trip Advisor

A Casa das Belas Adormecidas nos causa estranhos e contraditórios sentimentos. É difícil passear por esta história, mesmo que ela seja ao mesmo tempo sensível e até cruel.

Clicando na imagem logo aqui acima Cais da Ilha de GenebraA Casa das Belas Adormecidas ficará guardada em seu perfil no Pinterest 🙂

Para mais inspirações e histórias de viagem siga o perfil do Espiando pelo Mundo no Pinterest.

A Casa das Belas Adormecidas

Se você, meu caro viajante, gostou da resenha A Casa das Belas Adormecidas, compartilhe em suas redes sociais para que os amigos leiam também! 🙂 

Os botões de compartilhamento estão aqui abaixo.

Cais da Ilha de Genebra

 

By |2019-11-04T10:34:35+00:0030/06/2017|Categories: O Mundo nos Livros|Tags: , , , |0 Comentários

Deixar Um Comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.